02 julho 2019

[RESENHA] Uma Loucura e Nada Mais - Mary Balogh

TERCEIRO VOLUME DA SÉRIE CLUBE DOS SOBREVIVENTES.
Mary Balogh já vendeu mais de 100 mil exemplares pela Arqueiro e é presença constante na lista de mais vendidos do The New York Times. 
Depois de sobreviver às guerras napoleônicas, Sir Benedict Harper está lutando para seguir em frente e retomar as rédeas de sua vida. O que ele nunca imaginou era que essa esperança viesse na forma de uma bela mulher, que também já teve sua parcela de sofrimento.
Após a morte do marido, Samantha McKay está à mercê dos sogros opressores, até que planeja uma fuga para o distante País de Gales para reivindicar uma casa que herdou. Como o cavalheiro que é, Ben insiste em acompanhá-la em sua jornada.
Ben deseja Samantha tanto quanto ela o deseja, mas tenta ser prudente. Afinal, o que uma alma ferida pode oferecer a uma mulher? Já Samantha está disposta a ir aonde o destino a levar, a deixar para trás o convívio com a alta sociedade e até mesmo a propriedade que é sua por direito, por esse...

 Livro: Uma Loucura e Nada Mais
Série: Clube dos Sobreviventes # 3 ||Autor: Mary Balogh
Ano: 2019 ||  Editora: Arqueiro|| Gênero: Romance de época/Ficção
Classificação: 5 estrelas || Resenhista: Luci

Skoob || Compre || Editora
No terceiro livro da série Clube dos Sobreviventes, vamos conhecer Samantha McKay, uma jovem viúva que vive sob a vigilância ferrenha de sua cunhada, que segue normas rígidas de comportamento, tudo de acordo com o que o patriarca da família determina.

Há quatro meses em luto, só resta a ela seguir essas rígidas convenções sociais totalmente distorcidas, o que equivale a uma prisão domiciliar, cujo carcereiro é a cunhada. Na verdade, sua prisão iniciou depois de quatro meses de casamento, quando seu marido foi à guerra e ela teve que ficar com a família dele. Depois passou anos cuidando dos seus ferimentos de guerra até que ele morreu. Ao total, são seis anos de pressões e de ter a personalidade tolhida. Em Samantha, o desejo de poder respirar livremente sem todas essas convenções, está cada dia mais forte. E por incrível que pareça, um quase acidente é o início da sua liberdade.

Sir Benedict Harper saiu gravemente ferido das Guerras Napoleônicas. Por pura determinação, não consentiu ter as pernas amputadas, e agora, seis anos depois da sua baixa no exército, depende de muletas para se locomover. Os ferimentos físicos não atingiram somente sua capacidade de se locomover livremente, mas também o afetou além do físico, tanto que se sente inseguro para gerir seus negócios.

Recluso na casa da irmã, decide desafiar a si mesmo e os limites do seu corpo, ao sair para cavalgar e instigar seu cavalo a dar um salto... que quase atinge uma mulher e um cachorro histérico. Mais tarde, ele descobre que a mulher coberta de preto é Samantha, e determinado a se desculpar por quase a ter pisoteado com seu cavalo, acaba se aproximando da jovem, começando uma inusitada amizade, misturada com um certo desejo de algo mais, que acaba complicando mais ainda a situação da jovem viúva.

Samantha não estava disposta a perdoar Benedict por seu ato imprudente a cavalo, mas estranhamente começa a criar um certo vínculo com o cavalheiro, a ponto de se expor completamente a ele, inclusive seus mais íntimos anseios. Só que sua amizade atrai a ira do seu sogro, que determina que agora ela fique sob seu rígido olhar, para não sujar o nome da família com seu comportamento imprudente.

Determinada a fugir disso tudo que a oprime, providencialmente lembra de ter herdado um pequeno chalé da sua tia-avó. Assim, ela embarca em uma viagem com o objetivo de viver sua própria vida, e mais, tendo como companheiro de aventura Benedict, que ainda está disposto a deixar as suas responsabilidades de lado e  explorar os sentimentos que um desperta um no outro.

E ao fim dessa viagem, ambos vão reencontrar a si mesmos, através de sentimentos completamente inesperados.



Venho acompanhando essa série cada vez mais ansiosa pelo próximo lançamento. Mary Balogh transporta para as páginas cada nuance de sentimentos dos personagens, nos presenteando com histórias belíssimas.

Creio que a cada livro, a escritora através dos personagens, nos mostra que o que nos limita não são os problemas físicos que possamos ter, mas sim nós mesmos, quando nos limitamos somente a eles.

É o caso de Benedict. No início, o vemos totalmente limitado, frustrado pelas suas limitações. Até embarcar na ideia de Samantha e seguir viagem com ela, o vemos voluntariamente preso em suas limitações. Depois, quando ele forma essa dupla tão perfeita com a viúva que considerava uma bruxa, o vemos florescer; na verdade, eles florescem juntos, pois Samantha nunca teve realmente a oportunidade de se mostrar como realmente é, sempre presa às convenções impostas por um casamento infeliz.

Amei como o relacionamento dos dois fluiu, em um universo de romances cheios de “instalove”, foi muito agradável ver a paixão deles evoluir e não parar somente no desejo, mas em um amor que os fez se dedicar um ao outro, ao mesmo tempo que se tornam livres de tudo que os prendiam.

Outro ponto positivo são os diálogos, eles foram elaborados de forma inteligente, dando mais um quê especial à trama. A edição está linda como sempre, nem vou comentar sobre essas capas que são um amor. 

Enfim, depois dessa leitura, só me resta aguardar ansiosamente pelo próximo membro do Clube dos Sobreviventes.

Compartilhe!

5 comentários :

  1. Lucilene!
    Não cheguei a ler nenhum livro da série, mas gosto muito da autora.
    Ver que esse exemplar traz grande aprendizado para o leitor e amadurecimento das personagens, traz aquela sensação de um livro bem envolvente, ainda mais por ter diálogos interessantes.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  2. Oiii ❤ Ahhh, que fofura de livro! Ainda não li nada da Mary Balogh, apesar de já ter ouvido falar muito bem de Os Bedwyns. Espero começar a ler seus livros em breve.
    Que horrível essa situação enfrentada por Samantha, ter que viver reclusa por culpa da cunhada.
    Benedict parece um mocinho de derreter corações. Espero que ele possa superar essa insegurança ao lado de Samantha.
    Não vejo a hora de ver o romance entre os dois personagens se desenvolver ❤

    ResponderExcluir
  3. Parece ser uma historia muito bonita, com uma grande lição que o personagem nos mostra, que apesar das suas dificuldades ele deu a volta por cima e começou a viver de verdade. Que situação da protagonista ter que viver presa e controlada, fiquei me imaginando no lugar dela, também não iria aguentar, essa busca dos dois pela liberdade de viver do jeito que querem trás um conforto no coração e uma alegria.

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Sabe, já tinha visto o lançamento e alguns do livro do a serie mas não tinha lido nada sobre. Agora lendo a resenha me deixou bastante intrigada com ela e com muita curiosidade da historia da personagem.Espero ter a oportunidade de ler em breve!

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  5. Olá! ♡ Não sou fã de instalove, acho muito melhor quando o relacionamento dos personagens vai se desenvolvendo aos poucos à medida que eles vão se conhecendo. Fico muito feliz em saber que a autora focou em trabalhar a evolução do relacionamento da Samantha e do Benedict!
    Espero que juntos ambos possam se livrar do que os prende e sejam felizes.
    Ainda não li nenhum livro dessa série, mas o que não falta é vontade. É uma premissa mais empolgante que a outra e as capas são maravilhosas.
    Beijos! ♡

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei