09 janeiro 2019

[Resenha] Allegro em Hip hop - Cidade da Música #2 - Babi Dewet




No segundo livro da série Cidade da Música, você vai conhecer Camila. Ela é neta de japoneses e filha de pais muito rigorosos que têm grandes planos para ela e para sua irmã. Desde pequena, aprendeu que precisava se esforçar mais, que precisava ser melhor, que não existia tempo a perder na adolescência e que sua inteligência e seu talento deveriam levá-la longe. Camila, então, trocou as festas das amigas por treinos de balé, e a vontade de viajar o mundo afora pela consagrada Academia Margereth Vilela. Sua vida inteira estava programada e organizada. Até que uma crise de ansiedade a fez perceber que tudo ainda podia mudar e, depois de conhecer Vitor, um garoto desengonçado e cheio de sardas que tocava violino, a vida mostrou à Camila que uma dose de hiphop poderia fazer os dias dela mais felizes.



Livro: Allegro em Hip hop || Autor: Babi Dewet|| Série:  Cidade da Música #1
Editora: Gutenberg ||Ano: 2018 || Gênero:  YA, Romance
 Classificação: estrelas || Resenhista: Lud

Skoob || Compre || Editora
Que livro mais amor foi esse? 

Eu adiei e adiei essa leitura porque estava com medo do que eu iria achar. O livro 1 não me conquistou tanto assim, e eu gosto muitoooo da autora como pessoa e isso deu uma mexida no meu psicológico. Mas posso afirmar que o livro é muito fofo e eu adorei ler e acompanhar a história da Camila. 

Nesse segundo livro da série Cidade da Música, vamos acompanhar o dia a dia da Camila na Academia Margereth Vilela, onde ela e a irmã possuem uma bolsa de estudo. Milla, como gosta de ser chamada, é uma aspirante a bailarina e treina arduamente para alcançar os seus sonhos. Ela raramente tira uma folga ou descansa. Ela simplesmente vive para a dança. 

Apesar de todos os esforços da sua melhor amiga Clara, que sempre a aconselha que ela deve viver um pouco, ter uma vida social e aproveitar as horas vagas, Camila só tem olhos para o grande papel que está por vir e que pode colocá-la no radar das grandes academias de Balé fora do Brasil. 

Quando ela finalmente consegue o papel, e tudo parece estar certo, seu corpo e sua mente provam que ela não está nada bem. O que ela sempre teve prazer na vida, a dança, agora não a atrai como antes. Sua mente também não está onde deveria, as dúvidas a perseguem e os ataques de pânico cobram seu preço. 

Mas nem tudo está fora do eixo, quando se tem pessoas ao seu redor. E a Camila tem uma melhor amiga que não deixa a desejar e um ruivinho que chega de mansinho... mas para ficar. 



Ao contrario do primeiro, onde eu disse que não consegui me conectar com a personagem, esse foi bem o contrário. Senti que teve mais páginas sobre os sentimentos de cada personagem, e de uma forma que nos fizesse entendê-los e criar aquele laço entre leitor/personagem. Eu realmente me vi torcendo para todos que apareceram nesse livro. 

O romance é uma coisa... fofaaaaaa... não consigo colocar em outras palavras. A forma como ambos se conhecem, como eles vão criando essa ligação entre eles, apesar de serem bem diferentes, e não um casal esperado pelas pessoas. Cada cena entre eles foi tão sensível e sincera, que aqueceu meu coração. 

Camila é uma personagem maravilhosa, eu adorei cada nuance da personalidade dela, porque raramente temos essas mocinhas com esse caráter maravilhoso. Fiquei realmente feliz de acompanhar o desabrochar das asas e ver essa linda menina voar. Vitor é uma coisa fora da mundo, sabe aquela pessoa certa para você, que te completa? Esse é ele. 

A relação da Camila com a família também teve um toque bem importante aqui, não apareceu muito, mas quando fez, deixou claro para que veio. Cada cena dela com a mãe me apertou o coração. Mesmo no final, com a mãe demonstrando que tem orgulho da filha, cada palavra que ela disse antes quebrou um pouco o coração da Camila. Mas eu também entendo como é rígida a estrutura de uma família japonesa. 

Outra coisa que eu amei no livro, foi que a Babi trabalhou muito com questões como a diversidade e o bulliyng. Ela abriu um leque de pessoas com diversas etnias, não apenas a diferença entre negros e brancos, e também tocou em assuntos como opção sexual. 

Os personagens secundários agregaram muito na história, cada um com sua personalidade e trajetórias de vida totalmente diferentes entre si, e me peguei querendo um livro para cada um, especialmente um dos meninos. 

Como eu disse, estava nervosa por ler, porque só desejo coisas boas para a Babi, porque ela é uma pessoa maravilhosa, torço pelo sucesso dela.

Estou esperando ansiosamente o próximo livro da série, e espero gostar tanto como desse aqui. <3

Compartilhe!

2 comentários :

  1. Parece ser uma graça esse livro, a capa é. Os personagens devem ser fofos e nos conquistar logo de primeira, pelo menos o casal parece ser assim, deve ser muito gostoso acompanhar o romance deles. É uma leitura que deixa o leitor refletindo afinal é saudável viver como a personagem sem ter uma vida social, só viver para um objetivo.

    ResponderExcluir
  2. Lud!
    Li o primeiro livro dessa série e fiquei muito interessada em poder ler esse, parece ainda melhor que o anterior.
    Gosto da autora.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei