04 novembro 2019

[Resenha] O Desafio do Amor Verdadeiro - Querida Conselheira Amorosa #2 - Laura Lee Guhrke


Para Clara Deverill, ser a verdadeira Lady Truelove significa dar conselhos sobre problemas que ela mesma nunca superou. Só lhe resta refugiar-se em uma casa de chá e esperar que a inspiração chegue entre um bolinho e outro.
Isso não acontece até ela escutar um canalha falando eloquentemente sobre a honorável arte de terminar com uma dama. O cafajeste pode se parecer com um Adônis, mas ele está prestes a conhecer o outro lado de Lady Truelove. Rex Galbraith é um herdeiro sem planos de se acomodar com uma donzela. Ele flerta com inúmeras jovens para animar sua tia casamenteira, mas Clara é a primeira a conquistar seu olhar namoradeiro. Ao descobrir que ela ― como Lady Truelove ― usou seu conselho como material para o jornal, Galbraith fica furioso.
Mas quando é forçado a fazer um acordo secreto com ela, Rex percebe que tem um problema muito maior ― porque Clara está contrariando tudo o que ele achava saber sobre as mulheres e sobre si mesmo...

Livro: O Desafio do Amor Verdadeiro || Série: Querida conselheira amorosa... # 2
autor:  Laura Lee Guhrke || Editora: Harlequin  
Classificação: 4 estrelas || Resenhista: Lud
Ano: 2019 || Gênero:  Romance de Época

Bora lá para mais um livro amorzinho, esse é o segundo livro de uma série composta por quatro livros. E estou muito ansiosa para a Harlequin publicar os outros com essas capas maravilhosas. *.*

E nessa história vamos conhecer um pouco mais a fundo a irmã da Irene - protagonista do primeiro livro - Clara Deverill. 

Com o casamento de Irene e a sua viagem de lua de mel, Clara fica responsável pelo jornal na ausência da irmã, mas tudo está sob controle, a coluna de Lady Truelove esta toda escrita para durar o tempo da viagem de sua irmã e seu irmão está voltando da America para assumir o jornal, enquanto isso, Irene contrata um novo editor para ajudar. Clara só precisa supervisionar a edição, aprovar e se preparar para os bailes da temporada. 

Tudo está indo conforme o planejado, até que Irene decide estender sua viagem e Clara é obrigada a escrever a coluna da Lady Truelove e, para piorar, seu irmão não parece estar a caminho e o editor é um verdadeiro tratante. O que mais poderia dar errado, não é? 

Mas sempre tem algo para piorar, e Clara se vê incapaz de escrever a coluna e aconselhar as pessoas das cartas. Ela tenta de tudo, até ir para uma casa de chá para ver se um novo ambiente a ajuda, e é então que ela vê um deus grego... Mas claro que ele teria que ser um verdadeiro patife. Escutando a conversa dele com o amigo, ela se vê presenciando um plano para enganar uma moça, e Clara não poderia deixar isso acontecer, não é mesmo?  

Então, o primeiro conselho escrito por Clara é um que não foi pedido por nenhuma moça, mas que pode ser de ajuda para muitas se livrarem de homens como aquele. A única coisa que Clara não contava era que o deus grego descobriria tudo, e agora ela precisa negociar uma saída que não destrua o jornal de sua irmã.



Vamos começar com o mais importante que é: Eu amei esse livro.

Às vezes você tem vários argumentos para explicar por que você gostou ou não de um livro, e nesse caso foi puramente sentimental. Quando eu acabei a leitura, eu estava com aquele sorriso no rosto e um sentimento de felicidade. 

A escrita da Laura continua maravilhosa, a leitura flui demais, e quando você vê, já acabou o livro. Mas acho que o que contribuiu para eu ter gostado muito desse, acho que até mais do que o anterior, foram os personagens. 

Clara não poderia ser mais diferente da irmã, sendo mais calada, romântica, e desejar para sua vida nada mais além de se casar e ter filhos, como qualquer outra moça na sua idade. Sendo a caçula, ela sempre foi protegida pela mais velha, nunca tendo que fazer ou se preocupar com nada, o que não a ajuda a se ver como boa em algo, ou mesmo parar de se comparar com sua irmã, que é perfeita em tudo.   

Rex tem aquele quê de menino levado que Henry (protagonista do livro um) não tinha. Ele tem um jeito mais descontraído, mais provocador, o que combina perfeitamente com a personalidade da Clara. E juntos eles protagonizam cenas encantadoras, mas Clara rouba a cena diversas vezes, conforme ela vai se entendendo como mulher e desabrochando para a vida. Mas Rex não fica atrás, ele tem seus próprios dilemas e fantasmas para lidar, mas ele tem esse lado romântico que não tem como não suspirar. Ele fala as melhores coisas, nos momentos certos. É só amor, mesmo.   

A relação entre a Clara e o Rex é tão gostosa de acompanhar, um misto de diálogos engraçados, cenas fofas, e em alguns momentos, assuntos muito importantes, como a autoestima e o poder de confiar em si mesma. 

O Desafio do Amor Verdadeiro é um livro leve, divertido e romântico que vai te conquistar desde as primeiras páginas e, no final, quando virar a ultima página, o sorriso em seu rosto será inevitável.



Compartilhe!

2 comentários :

  1. Lud!
    É sempre delicioso poder ler um romance fofinho, onde a protagonista é totalmente diferente da irmãa, entretanto, conforme vai se descobrindo em vários aspectos, vai ficando mais mulher, genial!
    E o Rex, hein? Deve ser um lindo.
    Já quero poder ler.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  2. Deve ser uma leitura gostosa, onde ficamos na torcida pelo casal e suspirando com o romance que parece
    ser muito fofo. Deve ser divertido quando ele descobre sobre a coluna no jornal onde ela da conselhos para as moças. É tão bom quando os personagens nos conquistam e deixam uma saudade quando a leitura termina.

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei