26 março 2019

[Resenha] Saga 02 - Brian K Vaughan

A recém-nascida Hazel já sobreviveu a assassinos mortíferos, exércitos enfurecidos, fantasmas e monstruosidades alienígenas, mas é na vastidão fria e escura do espaço que a garotinha irá enfrentar o maior desafio da família: seus avós paternos! Bem... isso e mais algumas surpresinhas que você irá descobrir no decorrer do livro...Nas páginas belamente ilustradas por Fiona Staples, desvendaremos mais segredos sobre o Príncipe Robô, O Querer, a Gata da Mentira, e, é claro, Alana e Marko, tudo numa trama bem engendrada por Brian K. Vaughan, um dos escritores de quadrinhos mais conceituados dos últimos tempos! SAGA é uma série em quadrinhos no melhor estilo space opera com um toque de fantasia criada e escrita por Brian K. Vaughan e ilustrada por Fiona Staples. Frequentemente comparada pela crítica especializada como um “encontro entre Star Wars e A Guerra dos Tronos”, SAGA nos conta a história de Alana e Marko, dois soldados de lados opostos numa longa e devastadora guerra intergaláctica que se apaixonam e lutam para garantir que Hazel, sua filha recém-nascida, continue viva. Mas é claro que isso não será nada fácil... Mais do que uma versão de Romeu e Julieta no espaço, SAGA é uma história sobre amor e vingança com uma pitadinha de humor num cenário futurista e todos aqueles sentimentos, bons ou ruins, que nos tornam humanos.

Livro:  Saga ||  Série: Saga 02 || Autor: Brian K. Vaughan
Editora: Devir|| Ano: 2015 ||  Gênero:  HQ
 Classificação:  5 estrelas ||  Resenhista: Karina

Skoob || Compre || Editora
Resenha livro 01

Comente no Top Comentarista de Março
“Saga Vol. 2” começa exatamente onde para o primeiro, Alana e Marko conseguem sair do planeta Fenda com a Hazel e a Izabel (a fantasma), a caça continua, porém, a aventura apresenta novos personagens.


O primeiro capítulo começa com Hazel nos contanto alguns flashbacks da infância do pai (Marko); a família de Marko, principalmente Klara (a mãe), leva muito a sério a guerra/ódio contra a espécie de Alana; claro que isso não seria um fato aleatório no roteiro do Brian K. Vaugh. O casal chega a esse novo planeta e encontram os pais de Marko. Digamos que esse encontro inicial é um desastre total; a sogra odeia de primeira a Alana e conjura um feitiço contra Izabel (que desaparece), Marko precisa encontrar Izabel, portanto deixa Alana e Hazel com o pai e sai à procura de Izabel com a mãe.

Marko e a mãe vão parar em um planeta a procura da Izabel e encontra um “Gigante” bem esquisito/violento que está cuidando do bebê gigante que está sendo chocado, portanto, precisam sair o mais rápido possível do planeta, entre a procura, a mãe de Marko deixa bem claro o quanto odeia Alana e tenta fazer Marko abandoná-la e fugir com Hazel (sogra chataaaaa essa).


Alana e Barr (o pai de Marko) não têm um primeiro contato muito amável, porém, segredos vem à tona aproximando os dois. Ver o avô conhecer Hazel é fofo; todos as descrições nas ilustrações continuam extremamente maravilhosas e todos os detalhes são importantes, os flashbacks de como Alana e Marko se conheceram são tão importantes quanto os da infância de Marko com os pais, pois é onde percebemos as diferenças culturais, a importância dos vínculos familiares e a pergunta: “Até onde iríamos para proteger nossa família?” está o tempo todo implícita; é nos pequenos detalhes que vemos Alana descobrindo as dificuldades de ser mãe quando há uma guerra.


Enquanto a família se conhece e procuram por Izabel , o príncipe Robot IV (aquele com cabeça de televisão) vai atrás do autor do livro que a Alana lia antes de fugir com Marko, ele acredita que ela está querendo viver uma história parecida com a do livro, que ela quer recriar o mesmo enredo do livro. As histórias paralela dos personagens secundários é tão complexa e interessante quanto a dos protagonistas e sinto que ainda terá muita confusão.

Sempre acho que fazer resenha do segundo ou terceiro volume de uma serie pode ser complicado, apesar de parecer que conto muito do enrendo, a maneira intrínseca que os fatos se desenrolam entrega uma experiência diferente para cada tipo de leitor, na mesma pagina que eu estou gargalhando eu levo um baite de um sacode, não sei porque essa HQ no brasil ainda não é um baita sucesso, mas se dependesse só de mim, essa seria uma leitura obrigatória.


Depois de um primeiro volume WOW, “Saga Vol. 2” continua com a mesma qualidade de diálogos e ilustrações, com infinitas sacadas que podemos aplicar no nosso dia a dia; com personagens cheios de asas e chifres que são tão humanos quanto poderiam ser e que nos fazem refletir muita nas ações que tomamos. Definitivamente “Saga Vol. 2” não cai na maldição do livro enche linguiça rs e está ainda melhor, e minha vontade e curiosidade para os próximos volumes só cresce!

Compartilhe!

3 comentários :

  1. KaRINA!
    Tão bom quando uma continuação nos agrada e nos instiga a continuar a ler, é prazeroso, ainda mais com uma ilustração perfeita como essas.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  2. Uma gama de emoções essa premissa, quanta aventura numa história só. Não conhecia esse livro, gostei muito inclusive dos desenhos.

    ResponderExcluir
  3. Parece ser interessante, gostei das ilustrações e por ser colorido acho que fica melhor ainda, mas que mulherzinha insuportável essa sogra rs. Deve ser uma leitura que nos faz pensar sobre tantas coisas que fazemos, curiosa om essas sacadas, que podem ser úteis para usarmos.

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei