03 setembro 2019

[Resenha] A madona e a Vênus - Catarina Muniz



1481, Florença, Itália. A cidade mais fremente do mundo, berço dos maiores pintores, arquitetos e escultores de toda a História, é o cenário de um intrincado triângulo amoroso entre a camponesa Francesca di Boscoli, a duquesa de Milão, Alessia Sforza, e o aspirante a pintor Vincenzo Mantovani. Francesca busca apenas paz em sua vida, já tão carregada de cicatrizes. Vincenzo espera ser reconhecido como um dos maiores artistas de seu tempo. E Alessia, a bela mecenas, busca impor sua vontade, custe o que custar! O Renascimento Cultural italiano é o pano de fundo deste romance que promete trazer ao leitor fortes emoções. Benvenuti!



Livro:  A madona e a Vênus||  Autor: Catarina Muniz||Editora: Universo dos livros

Classificação: 3 estrelas || Resenhista: Lud
 Ano: 2019|| Gênero: Romance de época, Nacional

Nesse livro vamos contar a história da sonhadora e inocente Francesca, uma camponesa que vive com os irmãos e o pai e está noiva. Tudo o que ela sonha é em se casar e constituir uma família. Faltando dois meses para o casamento, seu noivo entra em seu quarto, apesar de suas súplicas para que não, e o pai dela os flagra.

A partir desse momento, a vida da Francesca muda completamente: surrada pelo pai e abandonada pelo noivo, ela se vê sozinha e perdida, tendo que fugir para que o pai não a mate. Seguindo o conselho do irmão, ela vai para Veneza.

Claro que uma cidade como Veneza não trataria uma menina sozinha muito bem. E ela se vê obrigada a trabalhar em uma taberna, sendo tratada como uma escrava pelo casal dono do lugar. E em um dia em que serve as mesas ela conhece Vincenzo, que logo se interessa pela beleza da moça e deseja desenhá-la. Então, ele a convida para seu estúdio. Querendo uma vida melhor, ela vai visitá-lo, mas com uma criação tão simples, ela acaba achando que era coisas de mulheres da vida e volta para a Taberna.

Passando todos os dias sem comer direito e trabalhando muito, ela se vê acamada e quase morre, além de ser colocada para fora da taberna pelo ciúme da esposa do dono. Com medo de morrer, ela vai para o único lugar que conhece, a porta do pintor, onde desfalece, mas ao contrario de todos na cidade, ele a acolhe.

E assim se inicia a história do nosso casal, que precisa passar por cima de preconceitos, da sociedade e, claro, do receio que ambos carregam. 




Eu não tive contato algum com o livro antes de começar a lê-lo, apenas que era de uma autora nacional e era um romance de época.

Apesar de se passar em 1481, e assim sendo considerado de época, eu não achei que puxa a maioria dos elementos presentes quando lemos um dito romance de época. Então fiquei na dúvida para escrever a resenha e fui dar uma pesquisada no que caracteriza esse gênero de romance.

"Romance de época é um livro contemporâneo que se passa numa época passada, que pode ser determinada (tipo ter uma data fixa como um ano, ou apenas se situar num século, como século XVIII, XIX...), mas não se aprofundam no período histórico, usam apenas a cultura da época. Como livros que se passam no período vitoriano, aonde a mocinha precisa casar, e pra isso precisa seguir as regras da sociedade e talz..."

Baseado nessa definição, realmente está dentro do gênero, mas ao finalizar o livro, eu apenas senti que poderia ser um romance normal, como eu disse, faltou os elementos que sempre encontro em romances de época, como a exploração da parte da sociedade, no entanto, a diferença entre classes é muito bem marcada e discutida (aqui tem uma menção disso pelo pai do Vincenzo).

Todos esses elementos para mim compõe um romance de época, porque nada mais são do que a retratação de como era naquela época. E a história nesse livro gira muito em torno do par e nas questões internas, e claro, no romance. Como a maior parte do livro se desenvolve na casa dele, não temos muito da ambientação, e sim dos conflitos interno de ambos. Mas a parte da sociedade entra em alguns momentos, como a Francesca é tratada quando chega na cidade, e um pouco em como Vincenzo é manipulado pelo pai e Alessia.

Enfim, não sei se consegui explicar exatamente o que senti, mas acho que deu para entender um pouco.

Sobre os personagens, a mocinha é muito bem caracterizada, e as injustiças sofridas por ela são de apertar o coração. O mocinho tem suas questões familiares, mas achei que faltou um pouco de aprofundamento dele.

Outro ponto que tenho que citar, porque muitas pessoas às vezes procuram romance de época pela suavidade e leveza, nesse livro temos algumas cenas de sexo mais implícitas, e que, no entanto, me agradou. 

A escrita da Catarina é muito envolvente e ela sabe conduzir bem o leitor durante o enredo. Os locais são muito bem descritos, dando aquela sensação de estar 'vendo' o local, conforme vamos lendo. 

Bem, apesar das minhas ressalvas, eu gostei muito da leitura desse livro e da escrita da Catarina. Eu, com certeza, leria mais livros dela e estou ansiosa para os próximos. 

Compartilhe!

7 comentários :

  1. Oiii ❤ Ainda não conhecia esse livro, mas como amo ler romances de época, me interessei por esse.
    Achei muito triste tudo o que acontece com Francesca, quanto sofrimento. Espero que as coisas melhorem para ela.
    É uma pena que o mocinho não tenha tanto aprofundamento, pois adoro personagens muito bem construídos.
    Estou curiosa para saber onde a duquesa entra na história, que tipo de empecilho ela e o pai do personagem serão.
    Vou adicionar o livro à minha lista de leituras.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir
  2. Lud!
    Sou bem fã de romances de época, mesmo que tenham algumas variações como aqui.
    E se é de uma autora nacional, fiquei ainda mais curiosa, porque gosto de conhecer novas autoras nacionais,como escrevem, se expressam e como criam o enredo.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  3. Parece ser umas daquelas leituras que sofremos juntos com a protagonista e ficamos revoltada, quantas coisas tristes acontece com ela e acho que mesmo ela indo atras do pintar ainda vai ter por causa dos pais dele. Achei que ele poderia ser melhor trabalhado alguém com uma personalidade mais forte e decidido, pois ser manipulado pelo pai, quando isso acontece me da uma raiva rs.

    ResponderExcluir
  4. Agradeço profundamente a leitura e as palavras acerca do meu livro. Muito obrigada, significa muito pra mim ❤.
    Só uma observação: a cidade que Francesca vai é Florença, e não Veneza. 😉
    Grande beijo!

    ResponderExcluir
  5. Olá! ♡ Já me deparei algumas vezes com esse livro, mas nunca tinha parado para pesquisar sobre o que ele falava, só sabia que era um romance de época. Mas agora que sei sobre o que a história se trata, estou bem curiosa para conferi-la.
    Não me lembro de ter lido um livro que se passasse na Itália, muito menos um romance de época, então acho que vai ser uma ótima experiência.
    Quero muito conhecer os personagens e ver a relação entre os protagonistas evoluir.
    Pena que o mocinho não foi tão bem aprofundado como poderia ser.
    Obrigada pela indicação, com certeza vou fazer essa leitura, quero muito conhecer a escrita envolvente da Catarina.
    Beijos! ♡

    ResponderExcluir
  6. Parece que não foi aquele romance de época esperado, porém agradável. Eu leria esse livro com tranquilidade, pois é o estilo que amo, so não gosto das partes de injustiças, isso me irrita em qualquer leitura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Quando se fala em romance de época, esperamos uma historia fofa e bem clichê. Eu amo esse gênero, adoro os livros que leio e são retratado aquela época. Adorei o livro, tem uma ótima premissa e adorei muito sabe que é uma autora nacional. Vou adorar ler!

      Meu blog:
      Tempos Literários

      Excluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei