07 janeiro 2020

[Crítica] The Witcher



Bora lá falar dessa coisa maravilhosa, porque eu estou com uma baita ressaca por causa dele. Assim que estreou a série, eu assisti de uma vez. A Karina e a Daiana estão assistindo em doses homeopáticas porque a segunda temporada só vem em 2021.

Mas antes de tudo, de falar o que achanos, vamos falar sobre a construção da série. O que você tem que saber, é que essa série é baseada nos livros, escrito pelo polonês Andrzej Sapkowski. Os dois primeiros livros, no qual a primeira temporada se baseia, chamados O Último Desejo e Espada do Destino, são compostos por contos, que servem como uma espécie de introdução, e os demais livros seguem com narrações lineares. A Netflix decidiu adptar The Witcher devido ao sucesso do jogo, mas se baseando unicamente nos livros, então para aqueles que conhecem a história devido a sua experiência com o jogo ou os livros, consegue perceber o quanto a Netflix foi fiel em sua adaptação. Podemos reconhecer até mesmo o modo de falar e alguns vícios do Geralt do jogo. 

Essas são as capas dos livros, que possuem essas artes - que eu mais amo - e as capas na versão do jogo, e agora a Martins Fontes, está relançando os livros com capa dura e outra ilustração na capa - que eu não gostei muito não (Veja aqui). O mundo é tão cheio de detalhes e eles usaram a mesma capa, apenas mudando a cor para cada volume, nem mesmo o conteúdo extra compensa isso. Ainda vamos investigar se o que muda é apenas a capa ou se a edição de colecionador tem algum conteúdo extra, voltamos aqui mais tarde para contar!. 



Em The Witcher, há todas as criaturas míticas da fantasia: gnomos, duendes, magos, elfos, e claro, bruxos. Bruxos são meninos que são levados a uma fortaleza e são treinados para caçar e destruir todos os monstros do Continente. E Geralt, é o mais conhecido de todos.

Outra coisa que você precisa saber sobre a série é que assim como nos livros, ela segue três linhas de tempo, e elas se intercalam, o que acaba por confundir quando você assiste ao primeiro episodio, e não saiba sobre isso pelos livros. Você tem uma linha que conta o passado com o Geralt, outra que conta o passado mais distante ainda, que é narrado pela Yennefer, e o presente narrado pela Ciri. 

Outra observação, é que a história contada da Yen é uma versão da Netflix, nos livros ainda não há nada que conte sobre esse passado dela. 

Bem, acho que essas três coisa que você precisa saber se nunca ouviu falar dos livros ou mesmo do jogo. Agora vamos as nossas considerações. 

Claro que eu amei, mas não sou cega para os defeitos na série. Quando dei o play no primeiro episódio, eu tinha um monte de ressalvas, afinal, não queria que uma das séries que eu mais gosto fosse estragada, e definitivamente os dois primeiros episódios não me convenceram. Eu como fã da série que adora dar palpite em tudo que assisto, faria algumas escolhas diferentes, mas vamos parar por aqui, afinal, eu não tenho nenhuma graduação para ter noção sobre coisas técnicas!

Mesmo que a Netflix não divulgue valores gastos na primeira temporada, a sensação que fiquei no geral é que o empenho da pós produção valeu cada Dollar, e mesmo que existam diferenças de coloração em cenas de sequência de luta ( talvez por terem sido gravadas com câmeras diferentes), e digo talvez porque não sou nenhum expert, isso de maneira alguma diminuiu minha empolgação com a série.

Falando em cenas de luta, por favor, façamos uma pausa para contemplar a perfeição dessas coreografias! Eu já sabia que o Henry não usaria dublê, porque lutar é uma coisa que o ator já disse inúmeras vezes que curte fazer como hobby, mas ainda assim, há espaço para boas surpresas. Na luta do primeiro episódio entre Geralt e a Renfri, eu praticamente estava pulando em cima do sofá e dando gritinhos de felicidade!

Alguns detalhes da mitologia de como o continente é criado só entende facilmente quem leu os livros, mas para a galera sedenta por mais informações de como se constitui esse mundo da fantasia, o bom é que terão tempo suficiente para maratonar os livros até a próxima temporada! Eu só adianto que cada vez que a guerra contra os Elfos era mencionada meu coração parava. 

Vi muita gente reclamando das linhas temporais, mas nos livros também é assim, e acho que era exatamente isso que eles queriam fazer, não nos entregar tudo mastigado em uma linha única, mas um universo que se sobrepõe. Então eu não tenho o que reclamar, mas eu acertaria as passagens de tempo melhor se tivesse sido melhor abordado, embora essa dificuldade não tenha estragado de forma nenhuma minha experiência com a série. Há alguns salto de tempo, de 10 ou 20 anos, que muitas vezes não é totalmente clara, por exemplo, depois que a Yan e o Geralt se encontram novamente se passou quanto tempo.. parece que nenhum.. mas se passou muitos anos. E por aí vai. 

Mas existe um detalhe na transposição das cenas que foi colocado de forma inteligente, mas que exige que o expectador tenha mais atenção a história, por exemplo, em uma cena um personagem já adulto interage com outro, em seguida, em outra linha do tempo, esse mesmo personagem muito mais jovem aparece de fundo em outra cena. Isso te sinaliza o salto no tempo.

Anya Chalotra, a atriz que faz a Yennefer, merece ser aplaudida de pé, que delícia ver a minha personagem favorita roubar a cena! A trama da princesa Cirila durante essa primeira temporada foi a que menos me chamou atenção, mas entendo que essa é uma personagem que ainda crescerá muito então, sim, continuarei empolgada por muito tempo e espero arrastar todos vocês comigo

E concordo com a criadora (ela falou no Painel da CCXP 2019), essa é uma história basicamente sobre como humanos conseguem causar o caos, como o poder corrompe, sobre pessoas solitárias que sofreram e ainda sim, acreditam que é possível convivermos uns com os outros.

Pra mim, poderia ter pelo menos 10 episódios, ou até 12, porque havia contos para se basearem, e acabaria contando alguns detalhes melhores, mas claro que sempre quem leu os livros, vai achar que faltou algo importante. Por exemplo, quando ele está na cama com a prostituta, ele conta algumas coisas que são importantes para você entender quem ele é. E tem essa cena na série que não foi totalmente aproveitada. 

Por último, outro ponto importante para destacar, é que no último episódio, os símbolos de abertura se desmancham e três novos símbolos se unem na tela formando quase um único símbolo, o lobo de Geralt, a andorinha da Ciri e a estrela da Yen, e tudo o que você passa a desejar é poder dar um salto no tempo e pular logo para 2021. 

Os livros, o jogo e agora a série, tudo para aclamar uma obra fantástica recheada de todas as coisas que os amantes de fantasia gostam.  Uma série que vem batendo record atrás de record, ficando até mesmo mais popular que Stranger Things e, enquanto 2021 não vem, muito provavelmente por aqui vamos reler todos os livros, comentar no whatsapp, criar teorias e suspirar com a beleza de Henry Cavill. Mais alguém por ai tão empolgado quanto a gente ? Vocês querem mais curiosidade sobre esse mundo?


Compartilhe!

9 comentários :

  1. Confesso que fiquei beeem perdida com as linhas do tempo, só consegui me encontrar lá pelo 5 episódio (muito lerda eu sei hhahahhhaa) Geralt e Yennefer, zero defeitos, um show de atuação!!!
    Queria saber um pouco mais sobre essa nova edição de livros!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos investigar essas novas edições ai , diferentemente da Lud eu AMEI a ideia mais minimalista( e elas são hardcover rs já ganham meu coração)!!


      Yennefer melhor personagem ZERO defeitos <3

      Henry meu amor vem matar uns monstrinhos aqui em casa pfv nunca te pedi nada rs !!


      Vi gente reclamando que a Triss é diferente do jogo rs ai gente daqui a pouco vão reclamar que o cavalho não apareceu no telhado (igual os bugs do game rs)



      TÔ amando forte ! Partiu fazer maratona tudo denovo, clube do livro sei lá ...preciso de apoio até chegar 2021!

      Excluir
  2. Tô louca pra ler os livros!!! Amei a série maratonei, coisa que nunca faço, não tenho paciência KKK mas o Henry Cavill está de parabéns. Porque o homem bonito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já podemos maratonar a serie de livros ...para matar a saudade até a segunda temporada já pretendo reler os livro ...agora com a imagem do Cavill em mente !

      Excluir
  3. Lud!
    Sabia dos livros e sempre tive interesse em lê-los, porque amo ese universo fantástico de gnomos, duendes, magos, elfos e bruxos, é uma fascinação minha.
    Mesmo sem ter lido os livros, ontem vi que tinha para assistir e assism que terminar The Good Doctors que estou terminando, é a próxima que assistirei.
    Nem sabia que tinha jogo.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Volta aqui depois para suspirarmos com a ambientação perfeita da serie ! Beijos !!

      Excluir
  4. Olá! Estou doida pra assistir a série de TV, ainda não li nenhum dos livro, porem curto esse universo de fantasia com bruxos, etc... já tinha ouvido falar do jogo, e dizem mesmo que ficou nem fiel a ele.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se tu curte fantasia vai amar as serie ,, os dois primeiros livros são conto de aventuras do Geralt a partir do terceiro livro a historia toma o rumo do gênero romance

      Excluir
  5. Olá!
    Eu já vi muitos falarem bem da serie e dos livros. Ainda não li e nem assistir, mas estou desejando muito ver. Tem um enrendo muito bons e autores que já conheço, espero conseguir assistir ou ler primeiro né.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei