22 março 2019

[Resenha] Querido Evan Hansen - Steven Levenson, Benj Pasek, Justin Paul


Dos criadores do premiado musical da Broadway Dear Evan Hansen, esta é uma história emocionante sobre solidão, luto, saúde mental e amizades inesperadas.
Evan Hansen sempre teve muita dificuldade de fazer amigos. Para mudar isso, decide seguir as recomendações de seu psicólogo e escrever cartas encorajadoras para si mesmo, com esperança de que seu último ano na escola seja um pouco melhor. O que não esperava era que uma das cartas fosse parar nas mãos de Connor Murphy, o aluno mais encrenqueiro da turma. Quando Connor comete suicídio e sua família encontra a carta de Evan, todos começam a pensar que os dois eram melhores amigos. Sem conseguir explicar a situação, Evan acaba refém de uma grande mentira.
Ao mesmo tempo, graças a essa (falsa) amizade, o garoto finalmente se aproxima de Zoe, a menina de seus sonhos, e passa a ser notado no colégio. No fundo, Evan sabe que não está fazendo a coisa certa, mas se está ajudando a família de Connor a superar a perda, que mal pode ter? Evan agora tem um propósito de vida. Até que a verdade ameaça vir à tona, e ele precisa enfrentar seu maior inimigo: ele mesmo.


Livro: Querido Evan Hansen  || Autores:  Steven Levenson ||Benj Pasek||Justin Paul
Editora: Seguinte  ||Ano: 2019 || Gênero:  Young Adult, Suícidio
 Classificação: estrelas || Resenhista: Karina

Aviso de gatilho: Depressão, suicídio, abuso de drogas e ansiedade.


"Querido Evan Hansen, essa resenha vai ser maravilhosa, eis aqui o porque:" porque estou impactada desde as primeiras linhas do livro. 

O texto da primeira página parece ter sido escolhido minuciosamente a dedo para prender o leitor. Logo de cara eu queria simplesmente sair por ai distribuindo o livro e lendo em voz alta. Mais do que impactada, estou feliz por me dar conta que a literatura jovem pode mudar o mundo e que histórias despretensiosas podem ajudar pessoas. Vale lembrar que o Evan aqui pode não ser tão querido, mas a jornada completa vale muito a pena.

Evan Hansen é um menino solitário que sofre de ansiedade e não tem amizade com ninguém. Quando ele quebra o braço e precisa engessar, sua mãe vê isso como uma brecha para ele conversar com os colegas, pedindo que assinem o nome no gesso. Enquanto isso, como parte de sua terapia, ele escreve cartas para si mesmo e uma dessas cartas é lida por Connor Murphy, que a interpreta mal e a rouba, mas por último assina seu nome no gesso de Evan.

No dia seguinte, Connor é encontrado morto, ele tinha cometido suicídio. Como ninguém conhecia direito o menino, que era muito fechado e com sérios problemas, os pais ficam felizes ao pensar que ele tinha pelo menos um amigo. Isso porque a carta que Evan escreveu é achada no bolso de Connor. Escrita como "Querido Evan Hansen", eles pensam que Connor escreveu aquilo para Evan e que os dois são amigos.

Envolvido pela família de Connor, Evan se vê criando uma amizade que não existe entre os dois meninos apenas para satisfazer e confortar a família em luto, ao mesmo tempo que consegue se aproximar de Zoe, irmã de Connor. Ele chega até a criar conversas falsas de email entre ambos.

No meio disso tudo, com Evan no centro das atenções, Jared, que nem era amigo do Connor acaba ajudando-o assim como Alana que é aluna da escola e juntos, criam o "Projeto Connor", para discutir sobre a importância que as pessoas dão a quem morre só depois de atos extremos.

E com o passar do tempo, vamos companhar Evan se enrolando cada vez mais nessa história.



Bem, no inicio do livro já sabemos que Evan possui transtorno de ansiedade e apesar de não saber como a ansiedade em tão grave nível prejudica uma pessoa, já nas primeiras linhas o livro já passa uma lição, e tenta nos educar um pouco mais sobre o assunto através do fluxo confuso de pensamentos do Evan.

A narração é dividida entre o Evan e o Connor, mas os personagens secundários, como as mães de ambos são bem presentes. Relações familiares num geral são muito bem discutidas no desenvolvimento do livro e as amizades criadas no ambiente de colégio, apesar de estarem ali apenas para direcionar o plot, fazem uma grande diferença. De maneira geral, só a construção dos personagens secundários já garantem as 4 estrelas do livro. 

Essa história não é apenas sobre a morte de um menino, é sobre como as pessoas lidam com isso, como é o luto para os amigos, a família, ou mesmo para quem apenas o conhecia de vista. Mais que isso, mostra também um outro lado das pessoas, aquele lado que se aproveita de uma tragédia para obter vantagem.

Além disso tudo, que não é pouco, retrata o suicídio, as doenças mentais, de uma forma geral, eo comportamento das pessoas, das mídias, como as verdades são distorcidas e as mentiras propagadas com facilidade. 

Caro Evan Hansen é uma história bem realista, onde muitos personagens podem ser encontrados no dia a dia, onde os assuntos e acontecimentos se relacionam com as pessoas de uma forma muito crível.

O livro é inspirado em um musical de sucesso, mas que confesso que nunca tinha ouvido falar #ShameOnMe. O musical é vencedor de vários Tonys (o oscar dos musicais), e também do Emmy e Grammy. Com certeza o livro fez o trabalho de despertar meu interesse nas músicas do musical que costuram o plot. 

Apesar de ter uma capa fofinha, particularmente acho a árvore da capa gringa muito mais simbólica para a história. Se você não conhece o musical, como eu, essa história pode sim, te surpreender, e se você é um apaixonado pelo musical e já leu o livro, conta aqui pra gente qual seu preferido.
Meu nome. Foi a ultima coisa que escrevi. No gesso de outro garoto. Não foi bem uma carta de despedida. Mas, enfim, deixei minha marca. Em um braço quebrado. Parece certo. Até poético, se parar para pensar. E pensar é basicamente tudo o que eu consigo fazer agora.

Compartilhe!

6 comentários :

  1. É realmente um livro real, com uma história tão sensível e que nos leva a refletir sobre o modo como olhamos para o outro e para a dor do outro. Engraçado como a mentira levou o personagem a ter o que ele mais queria que era ter amigos mas ao mesmo tempo a mentira acabou afetando sua vida também. Fiquei bem curiosa com a leitura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu comecei ler sem muita expectativa, como disse não sabia que era a novelização de um musical, o livro tem muito potencial para nos surpreender e quando escutei as musicas ai cai de amores !

      Excluir
  2. Parece ser uma historia muito interessante e que desperta curiosidade, com esse suicídio e mostra o que acontece na realidade com essas mentiras que o personagem principal deixa as pessoas acreditarem só para tirar proveito muita gente é assim, que triste isso, deixa reflexões sobre o assunto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem isso mesmo, e uma omissão vira um novelo imenso de mentiras essa é a chave que nos mantem presa ao plot !

      Excluir
  3. Karina!
    Interessante como tenho visto livros que falam sobre perda, morte, suicídio e todas relacionadas com cartas de alguma forma nos enredos. Gosto quando as cartas fazem parte, porque faço correspondência há puco mais de 40 anos e elas sempre fazem bem e servem como terapia.
    Voltando ao livro, os assuntos abordados são fascinantes no sentido de se aprender mais como cada um lida com a dor da perda e como alguns se aproveitam para tirar vantagem.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tbm adoro escrever, nem que seja pra mim mesma, faz tão bom neh? Eu amo livros sobre pessoas que lidam com luto e esse é muito bom nesse quesito !

      Excluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei