29 dezembro 2019

[RESENHA] Sem Saída - Taylor Adams



A universitária Darby Thorne já tinha problemas demais. Sem sinal de celular e com pouca bateria, ela precisava dirigir em meio a uma nevasca para visitar sua mãe que fora internada às pressas e poderia morrer, mas o mau tempo a obriga a fazer uma parada. Num estacionamento no meio do nada, Darby se depara com uma criança presa e amordaçada dentro de uma van. Aterrorizada, ela precisa manter a calma. Mais que descobrir quem é o proprietário do veículo, é fundamental escolher quem, dos quatro desconhecidos no local, pode ser um aliado para ajudar no resgate. O desafio são as consequências: isolados pela neve, qualquer deslize pode ser fatal. É preciso resistir até o amanhecer, mas o perigo aumenta e cada minuto pode ser o último.




Livro: Sem Saída||  Série: Livro Único|| Autor: Taylor Adams
  Editora: Faro Editorial  ||Classificação: 5 estrelas || Resenhista: Luci
 Ano: 2019 || Gênero: Ficção / Literatura Estrangeira / Suspense e Mistério






Os planos para o natal de Darby Thorne são totalmente interrompidos quando ela recebe a notícia de que a sua mãe fora internada às pressas, e tudo indica que ela não terá chances de vê-la com vida, se não se apressar ao seu encontro.

Assim, ela começa a empreender uma viagem até a cidade onde sua mãe mora, debaixo de uma nevasca, com o propósito de chegar o mais rápido possível ao hospital. Infelizmente, seu carro não consegue resistir às condições climáticas, que pioram ao longo da viagem. Para completar, seu telefone está sem sinal e a bateria acabando.

Sua aparente sorte surge em forma de uma parada de descanso para viajantes, onde encontra mais quatro pessoas: os primos Sandi e Ed e mais dois homens, Lars e Ashley. Logo, todos descobrem que, devido à nevasca, vão ficar presos pelas próximas oito ou dez horas, até as estradas serem limpas e liberadas.

Em busca de um sinal de wi-fi, para dar notícias à sua família e saber o estado de sua mãe, Darby leva seu telefone, quase descarregando, para uma área mais afastada do prédio. No entanto, o que recebe é uma imagem que a perturba: uma criança, trancada em um furgão, uma clara vítima de um sequestro.

Disposta a ajudar a criança, Darby se encontra em um impasse terrível: presos em meio à nevasca, sem uma possível rota segura de fuga, em quem confiar para ajudá-la nesse resgate? Entre as quatro pessoas que acabara de conhecer, quem eram os verdadeiros bandidos? 

Sem saída, ela vai se arriscar de todas as formas para conseguir libertar a criança e salvar a própria vida.



Tenso. Eletrizante. Hipnótico. Impactante.

Essas quatro palavras resumem o motivo pelo qual devorei esse livro em apenas duas noites.

Com uma narrativa bastante envolvente, Sem Saída é um thriller psicológico que reúne todos os elementos que seduzem o leitor a participar da trama, fazendo-o perder o fôlego a cada capítulo e fatos revelados.

Primeiro, temos um cenário muito bem construído, um ambiente isolado, com a mínima possibilidade de ajuda externa. Taylor Adams o constrói nitidamente, levando o leitor àquela sensação de impotência, antevendo o que pode acontecer ali.

Segundo, temos personagens muito bem dosados em sua construção. Tanto que, ante à revelação da verdadeira face de cada um, há aquele sentimento de assombro e incredulidade. A motivação do crime e dos atos de violência, a mente doentia do criminoso, tudo isso é narrado sob a lógica doentia do psicopata, o que deixou tudo mais real. 

Aqui, devo destacar a Darby, personagem central da história. A jovem universitária que sempre teve uma relação difícil com a mãe e sabe que terá um último encontro com ela. A maneira como ela se esforça para salvar Jay, a criança, é colocada como uma forma de redenção, por todas as vezes que ela despertou a raiva em sua mãe ou expressou sentimentos negativos por ela. Seu ápice foi a demonstração da força que nem ela mesma sabia possuir.

Terceiro e último ponto, mas não menos importante, devo destacar mais uma vez a narrativa. O autor narrou o contraste perfeito, colocando em cena um cenário bucólico, tão oposto com a violência de criminosos, sem perder em nenhum momento o ritmo, atraindo o olhar do leitor para cada capítulo seguinte, enquanto lhe tira o fôlego. O livro foi dividido em partes, de acordo com o período do dia, e os capítulos foram marcados com horas, dando mais ênfase à tensão ali narrada no transcorrer do tempo, o que revela uma elaboração bem pensada do autor.

Vi que a história será adaptada para o cinema, e espero que todas as características da obra sejam fielmente transportadas para as telas.

É um thriller que realmente recomendo para quem gosta do gênero.

Compartilhe!

2 comentários :

  1. Lucilene!
    É o tipo de livro que gosto de ler, um bom thriller psicológico, bem ambientado e que ainda confranta sentimentos interiores da protagonista e mostra a verdadeira face de pessoas comuns.
    Já curiosa para ler e descobrir quem cometeu o sequestro.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei