12 fevereiro 2020

[Resenha] Um Lugar à Beira-mar - Debbie Macomber



“Annie o encarou, certa de que os olhos vermelhos revelariam sua angústia. Sem dizer nada, Keaton se sentou perto dela e sua presença a envolveu, lembrando-a de como ele era grande. Keaton não perguntou nada. Não puxou conversa. Não fez nenhum comentário. Limitou-se a ficar ao lado dela, proporcionando o apoio de sua energia silenciosa. Annie sentiu o calor daquele corpo forte acalentar o seu, afugentando o frio. Passaram-se alguns minutos e Keaton a surpreendeu pegando a mão dela, entrelaçando os dedos. Annie chegou a pensar que devia explicar a causa de seu estado emocional, mas não sabia como. Keaton era um homem de poucas palavras. Até conhecê-lo, ela não havia percebido o quanto podia ser dito através do silêncio. Ele não precisava de palavras para se comunicar, e, naquele momento, Annie descobriu que também não. Mais uma vez, Keaton não tinha nada a dizer, mas ela sim. ― Obrigada ― sussurrou. A resposta silenciosa veio através do olhar gentil e significativo que deixou implícito que ele faria qualquer coisa por ela.”

Livro:  Um Lugar à Beira-mar ||Autor: Debbie Macomber
Editora: Harlequin  ||  Gênero: Romance Contemporâneo, Drama
Classificação: 3 estrelas || Resenhista: Lud || Ano: 2019

Como minha experiência anterior com a Debbie foi muito boa, eu resolvi ler esse aqui também.

Annie tem uma família maravilhosa, pais amorosos e um irmão que adora pegar no seu pé. E praticamente em todo verão, eles alugam um chalé em uma cidadezinha praiana, emum lugar que guarda alguns dos melhores momentos felizes de que ela se lembra. Mas agora ela está crescida, e raramente sua família passa férias lá, pois com os filhos adultos, é difícil reuni-los até mesmo nos feriados. 

E, é em um desses momentos em que Annie está: ela fez planos para o feriado com a prima, mas a mãe insiste que ela se junte a eles, juntamente com o irmão casado e a filha recém-nascida, mas Annei se recusa e promete estar lá daqui a alguns dias, contudo, a vida tem um jeito bagunçar a vida de todos, e os planos de Annie acabam escorrendo pelos dedos como água.




Primeiro, tenho que falar, não sei se vocês repararam, mas a sinopse é um trecho do livro. Isso, porque qualquer coisa que estivesse ali poderia ser um big spoiler para esse livro, tanto que eu também não falei muita coisa. E vou tentar o máximo possível evitar isso aqui.

Eu gosto muito da escrita da Debbie, acho que ela aborda assuntos importantes de uma forma sensível e suave, e seus livros não vem com aqueles dramas mirabolantes, mas não deixam de passar uma mensagem para quem os lê. 

Nesse livro, temos muitos assuntos abordados, como síndrome do pânico, síndrome do sobrevivente, problemas familiares, alcoolismo, gravidez na adolescência. Enfim, é uma infinidade de assuntos que vemos hoje em dia. Então cuidado com os gatilhos.

Mas falando dos personagens, eu adorei a diversidade aqui, e curiosamente, todos são novos e estão se virando sozinhos, sem ter uma figura mais velha para aconselhar e orientar essas pessoas que estão lutando para sobreviverem com os problemas da vida. É como se o destino mexesse os seus pauzinhos e colocassem todos no caminho um do outro.

A história é triste, e muito atual, mas não achei o livro carregado ou pesado. De alguma forma, a Debbie passa pelos temas de forma tranquila e calma. E ai é um dilema para mim, alguns assuntos poderiam ser mais trabalhados, ainda mais com esses temas abordados, porém, em vários momentos, os próprios personagens se resolvem sozinhos. E eu fiquei sem saber o que falar, porque de um lado temos um livro com uma leitura leve, e que se fosse aprofundado alguns temas, ele perderia essa singeleza que existe.

Mas acho que isso é porque alguns dos personagens não são de falar, ou de se abrir com outras pessoas, eles vão se curando com o tempo e sozinhos, claro que o amor em conjunto, foi o que fez cada um deles sair do seu mundinho negro. Entretanto, muitas pessoas vão se identificar com cada um deles, e ver que existe um felizes para sempre no final do túnel, só não se pode desistir.

Novamente a Debbie entrega um livro com muito sentimento e personagens quebrados, de alguma forma, mas que encontram em outra pessoa, um apoio mais do que necessário. 


Compartilhe!

2 comentários :

  1. Lud!
    Gosto também dos dramas criados pela autora e ainda mais quando aborda temas tão importantes e trata de uma forma mais leve, mesmo sendo problemas sérios e dolorosos, Acredito que essa é a magia da escrita dela.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  2. Olá! Gosto muito da escrita dessa autora, curto muito um romance com drama, esse livro já estava na lista de leituras e agora depois de ler essa resenha fiquei ainda mais curiosa em conferi essa história que parece super emocionante. Bjs

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei