08 outubro 2020

[Resenha] O Feitiço dos Espinhos - Margaret Rogerson


Elisabeth sempre aprendeu que feiticeiros são maus por natureza, corrompidos pela magia demoníaca que dominam. Uma órfã criada em uma das Grandes Bibliotecas de Austermeer, ela cresceu rodeada pelos grimórios—livros mágicos que sussurram nas prateleiras, estremecem sob correntes de ferro e se transformam em monstros assustadores quando são provocados. Seu maior sonho é se tornar uma Guardiã da Biblioteca e proteger o reino contra a feitiçaria, mas uma sabotagem faz com que Elisabeth se torne a principal suspeita de um crime que não cometeu.

Agora, forçada a ir para a capital enfrentar a justiça, ela só tem dois aliados: o feiticeiro Nathaniel Thorn e o misterioso criado dele, Silas. Não demora muito até que a garota perceba que está envolvida em uma conspiração muito maior do que esperava… E incrivelmente mais perigosa. À medida que sua aliança com Nathaniel se torna cada vez mais forte, Elisabeth é obrigada a questionar tudo o que sabe sobre a feitiçaria, sobre as bibliotecas e, acima de tudo, sobre si mesma.

Livro:  O Feitiço dos Espinhos || Autor: Margaret Rogerson 
Editora: Editora Literalize  || Gênero: Fantasia
Classificação: 5 estrelas || Resenhista: Daiana || Ano: 2020

“Todos esses livros tinham alma”



Elisabeth foi abandonada na porta da Grande Biblioteca quando ainda era um bebê. Criada pela diretora, ela passou muito tempo solitária e tendo os grimórios como únicos amigos. 

Grimórios são livros com sentimentos e impregnados de vida, e que quando danificados, se tornam monstros chamados Maleficts. 

Elisabeth cresceu com o sonho de se tornar uma guardiã da Grande Biblioteca, pois não há nada que ela ame mais do que os grimórios, porém, esse sonho agora está ameaçado, pois um Malefict acabou sendo libertado na grande biblioteca deixando um rastro de morte e destruição pelo caminho. 

Elisabeth foi a única a presenciar o ataque do Malefict, e mesmo tendo conseguido destruir o grimório enquanto o restante do mundo dormia, a destruição desse grimório perigoso - e inestimável - acaba tendo um custo para Elisabeth, já que feitiços valiosos foram perdidos para sempre. Acusada de assassinato e traição, Elisabeth é enviada para a capital para ser julgada, e escoltada pelo feiticeiro Nathaniel Thor e seu criado Silas, ela não poderia estar em pior companhia, pois se tem algo em que Elisabeth não confia, são feiticeiros. No entanto, quando novos ataques acontecem às outras Grandes Bibliotecas, Elisabeth percebe que está no meio de uma sabotagem muito maior do que ela imagina, além de também começar a questionar as suas próprias convicções. 

Conseguirá Elisabeth provar sua inocência ? O que mais ela descobrirá no caminho?




“Horas se passaram, mas Elizabeth mal notou. Ela estava de volta aonde pertencia, cercada pelo sussurro e farfalhar das páginas; pelo doce e mofado de livros”

Eu estava super ansiosa pelo lançamento de O Feitiço dos Espinhos, e fiquei imensamente satisfeita ao me deparar com a Elisabeth, uma protagonista tão adorável. Eu já imaginava que fosse gostar dela, mas não estava preparada para tanta coragem e determinação. 

Acostumada com uma vida no interior, Elisabeth esta preste questionar todas as coisas que lhe foram ditas, e a iniciar uma jornada perigosa com o atraente feiticeiro Thorn, e seu misterioso criado, Silas. 

E, ah! Como esse trio é maravilhoso!

A dinâmica dos personagens ficou tão incrível, cheia de diálogos espirituosos e debochados. Nathaniel é aquele tipo de personagem que usa a fachada de indiferença para esconder a sua solidão e o seu grande coração, e Silas, é um personagem excêntrico e com um senso de humor bem particular. 

É muito comovente a relação do Nathaniel e do Silas, e eu só queria mais e mais de tudo isso. 


A progressão do livro é muito boa, e o mundo mágico aqui de tão fascinante já se tornou um dos meus favoritos: livros impregnados de vida, traças do tamanho de ratazanas, bibliotecas mágicas, demônios e feiticeiros poderosos. 

“Você pertence à biblioteca, tanto quanto qualquer livro."

É uma história que também conta com romance, mas ele não é o foco (mas também não deixa de ser lindo), e confesso que não achei ruim a autora ter se dedicado mais ao restante da trama. 


E como um livro único, posso garantir que é uma história completa. Você não sente que faltou algo, nem que determinadas partes poderiam ser melhor desenvolvidas. Você termina o livro com a verdadeira sensação de completude. Então, para quem tem receio de livros únicos, pode confiar nesse aqui. 


O livro é narrado em terceira pessoa e a escrita da Margaret me encantou; é uma narrativa tão fluida e poética que causou um grande desfalque no meu estoque de post-its. Por isso, acredite quando eu digo que O Feitiço dos Espinhos é como um feitiço poderoso, que se agarrará a você e te manterá preso a cada página.

Com certeza, eu lerei todos os livros que a Margaret escrever; ela já mostrou que é uma autora que veio para configurar na minha lista de autoras favoritas. 

O Feitiço dos Espinhos é uma história sobre um universo onde eu adoraria me perder e jamais ser encontrada,  Um livro único e memorável, uma verdadeira carta de amor para qualquer amante de fantasia - e de livros. 


“ — Você gostou daqui?
— Claro. Tem livros”

Compartilhe!

Postar um comentário





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei