28 janeiro 2019

[Resenha] Um Marido de Faz de Conta - Os Rokesbys # 2 - Julia Quinn

Enquanto você dormia…
Depois de perder o pai e ficar sabendo que o irmão Thomas foi ferido durante uma batalha nas colônias, Cecilia Harcourt tem duas opções igualmente terríveis: se mudar para a casa de uma tia solteira ou se casar com um primo vigarista. Então ela cruza o Atlântico, determinada a cuidar de seu irmão pelo tempo que for necessário. Só que, após uma semana sem conseguir localizá-lo, ela acaba encontrando seu melhor amigo, o lindo oficial Edward Rokesby. Ele está inconsciente, precisando desesperadamente de cuidados, e Cecilia promete salvar a vida desse soldado, mesmo que para permanecer ao lado dele precise contar uma pequena mentira...
Eu disse a todos que era sua esposa...
Quando Edward recobra a consciência, não entende nada. A pancada na cabeça o fez esquecer tudo que aconteceu nos últimos três meses, mas ele certamente se lembraria de ter se casado. Apesar de saber que Cecilia Harcourt é irmã de Thomas, eles nunca foram apresentados. Mas, já que todo mundo a trata como esposa dele, deve ser verdade.
Quem dera fosse verdade…
Cecilia coloca o próprio futuro em risco ao se entregar completamente ao homem que ama. Mas quando a verdade vem à tona, Edward talvez também tenha algumas surpresas para a nova Sra. Rokesby.


 Livro:  Um Marido de Faz de Conta||  Série: Os Rokesbys # 2  ||Autor: Julia Quinn
Ano: 2019 ||  Editora: Arqueiro|| Gênero: Romance de época/Ficção
Classificação: 5 estrelas || Resenhista: Luci

Skoob || Compre || Editora
Resenha do livro 01
Participe do Top Comentarista de Janeiro





Com uma vida social nula e sem mãe, apenas um pai frio e rígido, Cecilia Harcourt tem no irmão, Thomas, a pessoa mais próxima a ele, a figura de um amigo e confidente, com quem ela externa seus sentimentos. Por isso, quando ele parte para lutar nas colônias, ela reafirma o laço com ele através da troca de cartas, e a correspondência entre os dois é bem intensa.

Tanto, que chama a atenção do melhor amigo de Thomas, Edward Rokesby, que estranhamente começa a se encantar com a jovem através daquelas cartas, e à medida que Thomas o introduz nas cartas da irmã, ele também passa a criar um estranho laço com essa jovem que nunca viu pessoalmente, só através de uma pintura que seu amigo carrega constantemente consigo. E Edward passa a ansiar pelas palavras de Cecilia cada vez mais.

Mas a última carta que Cecilia recebe, vinda da América, não é do seu amado irmão, pelo contrário; trata-se de uma missiva avisando sobre o desaparecimento dele, e como a chegada dela coincide com a morte do seu pai e o início do assédio do seu desagradável primo, Cecilia não pensa duas vezes, ela parte para New York, para ela mesma empreender a busca pelo irmão.

Ao chegar ao seu destino, Cecilia se depara com dificuldades para obter informações, principalmente por ser uma mulher solteira e sozinha. Por isso, quando ela descobre, por acaso, que Edward Rokesby está gravemente ferido e inconsciente, a jovem decide ajudá-lo, pois ele é o único que pode informá-la sobre Thomas, e para facilitar isso, ela declara que é sua esposa, o que lhe abre as portas de acesso a Edward e, consequentemente, à futuras informações sobre seu irmão.

O plano de Cecilia não é má intencionado, ela pretende esclarecer tudo tão logo possível, mas quando Edward acorda e surpreendentemente a reconhece, corroborando com sua mentira, Cecilia se vê estendendo a mentira, diante do quadro de Edward: ele não lembra nada do que aconteceu nos últimos três meses, mas parece aceitar facilmente a ideia de ter se casado com ela.

Parecia que ela tinha passado a vida inteira tentando entender a si própria e que, no instante em que ele abrira os olhos, ela finalmente conseguira compreender tudo.

Quando Edward acorda, após um período em que ficou entre a vida e a morte, nunca poderia imaginar que um ferimento na cabeça o roubaria 03 meses do seu passado. Mas em meio a essa névoa de esquecimento, ele se agarra à certeza de que casou com a moça, com quem trocou pequenas linhas através das cartas do irmão dela, mas que de certa forma o encantou.

E a gentileza como o Cecilia o tratava, mostrando toda a bondade e a generosidade do seu coração, o fazia ansiar pela sua presença a cada dia, e mesmo sem lembrar nada, agradecer os motivos que o levaram a casar com ela.

Estava se apaixonando por ela? Não lhe ocorria nenhum outro motivo para que estivesse se sentindo daquela maneira, como se seus dias só começassem de verdade depois de vê-la sorrir. Ele estava se apaixonando por ela. Antes mesmo de se conhecerem, ele já estava meio apaixonado e talvez jamais se lembrasse dos eventos que o haviam conduzido àquele momento, mas certamente haveria de se lembrar disso. Daquele beijo.

Quanto à Cecilia, sua consciência pesava a cada momento que tinha que mentir para Edward, mas sempre adiava a decisão de contar a verdade para ele. Assim, passa dias vivendo uma mentira, enquanto buscam informações sobre seu irmão ainda desaparecido. E seu coração começa a viver uma grande verdade: estava cada dia mais ligada ao seu “marido”.

Objetivo do dia: parar de se apaixonar. Em toda a sua vida, Cecilia nunca enfrentara um objetivo tão difícil. E tão fadado ao fracasso.

Entre as verdades e mentiras, os dois vão se descobrindo, muito além do que sabiam um do outro através das cartas. Mas a recuperação da memória de Edward colocará à prova os sentimentos e o destino de ambos.

No que ela estava pensando? Que o desejava. Que o amava. Que, por mais errado que fosse, ela sentia que eles eram mesmo casados, e tudo o que ela mais queria é que aquilo fosse verdade, nem que fosse só por uma noite.



Bem, o que dizer sobre esse romance? Amei demais os personagens, me encantaram de verdade!

Quando li o primeiro livro da série, e a cada vez que Edward era mencionado, confesso que fiz uma imagem mental do personagem. Mas minhas perspectivas foram totalmente superadas, porque a autora revelou o lado aventureiro dele, através da narrativa da família e dos amigos, porém, obviamente, passamos a conhecê-lo mais profundamente aqui. Queridos leitores, que personagem Julia Quinn criou! Edward é a personificação do mocinho que leva o cavalheirismo ao pé da letra, com uma personalidade romântica e muito apaixonante. Ele é sincero e direto com o que sente, sem falar em sua lealdade para com aqueles que ama. 

Sobre Cecilia, sim, ela foi uma personagem que não deixa a desejar. Apesar da mentira que teve que inventar, o leitor percebe sua natureza generosa, apaixonada e nem um pouco maldosa. Julia Quinn gosta de dar certa ousadia e coragem às suas personagens femininas, e essas características encontramos em Cecilia. Não é fácil atravessar um oceano para ajudar alguém que ama, e ainda viver uma mentira para auxiliar a quem mal conhece, colocando em risco o seu coração. 

Ao contrário dos demais romances da autora que li, esse não tem tantos personagens secundários, a história se centra mais em torno da construção do romance dos dois personagens principais, mas isso não prejudica a história, nem a torna cansativa, pois tem uma narrativa bem leve e fluida, e ao mesmo tempo, intensa, que abraça o leitor e o envolve. Só conseguimos soltar o livro quando chegamos à última página.

E sobre a degustação do próximo livro que está no final? Por favor, já quero, e muito!

 


Compartilhe!

2 comentários :

  1. Parece ser uma historia muito gostosa de acompanhar, já fiquei imaginando um mocinho assim na vida real ai ai rs. Adorei que começa um sentimento através das cartas, adoro quando elas aparecem nos romances, fiquei curiosa para saber a reação do mocinho quando recobrar a memória e saber do falso casamento e saber sobre o irmão também o que aconteceu com ele. Parece uma historia bem elaborada e com personagens bem trabalhados.

    ResponderExcluir
  2. Olá!!!
    AAH, eu não acredito que ainda não li o primeiro livro...
    Pelas resenhas que acompanho, esse parece ser ainda mais apaixonante do que "Uma dama fora dos padrões", gostei da mentirinha básica - nada básica - que a protagonista inventou kkk Me pareceu que o enredo terá um belo toque de humor, e adoro isso em romances de época!
    Menina, que edição linda não? Amei essa capa.
    Beijos

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei