25 novembro 2020

[Crítica] O Inferno de Gabriel - Parte 1



Estávamos muito ansiosas para esse filme <3
Sabemos o quanto a Passionflix investiu nele, todo o cuidado e investimento nessa produção (a maior deles até o momento) e por isso durante essa semana postaremos diversos conteúdos sobre essa história. Acompanhe nosso Instagram e fique de olho aqui no blog! No final de semana teremos uma surpresa especial =)

O filme começa exatamente na primeira cena do livro. Julia está no seu primeiro dia de aula com o professor Gabriel Emerson, o motivo de ela ter ido para a Universidade de Toronto. Ele é especialista em Dante e ela quer estudar para ser uma.

Só que, lidar com esse professor pode ser mais difícil do que parece. Ele é rude, agressivo e extremamente controlador. Ela é inocente, gentil e ingênua.

Ele não se lembra, mas a conheceu no passado, em seus tempos sombrios, numa das brigas que ele arrumou na casa dos pais adotivos. Ela se lembra muito bem de cada detalhe, jamais o esqueceu e carrega consigo as memórias daquele dia.

A morte da mãe faz com que sua irmã, Rachel, vá visitá-lo, e assim ela reencontra Julia, sua melhor amiga da escola. Gabriel não fazia ideia, e não sabe como lidar com o fato de que tem que aprender a conviver com Julia em outro ambiente fora da universidade.

O filme mostra a evolução da relação entre eles, passando de toda essa formalidade entre aluna e professor para algo mais. Não há como negar a atração, e Gabriel começa a perceber.


Para ter duas opiniões diferentes, a Luiza leu o livro (resenha aqui) e a Ludmila não, e dará a opinião apenas sobre o filme.

Vamos fazer uma crítica geral sobre a filmagem, roteiro, fotografia, cenário e etc ao longo das outras partes. E na última vamos fazer uma análise geral, como um todo.

Lud:
Antes de assistir a esse filme, eu assisti a um outro que está lá na passionflix, e só nisso já deu para perceber que o investimento foi bem diferente para essa adaptação, fora que eu assustei pelo tempo que tem só a primeira parte, que são mais de duas horas. E isso já foi outro indicativo, de como eles tiveram um cuidado de mostrar detalhadamente os personagens e as histórias. 

Como a Luiza disse na resenha, é um livro lento e de muito detalhe, a construção do relacionamento é aos poucos a medida que a confiança é conquistada, e isso está perfeitamente retratado no filme. A primeira parte é lenta, mas vou mostrando as nuances dos personagens, suas motivações e temores. Eu sempre reclamo que em alguns livros não conseguimos ver como os casal se apaixonam, e nesse aqui você consegue acompanhar tudo. Eu adorei os dois atores, acho que representou muito bem, o Gabriel é arrogante ao extremo, mas, ao mesmo tempo muito envolvente, ele é tipo o pecado seduzindo pedacinhos da sua alma. 

Preciso colocar um adendo que a retratação de como o Inferno de Dante se entrelaça com a historia é perfeita, tem como você entender o que o autor quis fazer com essa história. E só tenho a dizer que é muito inteligente e sai do que costumamos ver nos livros. 

Bem, agora eu vou ver o segundo correndo. 

Luiza:

Logo no início já fui capturada pela música clássica e pelas pinturas maravilhosas que retratam a obra de Dante. Impossível não reconhecer as passagens do livro que tanto Gabriel quanto Julia falam desses obras. Com certeza, já começou no clima certo para mim.

Nas primeiras cenas percebemos o quanto a Passionflix leva a sério uma adaptação fiel. Tanto cenário, quanto os diálogos, tudo é uma interpretação bem detalhista do livro. Como leitora não posso deixar de ficar muito feliz com isso, pois é raro uma produção que leva em conta a opinião dos fãs e a Passionflix faz exatamente isso.

A escolha dos atores foi muito muito boa. Eles realmente tiraram a Julia e o Gabriel das páginas e trouxeram para as telas. A química entre eles está impressionante, e essa é a apenas a primeira parte, a introdução do relacionamento dos dois.

O que mais achei que me incomodaria nessa adaptação é as lacunas que os atores teriam que preencher com suas próprias atuações. Como disse na resenha, o livro é bem intenso e cheio de detalhes, pois é narrado em terceira pessoa e podemos ver os pensamentos de todos os personagens. Isso contribui para entendermos suas ações e o valor de certas coisas.

Até agora não tenho do que reclamar quanto a isso, os atores são muito expressivos, principalmente o Giulio. A arrogância no olhar dele é exatamente como eu imaginava o Gabriel. E a inocência do olhar da Julia foi muito bem executada pela Melanie. Os dois carregam cenas inteiras só com o olhar.

A trilha sonora nessa parte está fenomenal, sabendo dosar bem as partes com uma música mais clássica com os trechos onde o silêncio fala mais. Na minha opinião, o filme já te prende no início.

Claro que há alguns pontos negativos. O principal deles é a grande diferença de altura entre os atores, isso poderia ser corrigido com o ângulo de filmagem e edição, acho que em algumas cenas essa diferença está muito gritante. 

Outra coisa é relativo às cenas do passado. Não acho que a Melanie se pareça muito com uma adolescente, mas ela super compensou com sua excelente atuação. O olhar inocente da Julia adolescente e sua expressão facial transmitiu a mensagem com sucesso.

Também notei que não colocaram legenda em português nas partes que eles falam italiano e nem nas horas que ela xinga em alemão.

Algumas partes fazem muito sentido para mim que conheço a história em detalhes, mas não sei se farão para quem não leu. Momentos bem intensos no livro que podem parecer exagerados no filme.

No geral, eu gostei muito. A fotografia está sensacional, a atuação de todos está muito boa e a riqueza de detalhes nos trás de volta ao livro. Ansiosa pela parte 2.


Assista o trailer da Parte 1:

Compartilhe!

Postar um comentário





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei