03 abril 2019

[Resenha] Vergonha - Brittainy C. Cherry

Um amor inesperado que surge de forma inusitada e arrebata a vida de Grace Harris. Grace Harris está perdida e sozinha em sua casa em Atlanta depois que o homem que ela pensou que ficaria a seu lado pelo resto da vida traiu sua confiança, partiu seu coração e saiu de casa, deixando seu casamento em suspenso. Grace resolve, então, passar o verão com a família em Chester, sua cidade natal, para respirar, dar um tempo de tudo. Sua vida está uma bagunça e o que ela precisa no momento é de um pouco de gentileza e compaixão.
Por incrível que pareça, Grace encontra isso na pessoa mais improvável de todas: Jackson Emery, a ovelha negra da cidade. Conhecido como a erva daninha de Chester, ele é sinônimo de encrenca, e não faz nada para mudar essa imagem. Tendo perdido na infância o que havia de mais valioso na vida, Jackson se tornou um homem amargurado e não dá a mínima para o que pensam dele. Os caminhos de Grace e Jackson acabam se cruzando de um jeito inusitado e a tristeza profunda que carregam atrai os dois como ímã. Ambos sabem que não foram feitos um para o outro, mas, como tudo vai acabar mesmo com o fim do verão, resolvem deixar rolar e se entregar a uma diversão passageira.
Porém, o que Grace não imaginava é que seu coração, já destroçado, seria obrigado a aprender que certos relacionamentos são capazes de causar dores muito profundas, e que é sempre preciso fazer uma escolha.


Livro:  Vergonha|| Autor: Brittainy C. Cherry 
 Editora: Record ||  Ano: 2019||  Gênero: Romance Contemporâneo, Adulto
Classificação: 5 estrelas  ||  Resenhista: Tainara 




QUE LIVRO. MEU DEUS. Já tem uma semana que o li e ainda estou com ele na cabeça. Quem ama livros assim? Porque eu PIRO em enredos envolventes, cheio de drama, de casais fodas e tudo mais. Sou muito bipolar, depois explico o porquê, MEU DEUS.

Uma coisa que tenho que dizer é que prometi a mim mesma que iria iniciar a resenha assim, parabenizando a escrita da Brittainy porque, vou te contar, está de parabéns, mulher! Chegou chegando e dizendo para que veio. Palmas para ela. 

Depois que se vê abandonada pelo marido, Grace resolve voltar para sua cidade natal, um lugar infernal, pior que um lago de cobras venenosas. Onde o morde e assopra é lei, e pessoas usam a palavra de Deus para justificar seus atos. Bem-vindos a Chester, Geórgia.

Nessa mesma cidade está Jackson, um cara de 24 anos, que aos 10 anos de idade se tornou um adulto pela perda que houve em sua família, e que também acabou por desestabilizar seu pai. Ao longo do seu crescimento ele passou por muitas coisas difíceis e quando foi pedir ajuda recebeu um olhar de desprezo acompanhado de um não.

No dia que Grace resolve começar a mudar sua vida voltando para Chester ela conhece Jackson, que vai fazer muito mais que mudar o rumo da sua vida, vai ajudar a dar um sentido à sua existência. Vai impulsioná-la a quebrar barreiras que a própria Grace não conseguia por causa da relação abusiva em que foi criada, onde quem praticava o abuso era sua própria mãe e o abuso não era físico, era o pior, o psicológico.



Quando peguei esse livro para ler, notei de cara a diferença na escrita da Brittainy. Está muito mais madura. Tenho que fazer uma comparação, desculpa fazer isso justamente com Sr. Daniels, mas como ele foi o primeiro livro que li dela tenho que me embasar nele, né? Então, quando você pega Sr. Daniels e pega Vergonha para ler, o amadurecimento na escrita da Brittainy é gigantesca. Nossa Senhora, comparando com um mais “recente” que foi o último livro da série Elementos, A Força Que Nos Atrai, a diferença também está gritante. Por que eu comparei esses livros? Porque Sr. Daniels foi o primeiro livro dela publicado aqui no Brasil e A Força Que Nos atrai tem um enredo parecido com Vergonha.

Grace é aquele tipo de personagem que você ama ou ama. Não tem como você não ficar sensibilizada (o) pela dor dela e pelo que ela está passando sozinha. O Jackson é daqueles personagens que é impossível você não se apaixonar, de verdade, que P-E-R-S-O-N-A-G-E-M. Ele é simplesmente apaixonante porque você vê logo de cara que aquela carapuça de homem bruto e mal-humorado é só isso, uma carapuça. 
“As pessoas não precisam de gentileza, elas precisam de verdade. Acho ridículo que um cara tenha esse tipo de poder sobre você. Tenha um pouco de amor próprio. É loucura dar o controle total das suas emoções para alguém que não está nem aí para você.”
Essa história fala muito de família, amor, traição, amizade, confiança, sociedade, relacionamentos e outros. Na verdade, fala sobre um pouco de tudo e para mim isso faz com que seja ainda melhor. Essa mistura, que na verdade não é uma mistura, é um encontro de todas as razões, para que tal pessoa seja assim, forma um complemento excepcional para a história da Grace e do Jackson. 
“Às vezes era difícil ser uma seguidora de Deus, quando os sussurros do demônio pareciam bem mais satisfatórios.”
Esse é um daqueles livros que não tem como você não parar e não analisar suas atitudes, muito do descrito faz você se colocar no lugar da Grace, do Jackson, das pessoas da cidade, até do Alex. São atitudes, palavras e frases que a gente fala e acha normal, mas não sabemos como aquilo vai atingir o outro e se atingir também não estamos nem aí, porque para nós o que importa é a nossa verdade, a nossa razão, mas a vida não é assim.

A caminhada de descoberta da Grace é muito bonita, ela tem que enfrentar a mãe, tem que enfrentar os seus próprios demônios, e tem que saber que um dia ela vai chegar lá (ou que ela também pode não chegar), que o seu caminho pode mudar, porque todos nós estamos propícios a isso, a mudanças. E o Jackson foi a mudança que a Grace precisava para se descobrir como pessoa.

Tenho que fazer um adendo para a relação de Grace com a mãe. Tudo que ela fazia com a filha, abalando seu psicológico, talvez tenha uma justificativa, mas que não apaga o estrago causado. Ela sofreu na mão do marido e talvez até acreditasse nas atrocidades que falava, pois teve que passar por cima de muita coisa para ficar ele. E isso tudo moldou a personalidade de Grace.

Estou esperando o livro físico chegar, mas já digo de antemão que a capa não tem nada a ver com a história, acredito até que pode passar uma imagem errada do conteúdo, então, por favor, leia o livro pela sinopse e não pela capa. Como li o ebook tenho que fazer umas considerações. Teve partes do ebook, principalmente o início dos capítulos que estavam bem ruins, como por exemplo a primeira frase do capitulo junto com o nome de quem estava narrando. A história é contada em primeira pessoa com os capítulos sendo intercalados entre Grace e Jackson. 

No todo, o livro é incrível dou cinco estrelas fácil, fácil para ele porque me conquistou. Entrou para a minha lista de livros preferidos da vida. Esse vai ser daqueles que mais cedo ou mais tarde irei reler umas 12x no ano.

Ah, e detalhe, sabe porque disse que era bipolar lá no início da resenha? Pelo fato de estar morta de amores por esse livro cheio de drama e relações familiares perturbadas e, antes disso, ter feito uma resenha não tão positiva de um livro que também tem uma carga de dramática muito grande (Resenha de Professor Feelgood). Nela eu reclamo justamente desse drama todo que a autora colocou no enredo da história.  Sério pessoas, leitor é um ser a ser estudado.

Compartilhe!

5 comentários :

  1. Olá!
    Eu estou muito curiosa para ler os livros dessa autora, já ouvi fala tanto que estou muito desejando, isso porque eu tenho dois na minha estante. Esse livro tem uma premissa muito boa e claro que estou bem com vontade de ler. Como faz para ler em?!

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  2. Ainda não conheço a escrita da autora, embora tenho um livro dela. É uma maravilha quando a escrita só vai melhorando no decorrer de outros livros. OS protagonistas parecem ser apaixonantes, já fiquei querendo conhecê-los, principalmente o Jackson. Deve ser uma leitura que nos emociona, sofrer abuso ainda mais por parte da mãe é horrível, ela deve ser detestável rs.

    ResponderExcluir
  3. Tainara!
    Não acho que seja bipolar, acredito que esteja mais para em como o enredo está insirido em uma história, talvez aqui, tenha se encaixado melhor.
    Sua fã da autora e já li alguns livros dela e fico feliz em saber que aqui, ela chegou em sua plenitude em termos de escrita amadurecida.
    Gosto muito quando os romances trazem dilemas familiares e superação, allém de protagonistas fortes e que tem aquela química fantástica.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  4. Ainda bem que você comentou sobre a capa. Pela capa eu já imaginei mais um livro hot e sem profundidade nenhuma. Mas, com todos os dramas e reviravoltas vividos pelos personagens, como você descreveu, aí já penso em ler o livro.
    Não conheço a escrita da autora mas acho que vou preferir começar por Vergonha.

    ResponderExcluir
  5. Confesso que não consegui terminar O ar que ele respira justamente por ter uma carga dramática muito intensa, mas eu adorei os quotes desse livro e como você disse que a escrita da autora está mais madura talvez esse livro consiga me prender.

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei