16 março 2020

[Review] Hotshot Doc - R.S. Grey


A full-length STANDALONE romantic comedy from USA TODAY bestselling author R.S. Grey.

Dr. Russell has a bad reputation around our hospital. The scrub techs say he’s cold-blooded, the nurses say he’s too cocky for his own good, and the residents say he’s the best surgeon in the world—really, just a swell guy!—on the off chance he’s within earshot.

I try to avoid him and his temper at all costs. It’s just as easy to admire his sexy, grip-it-while-he’s-ravishing-you hair and chiseled jaw from a healthy distance, preferably from the other end of the hallway…half-hidden behind a plant.

Unfortunately, my plan crumbles when my trusty ol’ boss decides to swap his white coat for a Hawaiian shirt. His retirement leaves me with two terrible options: switch specialties and spend months retraining, or take an open position as Dr. Russell’s surgical assistant.

That means I have to stand near him in the OR for hours on end and anticipate his every need without letting his biting words and bad attitude intimidate me. Oh, and as if that’s not difficult enough, my silly crush on him—the one I’ve tried to stomp on until it disappears—might just be reciprocated.

It’s fine.I’m fine.

I take my job seriously. There will be no smoldering bedroom eyes across the operating table, no angry almost-kisses in the supply closet. (Well, no more of those.)
What’s the phrase? An apple a day keeps the doctor away?Maybe I should go for a whole damn bushel.


Livro:  Hotshot Doc||Autor: R.S. Grey
  Gênero: Romance Contemporâneo, Comédia Romântica
Classificação: 5 estrelas || Resenhista: Daiana || Ano: 2018

O Dr. Matthew C. Russell é um dos melhores cirurgiões especializados em coluna vertebral, mas que possui uma reputação péssima entre os seus colegas de trabalho. Isso se deve ao fato dos seus assistentes cirúrgicos não durarem muito no cargo, devido a sua personalidade difícil e intolerante. 
Matt acaba de ficar sem assistente novamente — e há poucos dias de uma cirurgia importante, no entanto, para a sorte dele, o cirurgião para quem Bailey - a melhor assistente cirúrgica do hospital - trabalhava, está se aposentando e então, ela acaba de ficar disponível para a vaga. 

Será que a Bailey, ao contrário do último assistente, vai conseguir durar mais do que duas semanas?
As apostas são de que ela não vai durar nem um dia.


Esse é meu segundo contato com essa autora — que já ganhou uma fã de carteirinha aqui. Eu esperava outra leitura gostosa, mas Hotshot Doc acabou superando todas as minhas expectativas em relação a R.S. Grey.

Falando um pouco dos personagens desse livro, Bailey é uma garota cheia de responsabilidades, mas espirituosa, divertida e determinada. E é ela que faz com que Matt perceba que há vida fora das paredes do hospital. 

Matt é um médico talentoso e totalmente comprometido com o seu trabalho; tanta paixão no entanto, acabou lhe custando o casamento e o divórcio foi inevitável, pois sua ex-esposa acabou cansando de ser tão negligenciada.

Inicialmente, Bailey tem que aprender a lidar com o gênio difícil de Matt, mas com o tempo, eles conseguem se ajustar um com o outro e acabam criando uma relação mutua de respeito e admiração, e claro, alguns pensamentos românticos fazem a relação entre os dois mudar novamente e outros conflitos surgem. Bailey não tem certeza se está pronta para um relacionamento, principalmente com seu chefe — tudo bem, ele não é exatamente o chefe dela, pois ele não assina seus contracheques, mas Matt ainda é o seu superior, e para ela, isso complicaria as coisas. Então, ela deixa claro que deseja manter as coisas platônicas e profissionais, mesmo depois de um beijo avassalador. 

Matt entende toda essa bagunça que há na cabeça de Bailey, e dá a ela o tempo que precisa para lidar com os próprios sentimentos. Sem pressão, os dois vão deixando que as coisas fluam entre eles naturalmente. E é lindo ver isso; a forma como tudo aos poucos vai se encaixando nos lugares certos. Vamos descobrindo as camadas das personalidades dos personagens e nos apaixonando por eles em cada uma dessas etapas. 

Na verdade, o comprometimento de Matt com seu trabalho o tornava mais exigente com sua equipe, mas ele era definitivamente um bom homem, mesmo sob toda aquela personalidade rude e inflexível. E Bailey, não só viu, como entendeu suas motivações e sua paixão pelo trabalho, e esse foi o ponto chave para que a relação dos dois desse certo.

“Ele sorri e eu juro por Deus que o homem tem caninos super desenvolvidos. Um arrepio percorre minha espinha e eu estou realmente feliz por ele não precisar de mim, porque não tenho certeza se me sentiria confortável trabalhando para um morto-vivo.”

A escrita da autora é leve e flui muito bem, e os diálogos são tão irônicos e espirituosos que é impossível não rir muito com eles. Os capítulos são intercalados sob o ponto de vista de Bailey e Matt — e acho que esse tipo de narrativa é marca registrada em todos os livros dessa autora, e eu posso até estar um pouco mal acostumada com isso, porque eu queria que todos os outros livros do mundo fossem assim. 

Em relação a ambientização, ficou muito real, e a Grey descreveu com detalhes os procedimentos médicos abordados no livro. Eu fiquei fascinada. De repente, me vi querendo ser assistente médica e tudo. 

Esse livro é exatamente o tipo de romance que eu gosto. Onde a conexão do casal é tão grande, que é como se eles se encontrassem um no outro.

Definitivamente, eu quero ler todos os livros da Grey, porque eu sei que irei amar todos eles.

Compartilhe!

4 comentários :

  1. Olá! Tenho certeza que amaria ler esse livro, a história parece ser muito gostosa e me lembrou muito de Grey’s Anatomy (que eu amo/amava), incluindo o nome da protagonista, a autora parece ter uma escrita ótima, agora é torcer para que um dia ele seja publicado em terras tupiniquins.

    ResponderExcluir
  2. Daiana!
    Gosto muito também de romances desse tipo, ainda mais com uma interação tão grande entre as personagens e os dois sendo profissionais sérios e dedicados, mas que deixam um tempinho para se conhecerem mais intensamente.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Sendo os dois personagens da mesma área de trabalho, acredito ser muito mais fácil a compreensão da rotina. Acho que eu não iria curtir muito a personalidade do Matt.

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Uma leitura leve e clichê. Fiquei bastante curiosa para conhecer a autora, tem uma boa premissa.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei