14 agosto 2019

[Resenha] Através do Vazio - S.K Vaughn



Em Através do Vazio, ficção científica e suspense se misturam, construindo uma trama complexa e emocionante que mantém o leitor envolvido até a última página.É Natal de 2067. Os acordes de uma música natalina ecoam pelas ruínas de uma espaçonave que flutua pela escuridão. Lá dentro, May desperta lentamente ― a única sobrevivente de um acidente desastroso na primeira viagem tripulada a Europa, a lua de Júpiter. Sozinha no vazio do espaço, em uma nave caindo aos pedaços, May tenta desesperadamente reencontrar o caminho para a Terra. A única pessoa capaz de ajudá-la é Stephen Knox, um cientista brilhante da Nasa... e um homem que ela magoou profundamente antes de partir.
Enquanto ela batalha pela própria sobrevivência e sinais de sabotagem começam a vir à tona, a voz de Stephen parece ser a única coisa capaz de atravessar o vazio insondável do espaço e levá-la de volta para casa em segurança.


Livro: Através do vazio|| Autor: S.K Vaughn
Editora: Suma de letras||Ano: 2019 || Gênero:  Ficção cientifica/ Suspense
 Classificação:  4 estrelas || Resenhista: Karina

Skoob | Compre |Editora
Lançamento da Suma de letras que recebemos via Netgalley para ler, mas que já está nas livrarias. 

A história se desenvolve em sua maioria dentro de uma nave espacial que fica à deriva, a única sobrevivente humana dessa nave não tem ideia do que destruiu sua tripulação, e vai encontrar na sua AI (inteligência artificial) a companhia necessária para manter a sanidade mental!

May ou comandante Knox é uma mulher, bi racial, inglesa que estava incumbida de ir até Europa, uma lua de Júpiter para explorar as condições de vida no “planeta” já que aparentemente em 2067 não aprendemos muita coisa e ainda continuamos estragando o planeta terra.

May acorda sem memória no primeiro capítulo, numa nave quase que completamente destruída e sem comunicação nenhuma com a Nasa. Enquanto May explora a nave esperando encontrar alguém ou alguma resposta, ela desenvolve uma relação com a inteligência artificial que passa a se chamar Eva que põe muito em cheque mesmo que sutilmente o quanto o ser humano precisa de companhia para não surtar! 


May é casada com Stephen um engenheiro espacial que em parte da narração estava em órbita ajudando a tripulação de May na missão Europa e em parte está na terra; porém, ela perdeu as memórias dos recentes acontecimentos, incluindo os acontecimentos em seu casamento e retomar o contato pode causar grandes surpresas!

A mente humana não foi concebida para compreender a expansão infinita do universo e o silêncio frio e absoluto do vácuo.

[...] os humanos gostam de acreditar que são lógicos, mas a maneira como vivemos diz exatamente o contrário. Somos mais impulsionados por emoções, que têm uma lógica própria, mas provavelmente não uma lógica que faça muito sentido. 
Os elementos científicos que são apresentados justificando os fatos não são daqueles que pesam a mão não, a narração é bem tranquila e até que intuitiva em seus termos científicos, o que definitivamente nos prende ao plot é o que aconteceu a May? Quem ela é? Houve sabotagem? Será que ela será resgatada a tempo?

Há momentos de narração que acontecem em forma de flashbacks tanto do ponto de vista de May quanto do marido dela e se tem uma coisa que minha bagagem de leitora de livros de ficção cientifica me deu foi a desconfiança, em livros com plots no espaço, eu SEMPRE reservo espaço para desconfiar de TODOS os personagens e o suspense criado aqui deixa bastante espaço para desconfiar de tudo e todos, foi uma delícia.

Se não tivéssemos felizes e satisfeitos como indivíduos, seriam dois chatos ressentidos, vulneráveis e insuportavelmente maçantes, como praticamente todos os outros casais do planeta.

Alguns personagens secundários roubam nossa atenção e coração (eu particularmente amo as inteligências artificiais...melhor que muito ser humano por aí rs), o Raj, melhor amigo do marido da May, é facilmente correlacionado com qualquer nerd que amamos nas séries de tv e todo o humor britânico que é bem caracterizado na narração são a cerejinha do bolo.

Só tem essa coisa chamada movimento orbital. Talvez você tenha ouvido falar. Planetas se movendo ao redor do Sol e coisa e tal. A menos que você seja um desses merdinhas que acham que a Terra é plana.

Sem nem perceber, a história desenvolve questionamentos super relevantes de como tendemos a nos relacionar como nossas amizades, nossos desafetos, amores, decepções e com o luto.

A única coisa que me fez tirar uma estrela da minha experiência de leitura foi a maneira corrida dos últimos capítulos, mesma já desconfiando do que seria a resolução de todo o drama, as cenas finais foram corridas demais e eu queria um pouco mais de como tudo ficou depois daquele fatídico plano de resgate.

Finalizo essa resenha frisando que se você tem vontade de começar a ler mais ficção cientifica, mas tem receio, esse é o livro perfeito e você ainda vai encontrar suspense, romance e uma boa dose de reflexão, não poderia ser melhor!

Compartilhe!

4 comentários :

  1. Olá! ♡ Não leio muito ficção científica, mas o enredo desta me agradou. Acho que essa mistura de ficção científica, suspense e romance pode funcionar muito bem.
    Estou bem intrigada para saber o que aconteceu com a tripulação de May e como ela perdeu sua memória. Espero que ela seja resgatada a tempo e que recupere a sua memória.
    Gostei que Vaughn inclui na obra flashbacks de May e do marido, na minha opinião isso deixou a trama mais interessante ainda junto com o suspense que permeia a mesma.
    O livro parece ótimo, mas peca demais no desenvolvimento do final que foi corrido, sendo que o desfecho por ser uma parte extremamente importante da história tem que ser muito bem desenvolvido e sem pressa nenhuma.
    Muito obrigada pela indicação, vou adicionar Através do Vazio imediatamente na minha lista de leituras.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Adoro quando tem suspense envolvido deixa a trama mais instigante, é um gênero que quase não leio devido aos termos científicos serem complicados, mas esse parece ser de fácil compreensão. Fiquei muito curiosa em saber quem é o sabotador, as inteligências artificiais são muito fofas, nos conquistam fácil, fácil, quer dizer algumas, quando estão do lado do bem rs. Pena ter esse final corrido, também não gosto deixa a sensação que ficou mal explicado, ou até faltando algo, mas mesmo assim gostaria de fazer a leitura.

    ResponderExcluir
  3. Oiii ❤ Eu realmente tenho receio em ler ficção científica, já que algumas me deixaram um tanto confusa só de ler a sinopse e ver que tinha muito a ser absorvido sobre a trama. Mas, como esse livro parece incrível e como você disse, é ótimo pra quem tem receio de ler o gênero, vou querer dar uma chance a essa obra, com certeza.
    Bom saber que tem suspense na história, pois adoro esse tipo de coisa já que nos faz imaginar mil e uma teorias para os nosso questionamentos e no final sermos surpreendidos ao saber o que realmente era.
    Quero ver como será para May estar perdida no espaço e ainda por cima, sem memória. Deve ser legal ver a relação que ela desenvolve com a inteligência artificial. Concordo que o ser humano precisa sempre estar se comunicando, é uma necessidade nossa.
    Estou curiosa sobre os personagens secundários, já que eles parecem ótimos. Quero muito conhecer Raj ❤
    Beijos ❤

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Gosto bastante de livros científicos onde faz o leitor viajar pelo cenário que são criados. Eu fiquei bastante curiosa por esse livro, tem uma premissa muito boa. As vezes livros assim e deixa o final bastante corrido é muito ruim, também não me agrada muito.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei