31 janeiro 2020

Tudum - Festival da Netflix.

Foto : exame.abril.

O Tudum teve seu último dia na terça-feira, e nós estávamos lá para conferir um pouco do festival, já que no site apenas anunciava: "4 dias pra encontrar seus ícones da Netflix, ficar sabendo de várias novidades e entrar nos mundos de Stranger Things, Sintonia, Para Todos os Garotos que Já Amei, O Mundo Sombrio de Sabrina e mais."

O evento tem um formato muito parecido com a CCXP, se você já foi alguma vez, tem uma noção do que esperar em uma escala menor. 

Podemos resumir em vários 'standes', onde se podia tirar fotos ou fazer alguma atividade. E fora isso, havia dois palcos: Hawkins e Greendale, onde eram apresentadas algumas atividades, shows como Tropkillaz, Projota e Anavitoria, e bate-papos com os convidados como Dora Figueiredo, Maíra Medeiros e Mandy Candy, Larissa Manoela, Whindersson Nunes e Giovanna Ewbank, Maísa, Noah Centineo e Lana Condor.

Vamos começar com a grande sensação do evento, que era o quarto da Lara Jean, você podia entrar e tirar várias fotos em todos os lugares do quarto. 

Foto: exame.abril.

Também tínhamos o fliperama de “Stranger Things”, a tenda para fazer poções de “O Mundo Sombrio de Sabrina” e uma réplica da barraca do beijo.

Foto : exame.abril.
Foto: Divulgação/Netflix
Uma barbearia inspirada na série “Sintonia” estava cortando os cabelos dos meninos, e havia um 'stand' para maquiagens Drags também. Também tínhamos banheiro para fotos de “Sex Education”.

Foto:exame.abril.
Tinha um stand para você escrever cartas para o Crush e colocar nos envelopes na parede. Havia também um igly de Atipycal, para você sentar e relaxar escutando o barulho do mar. E não podia faltar a piscina de Hawkins Community para tirar fotos.

Havia também um stande da C&A para compras e afins, e um para personalizar camisetas ou ecobags com uma das estampas pré-selecionadas que estavam lá. Um stand da Intrínseca com os livros de Strange Things e Para todos os Garotos com a capa nova, fora alguns livros de outras editoras, mas que têm adaptações na netflix.

Tudo isso com pipoca à vontade, e raspadinha e algodão doce esporadicamente. E claro, na entrada ganhava um copo personalizado da Netflix, para você tomar água nos bebedouros e diminuir o lixo plástico.

Agora vamos para o que achamos do festival. 

Primeiro, é que você precisava ter paciência, e muita, porque eram horas de filas, filas e mais filas. 

Começamos pelo transporte, que no site indicava dois metros como ponto de saída, então pegamos a da Paraíso, chegando lá, a fila não estava tãooo grande, mas para nossa surpresa, o transfer era uma van que levava apenas 15 pessoas por vez, então essa brincadeira resultou 45 minutos para chegar ao Ibirapuera. Mas espera que tem mais, só vai somando aí...

Descendo no evento, temos mais o quê? FILAS, e o pior é que você só vê apenas uma parte da fila, e quando vai andando, você pensa ixe, nem tá grande, mas daí que tu vê a fila de verdade, que vai lá para o fundo, dá uma volta e ainda passa pelas grades de zig zag, e volta. Resultado: mais 1 hora na fila para conseguir entrar de verdade no evento. Somando tudo: 2 horas praticamente. Ponto positivo aqui: Passaram dando copo de água para as pessoas, já que estava muito calor, e em alguns momentos a fila ia para o sol.

Enfim, estamos dentro do evento, e ele é imenso, é bem impressionante e chama muita atenção por todas as atrações espalhadas em ambos os andares. Mas então você para um instante e vê: fila e fila  e filas. E a maioria das atrações era apenas para tirar fotos, alguns demoravam mais porque tinha alguma atividade, mas era tipo 1 hora em cada fila, no mínimo, porque a da ecobag/camiseta demorava 3 horas para você personalizar. 

Nisso tudo, nós demos uma volta para conhecer todos os cantos e decidimos pegar uma única fila, que era um dos stands da Sabrina para ler Tarot, mas ficamos 45 minutos na fila, e só andava porque as pessoas desistiam. Então desistimos também dessa atividade.

Mas daí tu pergunta: você está reclamando por quê, se também pega fila na CCXP? Ah, mas eu também reclamo da CCXP. Críticas construtivas sempre servem para você crescer na vida. E não é porque é de graça que temos que nos conformar, porque eu escutei isso na fila, viu. 

E comparado com a experiência que eu tenho da Casa Warner, esse evento nem chega aos pés de te proporcionar uma imersão na sua série favorita. Vou contar como é a casa Warner, que quando eu fui, a entrada era gratuita, mas na última de Friends era paga, mas não tão cara.  Bem, na CW você tinha que se inscrever em um dia e horário. Chegando lá, era colocado junto ao seu grupo de no máximo 15 pessoas para percorrer cada atividade junto com seu monitor. Na que eu fui, tinha a de Supernatural, e havia um ator contratado como demônio no cenário, e tínhamos que seguir as pistas e achar a frase que faria o exorcismo, isso em contagem regressiva. No de The Big Bang Theory, fomos separados em dois grupos e jogamos imagem e ação exatamente como os personagens da série fazem. No de Riverdale, nós entramos no Pops e tomamos o famosos milkshake. E por aí vai..  Então, é isso que eu chamo de imersão e todos tinham a réplica exata do cenário. 

Depois de tudo isso que falamos, ficamos sem entender muito bem o propósito do festival, ainda mais que foi divulgado praticamente na semana do evento, tudo muito em cima da hora. A maioria das séries já são conhecidas e detêm uma certa fama. Então gastar dinheiro em um festival desse porte para qual finalidade? Para ver se os brasileiros param de reclamar? rsrs 

Claro que teve algumas notícias, já que a maioria dos convidados tem algum projeto futuro com a Netflix, inclusive foi divulgado lá que a Maisa está fazendo um filme, escrito pela Thalita Rebolças, entretanto, apenas isso não justifica a totalidade do evento. Mas, com certeza, o evento já na sua primeira edição ousa no tamanho do espaço para recepcionar o público. 

Fora o nome que, cara.. vamos combinar.. foi genial! Ele combinou o nome do festival com a faixa de abertura da Netflix. Eita que o marketing está de parabéns. 

Enfim, como sendo a primeira edição, ele impressiona de muitas formas, tanto positiva como negativa. E com certeza agradou muita gente, e deve vir mais edições ano que vem!

Compartilhe!

Postar um comentário





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei