02 maio 2019

[Resenha] Ninguém Pode Saber - Karin Slaughter


Andrea sabe tudo sobre sua mãe, Laura. Ela sabe que Laura sempre viveu na pequena cidade costeira de Belle Isle; sabe que a mãe nunca desejou nada além de uma vida serena como integrante da comunidade; e sabe que ela jamais guardou um segredo na vida. Afinal, todos conhecemos nossas mães, certo?
Mas tudo muda quando uma ida ao shopping se transforma em um cenário de violência e caos, e Andrea conhece um lado completamente novo de Laura. Parece que sua mãe, antes de ser Laura, era outra pessoa. Durante quase trinta anos ela escondeu sua identidade, vivendo sossegadamente na esperança de que ninguém descobrisse quem era de verdade. Agora, exposta, nunca mais poderá viver como antes.
A polícia quer respostas e a inocência de Laura está em jogo, mas ela se recusa a falar com quem quer que seja, inclusive com a própria filha. 

Livro: Ninguém Pode Saber || Autor: Karin Slaughter
Editora: HarperCollins || Ano: 2019 || Gênero: Suspense e Mistério
 Classificação:  3 estrelas || Resenhista: Anne

Laura e Andrea são mãe e filha respectivamente. As duas voltaram a morar juntas desde que Laura passou por um câncer há alguns anos atrás. Aos trinta e um anos, Andrea segue uma vida frustrante. Ela trabalha como atendente na central de emergência, e vê seus sonhos indo embora a cada dia que passa naquele lugar.  Certo dia, as duas decidem passar o dia no shopping e param pra almoçar. Durante esse período, um atentado acontece. Um jovem armado entra no restaurante e atira na ex namorada e sua mãe. Ele acaba fazendo os outros de refém e em determinado momento, ameaça Andrea com a arma. Num ato de coragem, Laura decide defender sua filha e enfrenta o atirador, entrando numa disputa, onde ela acaba lhe dando uma facada em seu pescoço.

O vídeo do ocorrido tem rodado a cidade através dos jornais e a população e as autoridades não entendem como uma senhora pôde matar tão brutalmente aquele jovem. Depois disso, Laura decide que Andrea deve sair de casa até as coisas com a polícia se resolverem e que é hora da filha viver sua própria vida. O combinado era que a moça deveria sair da casa da mãe naquela mesma noite, só que antes disso, outras coisas muito suspeitas acontecem. Ainda assim, mesmo sem entender, Andrea vai embora e decide procurar respostas sobre o passado de sua mãe, que parece estar escondendo coisas perigosas.



Com essa premissa, é possível deduzir que será um livro cheio de ação e mistério, entretanto, apenas esse início é eletrizante. A leitura perde o ritmo e continua assim até o final. É um livro denso, com muitos detalhes, que às vezes cansam um pouco. Os capítulos são compridos, além disso, não há nada de surpreendente, muito pelo contrário, a história chega a ser previsível em certos momentos. Então, se você leu Flores Partidas, sugiro que não venha com a mesma expectativa para ler esse obra, é um segmento completamente diferente.

O livro intercala duas histórias: A fuga e busca por respostas de Andrea, e um atentando ao dono de uma famosa corporação lá no ano de 1986. As histórias acabam se ligando ao decorrer do livro e não sei se a autora tinha a intenção de surpreender o leitor de alguma forma, se teve, não funcionou bem. Eu que geralmente demoro a captar as coisa, descobri o que estava acontecendo logo no começo. 

No geral, os personagens me agradaram, apenas uma me incomodou bastante e foi justamente a protagonista. Andrea possui características muito infantis, o que é estranho, já que ela é uma adulta. Suas atitudes são nada convincentes, ela é uma mulher com mais de 30 anos e é totalmente dependente da mãe, fica completamente perdida quando ela não está por perto. Muitas vezes tem dificuldades até em formar frases completas quando está sozinha.

De certa forma, essas características da protagonista acabaram prejudicando o bom ritmo da leitura. Parecia que nada ia para frente enquanto ela estivesse sozinha. Creio que se Andrea fosse mais ativa, mais corajosa, o livro seria muito mais atrativo e teria uma maior carga de emoção, que é exatamente o que o gênero precisa.

Já as cenas de 1986 mesmo sendo um tanto extensas, são mais interessantes. Vemos todo um plano sendo executado, os personagens estão bem tensos e o ritmo melhora um pouco. Nesses capítulos, o relacionamento entre Jane e Nick fica em evidência. É claramente um relacionamento abusivo, então nos deparamos com algumas cenas bem sufocantes. Nick é muito persuasivo, então consegue prender não só Jane, mas os outros membros do grupo também.

Um ponto interessante na leitura é a relação entre mãe e filha. No começo, estranhei a forma como Laura mandou Andrea sair de casa sem maiores explicações, mas durante a leitura é possível entender seus motivos e perceber que o que mais havia era amor por trás de suas atitudes. Essa questão amarra qualquer ponta solta da história e o final é condizente com toda a leitura. Enfim, é um livro que muitas pessoas não vão gostar, principalmente se estiverem esperando muita ação, mas acho uma leitura válida, ainda mais para quem já leu algo da autora e poderá conhecer esse seu outro lado da escrita. 

Compartilhe!

9 comentários :

  1. Thuanne!
    O estilo thriller psicológico é daqueles que tem de ter conformidade em vários aspectos para poder envolver o leitor completamente.E se a protagonista é uma mulher madura, porém totalmente dependente da mãe, fica um tanto estranho, concorda?
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rudy! O livro realmente tem tudo para envolver o leitor, só que a autora infelizmente decidiu seguir por uma linha não tão atrativa :/
      As atitudes da protagonista a tornam pouco convincente, uma pena!

      Excluir
  2. Olá!
    Adorei o livro, tem uma premissa muito boa e uma historia muito bem envolvente. Amo muito Thriller e estou querendo muitas dicas de leitura desse gênero. Mas fiquei um pouco receosa por ver que você assim não ficou tão satisfeita com a leitura, espero que quando eu leia possa muda a ideia né.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lily!
      O livro não teve tanta ação quanto eu esperava, mas pode ser que você goste da história.
      Aqui no blog tem muitas resenhas de thrillers, dá uma conferida, tenho certeza de que vai se interessar por várias obras. ;)

      Excluir
  3. Oi Thuanne,
    Tenho lido ótimas recomendações sobre os livros dessa autora e considerando o gênero que ela escreve, com certeza, vou querer ler suas obras. Livros que abordam relacionamento entre mãe e filha muito me interessam e quando estes vem com a promessa de um bom mistério fico ainda mais curiosa. Fico imaginando o choque de Andrea ao ver a mãe reagir em uma situação com reféns e claro que isso seria o começo de questionamentos e desconfianças. A personalidade de Andrea não parece ser muito interessante e deveria ser bem o oposto, principalmente quando se está em uma busca por desvendar segredos envolvendo sua mãe. Para quem não conhece a escrita de Karin Slaughter, Ninguém pode saber me parece ser um bom começo, pois mesmo não sendo a melhor obra da autora é uma boa forma de introduzir o leitor em sua escrita.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gislaine!
      Também recebi ótimas recomendações sobre a autora, mas infelizmente essa obra não atingiu minhas expectativas, pois eu realmente estava esperando algo com muito mais ação. Mas acho que os leitores devem sim ler essa obra para conhecerem por completo a escrita da autora.

      Excluir
  4. Achei bem interessante o enredo. É uma pena saber que essa trama toda fica bem lenta e sem ação boa parte do livro. Essa parte infantilizada da personagem com 30 anos deve ser realmente irritante. Mas é bom saber disso antes, vou estar preparada para isso. kkkkkkk

    ResponderExcluir
  5. Oi Nil!
    Essa questão da protagonista foi um problema para mim durante toda a leitura, espero que não seja para você e espero também que goste da leitura!

    ResponderExcluir
  6. Fiquei até empolgada no começo da resenha, achado que a leitura seria eletrizante até o fim, que pena que depois as coisas esfriam, nesse tipo de leitura gosto bastante da ação e do mistério, embora despertou curiosidade em saber sobre o passado da mãe, pois suas atitudes são estranhas deve ter segredos aí, mas detesto personagens assim infantis, mesmo com os acontecimentos ela deveria dar uma amadurecida, mas parece que não.

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei