28 outubro 2019

[Resenha] Até onde o amor alcança - Júlio Hermann

Talvez estar apaixonado seja uma das melhores sensações da vida. Saber que existe alguém que faz seu coração bater tão forte alegra o nosso dia, mas abrir o coração e deixar tudo para trás quando o amor acaba pode ser difícil. Mostrar vulnerabilidade, raiva, tristeza, perdão e reconhecer erros é o melhor caminho para crescer de verdade.
“Ninguém avisa a gente que amar faz a pele arder e o peito dilatar, seja com as coisas dando certo ou não. Contos de fadas não duram muitos dias na vida real, o amor é o que faz tudo valer a pena. Torço para que você seja feliz, e que possamos caminhar juntos. Hoje eu quero o para sempre, mesmo sabendo que não posso controlar tudo. Há coisas minhas que são tão suas, a ponto de eu não ter coragem de colocar uma roupa nova sobre elas, porque eu não quero te esquecer.”
“Foi muito bom te reencontrar nesse processo. Nas viagens de carro que fizemos, nas noites em restaurantes baratos e nos domingos de carnaval fechados em nosso próprio mundo, nós construímos algo especial.”
“Suportamos isso. Ignoramos inclusive as partes chatas da existência. Esses momentos difíceis retornam, de vez em quando. Contudo podemos nos perdoar e ter novas chances.” 

JURAMOS QUE DURARIA PARA SEMPRE MESMO SABENDO QUE O AMOR NÃO VIVE DE PROMESSAS, MAS NÃO VAMOS DESISTIR!
**Autor do sucesso “Tudo que acontece aqui dentro”





Livro: Até onde o amor alcança ||  Autor: Júlio Hermann
Editora: Faro Editorial|| Ano: 2019 ||  Gênero:  Crônicas
 Classificação:  3 estrelas  ||  Resenhista: Karina

Júlio Hermann entrega um livro cheio de sentimentos, se é autobiográfico, eu não posso afirmar, mas espero que ele tenha criado algum contexto daqui e não apenas baseado em suas próprias experiências, porque é muita coisa para se sentir na vida. 

Alguns textos sempre vão falar com você de maneira diferente, afinal falar sobre relacionamento é falar sobre si mesmo; no fim das contas falar sobre amor vende, isso porque as pessoas se identificam, mas a pergunta que eu me faço é: O que faz a gente se apaixonar por alguém? E reparem bem, eu uso o verbo apaixonar e não amar.

Eu, como uma pessoa que não vê o amor como muitos, tive uma certa dificuldade de gostar da totalidade do livro, porque eu como individuo discordei de algumas passagens marcadas pelo autor. Como não dá para falar de todos os textos um por um, vamos fazer um recorte nesse pedacinho de texto que abre o livro, concordamos que é uma frase de efeito, certo?

Me perguntaram se eu preferiria morrer a viver na miséria. Precisei pensar um pouco. O amor me deixou miserável tantas vezes. E todas as vezes que isso aconteceu, valeu a pena. Prefiro viver, eu respondi. As misérias não duram para sempre.
E logo de cara, esse trecho já me fez ficar com o pé atrás quanto a leitura, para que todo mundo entenda o que me agrada ou desagrada, preciso deixar claro que: Eu não acredito em amor a primeira vista, o máximo que existe é paixão... e eu odiaria ser acometida de paixão, porque o sentimento de paixão está ligado a Eros (aquele ser mitológico), é algo que queima, que cega, que destrói, logo algumas misérias podem durar sim, para sempre ou causar danos que irão durar.

Provavelmente todas as passagens que me incomodaram tem relação com o amor despertando essa sensação de dor, aflição...mas para mim, o amor não funciona assim, para ser amor tem que ser leve, tem que ser bom mesmo que não dure para sempre. Não existe aquilo "A não deu certo, nós terminamos." é lógico que deu certo, para uma coisa dar certo, ela não tem que ser para sempre. Não caia na armadilha de que vale a pena sofrer e suportar dores pelo amor.

Em contrapartida gostei muito dos textos que trazem o tom de um pedacinho que está na capa escrito assim: "Sobre escutar mais & outras coisas que nunca falei" o convite para se conhecer através do que já vivemos é uma boa receita para não cometer os mesmos erros numa relação futura.


O meu peito e o meu pulmão já não trabalham pela combustão do seu sorriso.

Se tem uma coisa que vai tirar muitos sorrisos do seu rosto enquanto você passa pelas páginas são as músicas que compõe cada novo texto, não sei se foi uma escolha  arquitetada ou só um bom gosto musical ali no momento da escrita, mas já adianto que vale muito a pena ler o livro com a trilha sonora sugerida rolando solto! A diagramação e todas as ilustrações sem dúvida tornam o livro uma experiência completa, mas até ai, não há nenhuma novidade, pois todos os livros que li até agora da Faro, o trabalho gráfico sempre me chama muito atenção.


Você coloca a ponta dos dedos nas minhas feridas.Diz que entende a dor.E entende.Mas não quer acabar com as cicatrizes, porque diz que elas me fazem crescer.

Como a temática do livro é um processo de reconstrução do amor, faz mais sentido ler os textos na sequência que estão organizados, mas eu tenho a impressão que se você decidir abrir o livro e ir lendo aleatoriamente,  também fará sentido. Esse é um daqueles livros que dependendo da fase da vida que você lê, o sentido é completamente diferente.

Compartilhe!

5 comentários :

  1. Karina!
    Livros que falam sobre o amor, para mim são sempre interessante, ainda mais quando estimulam o diálogo e a mannutenção do relacionamento através da conquista diária, da cumplicidade e do amor, não da dor...
    Vou discordar um tantinho sobre sua visão de amor...porque namorei e casei com meu esposo em apenas 60 dias e já estamos juntos há 19 anos, talvez não seja um para sempre, mas fazemos tudo para que seja até o final de nossa existência física aqui na terra.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  2. Oiii ❤ Essa capa é muito linda! Gostei dos detalhes, chamam muita atenção.
    Acho que gostaria desse livro já que acredito muito no amor, mas também me sentiria incomodada pois, igual a você, não acredito no amor à primeira vista. Acredito que possa haver paixão ou atração a primeira vista, mas não amor, pois acho que amor só vem com o tempo, com os momentos que compartilhamos com a pessoa viremos a amar.
    Acho que o amor de verdade não deve causar dor nem machucar, pois se isso acontece, pra mim não é amor.
    Gostei que é um livro que têm músicas entre os textos e isso é algo que adoro quando acontece.
    Ainda assim, acho que faria essa leitura.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir
  3. Olá! ♡ Eu acho a capa desse livro tão fofa! Já me deparei mais de uma vez com esse livro e não fazia ideia de que se trata de um livro de crônicas, mas adorei saber, pois esse é um gênero que eu gostaria de ler mais.
    Eu adoro livros cheios de sentimentos, que despertam as mais variadas emoções no leitor durante a leitura.
    Eu também não acredito em amor à primeira vista, para mim é impossível uma pessoa amar outra que não conhece nada sobre. Para mim, o amor vem com o tempo, conforme vamos conhecendo a pessoa e dividindo experiências com ela.
    De fato, o amor não causa dor. Se nos machuca e nos faz sofrer não é amor.
    Enfim, espero fazer essa leitura em breve, gostei bastante da proposta do livro!
    Obrigada pela indicação! Beijos! ♡

    ResponderExcluir
  4. Falar de sentimentos deve ser tão dificil pelo menos pra mim é, mas deve ser uma leitura gostosa de fazer, por falar de amor, mas também não acredito em amor a primeira vista, acho muito dificil isso acontecer, talvez a pessoa sente uma atraçãozinha logo de cara e o amor vai surgindo com o tempo. Pena que nem todos textos agradaram, mas acho que são como os contos nem todos agradam. Mas gostaria de ler e conferir esses.

    ResponderExcluir
  5. Achei interessante o livro por ser composto de vários textos (pelo que entendi).
    Não leio muito livros/textos que fazem de certa forma refletir, mas esse livro em especial me chamou muito a atenção, sendo pelo conteúdo ou pela forma que é estruturado. Certeza que lendo vou me identificar em alguns textos.

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei