27 fevereiro 2021

[Crítica] Julie e os Fantasmas

 

Vamos falar de mais um original da Netflix que eu não conseguiria largar nem se a casa começasse a pegar fogo. 
Passou dias desde que assisti essa série, e mesmo assim, tive que assistir de novo. Também escuto todos os dias as músicas. Quando apareço no zap com o: "não me matem, mas..." Elas sabem que lá vem eu falando deles. 

Vamos começar falando que a série original, que estreou em 2011, era brasileira.  Uma parceria entre a o canal Band e a Nickeloden. A intenção era uma concorrência ao High school Music que estava em alta na época, e nesse ano (2020) foi criado um remake pela Netflix.

Como todo mundo sabe, a Netflix faz 10 episódios para testar a receptividade do publico, e então eles dão o ok para continuar a produção. Por isso que você consegue assistir tudo em um único dia.



A história gira em torno da Julie que acabou de perder a mãe, e por conta disso se recusa a tocar ou cantar novamente, já que era algo que ela compartilhava com a mãe. Mas a pedido do pai, ela vai até o estúdio da mãe, e acaba encontrando um cd de uma banda,  Sunset Curve, em uma caixa e o coloca para tocar. E é então, que três garotos caem no meio da sala, assustando a Julie. Mas esses garotos não eram reais, eles eram fantasmas. 

Luke, Alex e Reggie são membros da Sunset Curve, uma banca que tinha acabado de alcançar o sucesso quando os três morreram comendo cachorro quente, há 25 anos, deixando apenas um membro da banda vivo. Mas, de repente, eles estão vivos de novo, (mais ou menos, né?) e conseguem serem vistos e ouvidos quando cantam com a Julie. 

Esses três garotos conseguem fazer a Julie cantar novamente e formam a banda Julie e os Fantasmas. Mas claro que a vida não é simples para nossos fantasminhas, e eles precisam lutar contra um vilão que ameaça a existência deles.



Bem, esse é mais ou menos o plot da série, pois tem muito mais envolvido. 
Cada episódio conta com uma ou mais músicas envolvidas, e essas músicas são incríveis, as letras são ótimas e elas grudam em você e nunca mais soltam.

Fora isso, os personagens te cativam de uma forma incrível, cada um deles tem uma personalidade distinta e bem marcante, a melhor amiga da Julie rouba a cena em vários momentos. E não é apenas isso, a série trabalha com vários temas como perda, luto, amizade e muito mais. 

Recomendo muito a série, é daquelas amorzinho, além de ter uma trilha sonora maravilhosa. Confira aqui no youtube . E esse vídeo aqui embaixo é uma que eles fizeram não tem muito tempo:



Compartilhe!

Um comentário :

  1. Olá,
    Eu gosto muito dessas produções mais juvenis e apesar de ler muita crítica positiva sobre essa série e até ter vontade de ver, sempre enrolei com um certo receio. Mas ontem, procurando algo para ver tomei coragem e iniciei. Realmente é super envolvente e só parei porque dormi haha.

    Beijo!
    www.amorpelaspaginas.com

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei