16 maio 2022

[Resenha] Evidências de uma traição - Taylor Jenkis Reid

Esta novela da autora best-seller Taylor Jenkins Reid explora a complexa natureza das relações humanas e as consequências imprevisíveis de uma traição.

Querido estranho...

Uma jovem desesperada no sul da Califórnia se senta para escrever uma carta para um homem que ela nunca conheceu – uma escolha que mudará sua vida para sempre.

Meu coração te pertence, David. Mesmo sabendo que eu não te conheço...

Pouco a pouco, a correspondência entre Carrie Allsop e David Mayer revela os detalhes de um caso devastador entre seus cônjuges. Ao longo das cartas, eles confessam seus medos e compartilham sentimentos escondidos no fundo de suas almas, tentando decidir como seguir em frente.

Contada inteiramente por meio de cartas, Evidências de uma traição é uma história de decepções, mágoas e segredos, mas também de perdão e recomeços, e de como, no caso de algumas pessoas, a dor pode libertar.
 



Livro:  Evidências de uma traição||  Autor:  Taylor Jenkins Reid 
Ano: 2021||  Editora:   Paralela || Gênero: Contemporâneo
Classificação: 5 estrelas || Resenhista: Karina
O último lançamento da Taylor Jenkins no Brasil pela editora Paralela foi feito apenas no formato e-book (o que é muito triste, porque eu queria o físico para colocar na minha prateleira de favoritos da vida), mas ainda assim, Evidências de uma traição tem definitivamente um lugar garantido nas minha indicações.

O livro é uma novela, então já podemos esperar um enredo mais enxuto. O ritmo de leitura é muito fluído e a narração nos é apresentada em forma de cartas. O plot principal parte de Carrie Allsop, escrevendo uma carta para um estranho, contando de uma maneira simples, e eu diria até dolorosa, que ele está sendo traído pela esposa. Mas, como ela sabe sobre a traição? Bem, é o marido da própria Carrie o envolvido com a esposa do estranho (David Meyer).

Caro sr. David Mayer,
Meu nome é Carrie Allsop. Por favor, me desculpe pelo contato inesperado. Estou escrevendo para pedir um favor um tanto estranho. Descobri há pouco tempo algumas cartas de amor na maleta do meu marido que acredito serem da sua esposa, Janet. Desconfio que meu marido, Ken Allsop, a tenha conhecido em uma conferência médica em Coronado, três meses atrás. Ao que parece, eles vêm tendo um caso desde então[....]



Em poucas linhas somos apresentados a cenários complexos e a personagens com inúmeras camadas. Não é a primeira vez que as histórias da Taylor me fazem discordar das vontades dos personagens, e o mais incrível, é que mesmo sendo contrariada, eu entendi a escolha "final" e fico plenamente convencida de que foi a escolha certa.

Enquanto Carrie tenta entender como ela não percebeu que o casamento perfeito de 10 longos anos dela ruía, David se questiona desde quando vive uma mentira. Do momento que os dois se dão conta de que estão sendo traídos, abre-se espaço para dores mais profundas, pois eles decidem por hora que irão viver essa descoberta em segredo até decidirem como irão agir com os respectivos traidores. A dor de perder a família que se tem, a estrutura e familiaridade com que ambos estão condicionados nos faz questionar o que faríamos se estivéssemos nessa situação.

Durante a troca de cartas, enquanto eles se conhecem e enfrentam as evidentes traições, a mágica da empatia acontece, você esquece que eles são personagens e quer entrar na história para dizer umas verdades a uns e dar colo a outros.

A narrativa natural me envolveu e me convenceu de todas as dores ali discutidas. Quando as trocas de cartas se tornam mais frequentes e vontades se apresentam, você chega a esquecer o principal motivo pelo qual David e Carrie se conheceram. Raivas se dissipam com facilidade, e aqui, de uma certa maneira, a autora brinca com nosso senso de moral, porque eu quase achei incrível que uma traição tivesse acontecido para que essas duas pessoas tivessem a oportunidade de se conhecerem.

Talvez você esteja se perguntando como um livro curto, com um trope tão claro sobre traição pode te envolver tanto, bom, eu te responderia de modo muito simples que qualquer coisa que Taylor Jenkins escreva vai ter surpreender. Taylor escreve narrativas delicadas, com pequenos detalhes que conectam de maneira sutil suas histórias. 

Todos os livros já lançados estão resenhados aqui no ELB e se você já leu os outros livros da Taylor vai se deliciar com quotes que fazem pequenas e delicadas referências as outras obras como :

Que possamos nos conhecer e outra vida, então [....] Depois  ouvi Daisy Jones e Carole King [...]
E, para finalizar só queria avisar que: apesar de novelas serem estruturas maiores que os contos e infinitamente menores que um romance, você pode se preparar para plot inusitados e um final bem surpreendente. Eu finalizei o livro e fiquei: COMO É QUE É DONA TAYLOR? Pelo amoooor, como eu queria mais paginas !!!

Compartilhe!

Postar um comentário





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei