18 outubro 2019

[Resenha] Sejamos todos feministas - Chimamanda Ngozi Adichie

O que significa ser feminista no século XXI? Por que o feminismo é essencial para libertar homens e mulheres? Eis as questões que estão no cerne de Sejamos todos feministas, ensaio da premiada autora de Americanah e Meio sol amarelo.

"A questão de gênero é importante em qualquer canto do mundo. É importante que comecemos a planejar e sonhar um mundo diferente. Um mundo mais justo. Um mundo de homens mais felizes e mulheres mais felizes, mais autênticos consigo mesmos. E é assim que devemos começar: precisamos criar nossas filhas de uma maneira diferente. Também precisamos criar nossos filhos de uma maneira diferente."

Chimamanda Ngozi Adichie ainda se lembra exatamente da primeira vez em que a chamaram de feminista. Foi durante uma discussão com seu amigo de infância Okoloma. "Não era um elogio. Percebi pelo tom da voz dele; era como se dissesse: ‘Você apoia o terrorismo!’". Apesar do tom de desaprovação de Okoloma, Adichie abraçou o termo e - em resposta àqueles que lhe diziam que feministas são infelizes porque nunca se casaram, que são "anti-africanas", que odeiam homens e maquiagem - começou a se intitular uma "feminista feliz e africana que não odeia homens, e que gosta de usar batom e salto alto para si mesma, e não para os homens".

Neste ensaio agudo, sagaz e revelador, Adichie parte de sua experiência pessoal de mulher e nigeriana para pensar o que ainda precisa ser feito de modo que as meninas não anulem mais sua personalidade para ser como esperam que sejam, e os meninos se sintam livres para crescer sem ter que se enquadrar nos estereótipos de masculinidade. Sejamos todos feministas é uma adaptação do discurso feito pela autora no TEDx Euston, que conta com mais de 1 milhão de visualizações e foi musicado por Beyoncé.

Livro:  Sejamos todos feministas|| Autor: Chimamanda Ngozi Addichie
Editora: Companhia das Letras||Ano: 2014 || Tradução: Christina Baum
Gênero: Política, Sociologia, Biografia
 Classificação:  5 estrelas || Resenhista: Karina
Antes de falar propriamente sobre do que se trata o livro, precisamos relembrar que essa não é a primeira aparição da Chimamanda aqui, todos os mini livrinhos são adaptações de palestras, mas jamais podemos esquecer dos romances da autora que também já apareceram por aqui em forma de resenha!

Vale reforçar se é sua primeira vez aqui no ELB ou numa resenha sobre os livros da autora, que Chimammanda Ngozi Adiche é uma escritora nigeriana muito reconhecia por seus livros, principalmente na África, e luta em prol dos direitos da Mulher, mudou-se aos 19 anos para os Estados Unidos e já ganhou o Orange Prize (é um dos mais prestigiados prêmios literários no Reino Unido. Ele é concedido anualmente à melhor obra de ficção publicada no Reino Unido, durante o ano anterior à atribuição do prêmio).

Em 2012, Adiche realizou uma palestra no TEDxEuston (conferências realizadas com o intuito de disseminar ideias) a qual ela escolheu como tema do discurso "Sejamos Todos Feministas", este livro é uma versão modificada/adaptada do conteúdo discursado por Chimamanda que também está disponível na internet e já alcançou a marca de mais de 1 milhão de visualizações; não sei exatamente qual livro abriu os caminhos dela para o público da Europa e América, mas com certeza "Sejamos todos feministas" é uma ótima aposta para quem nunca entrou em contato com os pensamentos dela.





“Sejamos Todos Feministas” é um livro introdutório ao que significa ser feminista, com uma linguagem simples e direta, exemplifica através de situações já vividas por ela, o porquê deveríamos tentar diminuir o horror que algumas pessoas têm ao termo feminismo.

"Eu estou com raiva. A construção de gênero do modo como funciona atualmente é uma grave injustiça. Todos nós deveríamos estar com raiva. Esse sentimento, a raiva, é importante historicamente para as transformações sociais positivas, mas além de estar com raiva eu também estou esperançosa porque eu acredito profundamente na habilidade dos humanos de se reinventarem e se tornarem melhores. "

Quando decidimos colocar esse título entre os títulos de mulheres inspiradoras para se ler, é para que possamos parar e pensar como nos portamos diante de algumas situações, pois até mesmo os menores gestos imprimem o que somos e o que esperamos retornar das situações. 

Chimammanda lembra claramente da primeira vez que foi chamada de feminista, foi em uma conversa com seu melhor amigo, mais tarde novamente, a palavra para descrever seu outro livro lançado “Hibisco Roxo”, e a pergunta que fica é: Você se considera feminista? Quando foi a primeira vez que você se deu conta de ser feminista? Ou ainda, por que não ser feminista?





Este livro tem tão poucas páginas e ainda assim traz grandes reflexões; a questão de gênero é sim, muito importante em qualquer canto do mundo, se quisermos construir um mundo de seres humanos mais felizes.
"Quanto mais duro um homem acha que deve ser, mais fraco será seu ego. E criamos as meninas de uma maneira bastante perniciosa, porque as ensinamos a cuidar do ego frágil dos homens. Ensinamos as meninas a se encolher, a se diminuir, dizendo-lhes: "Você pode ter ambição, mas não muita. Deve almejar o sucesso, mas não muito. Senão, você ameaça o homem." 
Chimammanda tem outros títulos já publicados no Brasil como “Americanah” (2014), “Hibisco Roxo” (2011) e “Meio Sol Amarelo” (2008) todos pela Companhia das Letras. E seu discurso foi incorporado na música “Flawless” da Beyoncé. 

Eu não sei vocês, mas acho que já passou da hora da Companhia trazer essa mulher para o Brasil. Nossa intenção com essa temática aqui no ELB é que cada vez mais qualquer pessoa em situação de vulnerabilidade conheça seus direitos. Reconhecendo nosso privilégios, pretendemos levar de forma clara para qualquer um que esteja interessado, o maior número de pontos de vistas diferentes possíveis! 

Compartilhe!

6 comentários :

  1. OLá!
    Eu amo demais esses ensaios da autora!! Este livro me marcou demais, pois eu indiquei para todo mundo e até as não feministas passaram a refletir sobre algumas coisas que a autora coloca ali.
    Ainda quero ler seus romances.

    Silviane, blog Memento MoriParticipe do Top Comentarista de Outubro

    ResponderExcluir
  2. Karina!
    Não li ainda esse livro dela, mas tive oportunidade de assistir no youtube a palestra que ela deu eo feminismo está à flor da pele, ela sabe como se posicionar e como mostrar a real forma do feminismo.
    Estou com Americanah aqui para ler, espero fazê-lo em breve.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  3. Olá! ♡ Preciso urgentemente ler algo da Chimammanda! Ela sempre aborda temas importantes e que merecem ser discutidos.
    Acho importante que as pessoas tenham consciência do que de fato significa ser feminista. Já vi muita gente falar sobre o feminismo como se fosse algo terrível, e essas pessoas não poderiam estar mais enganada.
    Precisamos sim do feminismo se queremos um mundo melhor, como você disse. É preciso que as pessoas se informem mais antes de abrir a boca para falar de um tema que não conhecem verdadeiramente, é inadmissível julgarmos algo como ruim se nem ao menos pesquisamos sobre o assunto.
    Eu acho incrível a quantidade de conhecimento, de refleções que a autora consegue passar, mesmo em um livro tão pequeno.
    Concordo plenamente, a Companhia podia trazer ela para o Brasil, seria maravilhoso! Estou torcendo para que isso possa ocorrer em breve ♡
    Obrigada pela indicação, adorei a resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Admito que em vários momentos da leitura tive que parar e procurar saber mais sobre a autora e assistir as suas palestras. E que mulher fantástica.
    E de fato é muito importante apresentar o feminismo para outras pessoas, apresentar a sua importância na luta dos direitos iguais entre os gêneros, apresentar que o feminismo não é essa coisa ruim que muitos pintam por aí. E principalmente apresentar que sem o feminismo, nós mulheres, não teríamos conquistado o direito de muitas coisas.

    ResponderExcluir
  5. Oiii ❤ Eu definitivamente preciso ler os livros da Chimamanda! Esses trechos que você colocou do livro são incríveis, trazem ótimas reflexões.
    A proposta de explicar com objetividade o que é o feminismo, é ótima, pois é visível que ainda tem muitas pessoas que não entendem completamente o significado da palavra.
    Esse último trecho é bem triste, pois saber que a sociedade espera que a mulher sempre se diminua para que o homem se sinta superior, é difícil.
    Espero ler esse livro em breve, já que pretendo ler ele antes dos outros livros da autora.
    Parabéns pela resenha, você fez eu querer começar a ler esse livro agora mesmo rsrsrs ❤
    Beijos ❤

    ResponderExcluir
  6. Ainda não li nada da autora, mas tenho muita vontade de ler Hibisco roxo, mas também quero conferir seus outros livros, pois aborda temas importantes e reais, livros assim trazem informação e aprendizado para muitas pessoas. Uma leitura que nos deixa refletindo sobre atitudes e comportamentos dos outros e até os nossos. Também acho que a editora devia trazê-la para cá.

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei