12 agosto 2019

[RESENHA] Um Cavalheiro a Bordo - Os Rokesbys # 3 - Julia Quinn

Ela estava no lugar errado…
Durante um passeio pela costa, a independente e aventureira Poppy Bridgerton fica agradavelmente surpresa ao descobrir um esconderijo de contrabandistas dentro de uma caverna.
Mas seu deleite se transforma em desespero quando dois piratas a sequestram e a levam a bordo de seu navio, deixando-a amarrada e amordaçada na cama do capitão.
Ele a encontrou na hora errada…
Conhecido entre a alta sociedade como um cafajeste e um corsário inconsequente, o capitão Andrew James Rokesby na verdade transporta bens e documentos para o governo britânico.
No meio de uma viagem, ele fica assombrado ao encontrar uma mulher na sua cabine. Sem dúvida sua imaginação está lhe pregando peças. Mas, não, ela é bastante real – e sua missão para com a Coroa o deixa preso a ela.
Será que dois erros podem acabar no acerto mais maravilhoso de todos? Quando Andrew descobre que Poppy é uma Bridgerton, entende que provavelmente terá que se casar com ela para evitar um escândalo.
Em alto-mar, as disputas verbais entre os dois logo dão lugar a uma inebriante paixão. Mas depois que o segredo de Andrew for revelado, será que ele conseguirá conquistar o coração dela?


 Livro:  Um Cavalheiro a Bordo||  Série: Os Rokesbys # 3  ||Autor: Julia Quinn
Ano: 2019 ||  Editora: Arqueiro|| Gênero: Romance de época/Ficção
Classificação: 4 estrelas || Resenhista: Luci

Skoob || Compre || Editora
Resenha do livro 01 || 02





No intervalo da temporada de bailes dos salões londrinos, Poppy Bridgerton está descansando no litoral, na casa de sua amiga Elizabeth. Seu espírito aventureiro e sua natureza curiosa não a permite desfrutar calmamente o idílico litoral, ela é simplesmente instigada a explorar o local. E é assim que acaba explorando uma caverna e encontrando um "tesouro" pirata... junto com os piratas, que a sequestram e a levam a bordo do navio, para que o capitão decida seu destino.

O capitão do navio é Andrew James Rokesby, que após se afastar do serviço militar, age sob o disfarce de um comandante de um navio, com o intuito de transportar importantes documentos ingleses da coroa britânica ao seu destino. Prestes a partir para um nova missão. é surpreendido pelos seus dois homens, que encontraram uma jovem curiosa em seu mais secreto esconderijo. Como uma forma de se prevenir, ele decide levá-la nessa viagem. Quando descobre a qual família Poppy pertence, Andrew decide manter em sigilo sua própria identidade.

Condenada a passar duas semanas trancada dentro de uma cabine no navio, Poppy tem apenas como companhia ocasional um funcionário do navio e mais constantemente do "Capitão James", com quem troca constantes farpas. Sim, ela não fica se lamuriando pensando na sua reputação que poderá ser arruinada para sempre, se alguém descobrir o motivo do seu sumiço, ela o enfrenta sem medo, mesmo que isso pareça diverti-lo e o faça provocá-la em um delicioso jogo de palavras que a tira do tédio de sua prisão.

Com certeza, a senhorita Poppy Bridgerton foi uma surpresa para Andrew, mas, o que ele pensou se tornar um inconveniente na sua viagem, acabou por se revelar uma graciosa distração, e ele se vê pensamento em diversas formas de distrair sua refém, o que os levam a um contato maior, e mais; os levam a revelar mais de si, e alinda que separa refém e sequestrador lentamente é apagada, deixando no lugar um homem e uma mulher que desejam algo mais um do outro...



Devo falar que temi um pouco sobre a leitura desse livro, porque mais da metade dele se passa no navio, então a história se centrou muito nos dois protagonistas, os personagens secundários se relegaram a isso, em apenas serem secundários, sem muito se mostrar ou agir na trama. Pessoalmente, gosto de histórias onde há a interação de todo o entorno, onde todos dão vida à história. No entanto, Julia Quinn sabe elaborar muito bem os diálogos dos seus livros, o que garantiu uma interação perfeita entre os dois protagonistas, e foi muito fácil passar por cima disso, considerando a pouca mudança de cenário. A narrativa, que pensei se tornar cansativa por esse detalhe, não decepcionou, desenvolveu-se muito bem, foi leve e bem eloquente.

Sobre os personagens, eu já tinha uma imagem mental do Andrew, por causa do livro 01 da série, então claro que estava ansiosa por ele. Ele é um personagem leve, espirituoso, não carrega dramas desnecessários. Poppy se tornou o seu par perfeito, pois ela tem uma personalidade bem compatível com a dele, não abaixa a cabeça de forma alguma, nem se lamenta diante das situações adversas. De fato, foi isso o que mais me agradou na personagem, sua forma de ver a situação sob vários ângulos e não se desesperar por isso. E não hesita quando se descobre apaixonada por Andrew, mesmo sem conhecer sua verdadeira identidade.

Enfim, encantei-me com a história engraçada dos dois, achei muito bacana a forma gradual como foram se conhecendo, despertando o desejo um do outro. Senti falta de uma maior aventura no mar, mas isso não apagou o brilho da história, pelo contrário. Fiquei muito satisfeita em conhecer mais um dos membros da família Rokesby, e já estou ansiando pelo próximo livro. No fim, é mais uma história de Julia Quinn para o leitor se apaixonar.

Compartilhe!

3 comentários :

  1. Olá! Eu adoro a Julia Quinn e o que mais admiro nos seus livros, é a sua capacidade de criar diálogos divertidos, cativantes e muito bem formulados!
    Poppy parece de fato uma personagem incrível, cheia de personalidade, que sabe o que quer e não abaixa a cabeça para ninguém, afinal, ela é uma Bridgerton.
    Outra coisa que chamou muito minha atenção e me agradou bastante é que a história se passa longe dos salões de baile e da sociedade londrina, ultimamente venho gostando muito de romances de época que se passam em ambientes mais diferenciados.
    Enfim, praticamente tudo nesse livro me encantou, a premissa, os personagens muito bem construídos e suas personalidades... Com toda certeza vou fazer a leitura desse livro!
    Adorei a resenha e muito obrigada pela indicação!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Ainda não li nada da autora. Parece ser uma historia muito gostosa de ler e divertida também, adoro quando o casal fica soltando farpas, é emocionante acompanhar o interesse que vai surgindo entre eles, da aquela sensação de felicidade, gostei da protagonista ela parece ser bem decidida. Que bom que não ficou uma leitura chata devido não ter muita participação dos personagens secundários.

    ResponderExcluir
  3. Oiii ❤ A cada resenha que leio sobre os livros dessa série, fico mais empolgada para lê-la.
    Achei bem intrigante e divertida a forma que Poppy e Andrew vão se conhecer, Julia Quinn, como sempre, ousando na criatividade. Fico imaginando o que Andrew deve ter pensado na hora que a encobtrou na cama de sua cabine.
    Achei legal que Andrew não parece um mocinho típico dos romances de época que já li, gosto muito que ele tenha um trabalho diferente.
    Que bom que mesmo os personagens secundários não tenham tantas aparições no livro e que boa parte da história se passe no navio, a trama é ótima.
    Preciso começar a ler essa série pra poder ler esse livro, que até agora, foi o que mais chamou a minha atenção dos Rokesby.
    Beijos ❤

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei