26 junho 2020

[Resenha] Renegados - Renegados 01 - Marissa Meyer


Identidades secretas.
Poderes extraordinários.
Ele quer justiça.
Ela quer vingança.
Os Renegados são um grupo de prodígios – humanos com habilidades extraordinárias – que emergiram das ruínas de uma sociedade em colapso. Foram eles que estabeleceram a paz onde, antes, o caos reinava. Desde então, os Renegados se tornaram um símbolo de esperança e coragem para todos... exceto para os Anarquistas, vilões que também têm superpoderes, mas foram derrotados.
Nova é uma Anarquista e tem um motivo para odiar os Renegados: ela está em uma missão em busca de vingança. Enquanto se aproxima de seu alvo, ela conhece Adrian, um garoto Renegado que acredita na justiça... e em Nova. Ela, no entanto, é leal a um vilão que tem o poder de acabar com eles dois.b VALENTIA. CORAGEM. SENSO DE JUSTIÇA.
Você tem o que é preciso para ser um herói?


Livro: Renegados  || Série: Renegados 01||  Autor: Marissa Meyer
Editora:  Rocco || Ano: 2020 ||  Gênero:  Distopia fantástica
 Classificação:  4 estrelas ||  Resenhista: Sheila

 Skoob || Compre || Editora
Participe do Top Comentarista de Junho

Aqui vos escreve uma fã da Marvel, uma real fã de X-Men, e é impossível  resenhar esse livro sem traçar um paralelo. 
O livro é X-Men puro, mas vou tentar restringir a esse primeiro parágrafo, explicando que algumas pessoas tem poderes, os prodígios, e que eles se dividem em dois grupos: os bonzinhos que são os renegados e os malvadinhos que são os Anarquistas, sabe estilo Charles Xavier vs Magneto? É isso aí! 
E as dúvidas e dilemas morais também são os mesmos: Arrumar um jeito de suprimir os poderes? A Humanidade estava melhor sem os prodígios? Os prodígios podem fazer o que quiserem? Exatamente as dúvidas que surgem em X-Men, mas pronto, parei, ambientei o leitor dessa resenha e agora foco no livro.

Prodígios são pessoas com poderes diversos, mas apenas um poder por pessoa, menos de 1% apresenta mais de um poder. Essas pessoas surgiram e causaram uma ruptura na sociedade com guerras civis aonde o governo caiu, e nisso, os Anarquistas começaram a tomar conta do cenário, mas de uma forma amoral, com roubos de itens básicos de alimentação e armas, tudo orquestrados por eles.

A  falta de estrutura na sociedade  provocou o que  se vê em situações descritas em diversos filmes com essa temática, o caos, falta de alimento, falta de organização policial, muitos roubos, gente faminta, pobre e desabrigada. No meio desse caos surgem pessoas de boa fé, também prodígios, que se intitulam os Renegados e montam o clube dos bonzinhos, onde começam a combater os Anarquistas e todo o mal. Eles vencem a grande batalha e a nossa história começa aí, contada por uma menina adolescente chamada Nova que se intitula Pesadelo.


Nova tem uma história de perda pessoal, sua família era parte Anarquista e ela foi criada pelos Anarquistas após a morte de seus pais, sendo criada pelo seu tio Ace, um super vilão com fortes poderes que foi derrotado na grande batalha. Nova quer vingança, então se filia aos Renegados para ter acesso ao  quartel general deles. Obviamente, as dualidades aparecem, Nova se questiona muitas vezes sobre lealdade e o que é verdade ou o que a história contou de uma maneira mais suave ou mais sangrenta, como se a verdade realmente tivesse dois lados e pudesse ser ajustada ao momento e a percepção das pessoas.

Temos que lembrar que a personagem é adolescente e sim, tem que ter um correspondente amoroso na história, e esse seria Adrian, um filho órfão de uma talentosa prodígio heroína e criado por um casal de heróis espetaculares. Os pais do Adrian são um casal homoafetivo e achei bacana a inclusão deles na história, e a autora ainda conseguiu destacar o quanto as pessoas aceitaram bem os dois como um casal. 
Adrian é o típico adolescente, filho de triunfos que quer encontrar seu lugar no mundo e fazer justiça, ele questiona o sistema burocrático que os Renegados vivem na atualidade e quer fazer a diferença, além de descobrir mais sobre a morte da mãe.

Ele e Nova são de mundos diferentes e as questões que ela coloca sobre a humanidade ter parado de se desenvolver por si só, porque sempre aposta que terá heróis para se defender, nem sempre são fáceis para Adrian compreender e eles discutem bastante ao longo do livro sobre as regras e a história dos prodígios.

Diversos personagens secundários são apresentados de ambos os lados, e isso mostra que nem sempre os bonzinhos são puros e nem sempre os malvados são inteiramente vilões. Essa dualidade de caráteres e de pensamentos torna o livro muito interessante e a análise de cada personagem mostra que ainda há muito a ser desenvolvido no livro nessa questão. 

O livro termina com uma revelação bomba e nos deixa ansiosos para descobrir o que virá, e sim, eu gostei bastante da história e espero a sequência com ansiedade.

Compartilhe!

3 comentários :

  1. Sheila!
    Que bomba será essa, hein?
    Gosto quando o texto é mais descritivo, principalmente para mostrar a personalidade e as nuances das personagens.
    Adoro quano tem poderes envolvidos nas personagens.
    cheirinhos
    Rudy
    Se em momentos de ápice, já vale a pena a leitura, porque deve ser interessante acompanhar essa rivalidade entre os grupos.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  2. Olá! Eita, não conhecia esse livro, também sou fã da Marvel e X-Mem, curto muito esse universo com seres com super poderes, já quero esse livro pra ontem. Bjs

    ResponderExcluir
  3. Apesar de sempre gostar de assistir filmes e séries com essa temática não gosto muito de me aventurar fora das telas. Então esse livro certamente não seria para mim, mas espero para ler a resenha da continuação e saber (mesmo por cima) o desfecho do enredo.

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei