26 dezembro 2018

[RESENHA] Declarar - Espiral de Desejo #03 - Nina Lane

O livro que encerra a trilogia apaixonante de Nina Lane.
O casamento de Dean e Olivia West sobreviveu a segredos, desilusões e uma tragédia devastadora, persistindo mais forte do que nunca apesar das mais inimagináveis ameaças, até que uma simples mentira inventada por uma pessoa cruel e vingativa se mostra capaz de colocar tudo a perder.
Separado de seu lar pelo oceano Atlântico, Dean comanda uma escavação na Itália enquanto luta para salvar sua vida profissional. Mas a distância de sua esposa e do mundo à parte que construíram juntos é mais difícil do que ele imagina, principalmente quando ele descobre que Liv está passando por uma crise vinda do passado – um passado terrível do qual ele sempre tentou salvála... Mais forte e confiante do que nunca, Liv está determinada a andar com as próprias pernas e, acima de tudo, defender seu marido daqueles que desejam derrubálo. Mas a visita inesperada de sua mãe traz à tona uma série de questões mal resolvidas que a assombram há anos.
No último e mais explosivo volume de Espiral do Desejo, Dean e Liv terão que superar os obstáculos mais difíceis de suas vidas enquanto respondem à clássica pergunta: há, afinal, força maior do que a de um grande amor?


 Livro: Declarar|| Série: Espiral de Desejo #03 || Autor: Nina Lane |
Editora: Paralela || Ano: 2018 || Gênero:  Romance, Hot, Adulto
 Classificação: 4 estrelas || Resenhista: Luci
Nos livros anteriores, vimos que, apesar dos problemas (como qualquer casal), Liv e Dean têm um relacionamento bem intenso, mas que devido a segredos do passado, principalmente com relação ao de Dean, e os novos desejos de Liv para o relacionamento, isso teve o poder de abalar a relação dos dois.

Apesar de ainda sentirem um amor muito forte um pelo outro — e uma química muito explosiva, diga-se de passagem — eles estão tentando contornar cada problema. E agora, para dar a um tempo a tudo que vem incomodando o casal (inclusive uma falsa acusação de assédio sexual contra Dean), eles decidem se manter por um tempo separados, quando surge a oportunidade de Dean ser consultor em uma expedição arqueológica na Itália por seis meses.

Nesse momento, passamos a conhecer mais de Liv: enquanto nos livros anteriores temos pequenos vislumbres do seu passado, dando destaque mais ao passado de Dean, aqui passamos a conhecer mais de Liv, sobre todos os acontecimentos que a levou a ser a mulher que é, com todas as suas seguranças e fragilidades. E quando a mãe dela, responsável por todos os seus traumas, aparece em cena, tudo isso fica mais justificável.
No entanto, isso leva Liv a enfrentar seus medos, processo que teve início no livro anterior, e ela vai conquistando uma personalidade mais forte e independente, sem se deixar conduzir pelo passado. Aos poucos, ela vai superando os abusos psicológicos sofridos através da mãe, se tornando mais e mais confiante. E é essa mulher forte que surge que fica ao lado de Dean, diante do processo que ele tem que enfrentar.

Sobre nosso professor (suspiros), Dean continua o mesmo homem possessivo, dominador, mas diante do crescimento da esposa, ele deixa de lado um pouco essa sua personalidade para vê-la florescer e se transformar em alguém que, agora sim, sabe o que quer e que caminhos deve seguir em sua vida. 

Meu marido e eu sempre vamos ser duas pessoas vivendo uma vida de perfeição imperfeita. Vamos estar sempre aqui, no lugar que é de Liv e Dean, onde os problemas são resolvidos e as fechaduras trancadas são abertas. Um lugar de amor, persistência, ternura, paixão, aceitação e perdão infinitos. Um lugar onde desejos são realizados, sonhos viram verdade, e as histórias têm final feliz — não por destino ou por mágica, mas porque nos amamos tão intensamente e tanto.

Para mim, Declarar fechou a trilogia com chave de ouro. Uma história de amor intensa e apaixonante, mostrou um casal após o chamado “felizes para sempre”, que imaginamos após lermos a última página de cada romance. Ou seja, os obstáculos que surgem com a convivência diária, as brigas, os problemas que surgem.

Permeado por uma narrativa erótica, a trilogia de Nina Lane nos presenteia com protagonistas maravilhosos: Liv, uma mulher que, a cada livro, rompeu com os elos das correntes que a prendiam a um passado de abusos psicológicos e se tornou uma mulher dona de si; e Dean, um marido apaixonado, possessivo, mas que também escondeu segredos que poderiam ser fatais ao seu relacionamento.

A química dos dois protagonistas ultrapassa as páginas, a escrita da autora parece te tocar com a relação intensa de Dean e Liv, e foi isso que me conquistou nessa trilogia, apesar de não ser fã de livros eróticos. Mas como disse anteriormente, as cenas acontecem de forma tão natural, como resultado dos sentimentos intensos do casal, que o leitor acaba se envolvendo.

Creio que o casal teve um desfecho bem merecido, depois de tudo que tiveram de enfrentar, e não terminei a trilogia como se algo estivesse faltando, como acontece muitas vezes quando esperamos a conclusão de uma série.

Confesso que, depois dessa trilogia, eu me tornei fã de Nina Lane e espero por mais livros dela publicados no Brasil.

Compartilhe!

2 comentários :

  1. Ainda não li nenhum livro dessa trilogia. A historia deve mexer com as nossas emoções, bonito ver que a personagem muda, ver o quanto ela melhora e fica mais forte, acompanhar essa mudança deve ter sido gratificante, mas fiquei com receio do mocinho por ser possessivo e não ter mudado.

    ResponderExcluir
  2. Eu não gostei dessa trilogia da autora que para mim foi um grande desperdício de tempo pois esperava um suspense eletrizante que foi que tinha me prometido mas eu acabei encontrando comigo uma pessoa de sexo que não conseguiram prender minha atenção e nem agradar então a minha experiência não foi boa e eu não recomendaria o livro principalmente pelo fato de que o casal só sabe terminar o primeiro livro e eu acabei não tendo empolgação nenhuma em ler o segundo livro e o terceiro

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei