07 dezembro 2018

[Resenha] As Elizas - Sara Shepard

Resultado de imagem para As Elizas


Quando a escritora estreante Eliza Fontaine é encontrada no fundo da piscina de um hotel, sua família acredita ter sido mais uma tentativa de suicídio fracassada. Mas Eliza jura que foi empurrada, e sua única testemunha é quem a salvou. Desesperada para encontrar o culpado, Eliza toma para si a investigação do caso.
Mas, conforme a data de lançamento do seu primeiro livro se aproxima, ela se vê com mais perguntas do que respostas. Por que a editora, agente e a família estão misturando os acontecimentos de sua vida com os de seu livro? Ele não é totalmente ficcional?








Livro: As Elizas || Autor: Sara Shepard ||Editora: HarperCollins
Classificação: 3 estrelas || Resenhista: Marlene
 Ano: 2018 || Gênero: Suspense, Mistério, Ficção


Participe do Top Comentarista de Dezembro
Eliza Fountaine é uma escritora que está prestes a lançar seu primeiro livro “As Dots”. Ela tem uma longa lista de tentativas de suicídio, por isso, quando é mais uma vez encontrada no fundo de uma piscina, não é uma grande surpresa para família o acontecimento, contudo, diferente das outras vezes, Eliza tem a certeza de que foi empurrada e decide por si só, investigar o caso, já que ninguém acredita nela.

Eliza se divide em investigar a sua suposta tentativa de assassinato, com a ajuda de Desmond, o homem que a tirou da piscina e o lançamento do seu livro, que ganhou grande evidência, devido ao fato de ter sido escrito por uma autora com inclinações suicidas.

Desde o começo da narrativa, percebemos que Eliza não é uma narradora confiável, ela teve um tumor cerebral, que afetou muito a sua sanidade mental, além do seu histórico de tentativas de suicídios fracassadas, ela também tem uma certa dependência ao álcool, o que a torna, ainda menos confiável.


Nesse meio tempo, temos alguns trechos de “As Dots”, que logicamente, retrata um pouco da vida e personalidade da Eliza, de maneira indireta. Eu particularmente gostei bastante da forma como a autora trabalhou ambas as histórias, contudo, do meio para o final, o livro se tornou maçante e muito previsível, o que dificultou um pouco a leitura.

Eliza é uma personagem peculiar, que eu não consigo descrever em palavras, ela é psicótica, tem diversos lapsos de memoria e um passado bastante conturbado, que afeta até hoje a sua vida, ao mesmo tempo, que é uma pessoa frágil, em busca de resposta para os seus maiores medos. Uma palavra que define bem a impressão que tive sobre essa personagem, é: incógnita, pois, eu simplesmente não sei o que pensar ou sentir a respeito dela.

A narrativa do livro é feita em primeira pessoa, e isso foi um ponto que eu particularmente gostei bastante, pois, adoro essa sensação de ir descobrindo os fatos junto com os personagens. Por outro lado, também conhecemos a história de Dot, uma menina que tem um tumor e por isso, passa mais tempo dentro do hospital do que fora dele e da sua relação com sua tia, que é o seu porto seguro, já que o relacionamento da menina com a mãe é bem conturbada.

Já na parte física do livro, eu adorei essa capa, as cores e o fato de que a personagem aparentemente se encontra dentro de uma piscina, o que é claro, retrata a vida e realidade da nossa protagonista. As Elizas, foi escrito pela mesma autora da série Pretty Little Liars e apesar de ter sentido que a obra deixou um pouco a desejar em relação ao suspense e ao desfecho, fiquei curiosa para conhecer outras obras da autora.

Compartilhe!

2 comentários :

  1. Marlene!
    Gosto também quando a escrita traz a descoberta do leitor, junto com as personagens e por esse lado, achei interessante.
    Agora não sei bem se é um livro que gostaria de ler, embora seja uma autora de renome, achei que faltou alguma coisa para ser um bom livro de verdade.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  2. Parecia ser um livro até interessante, pelo fato da personagem não ser confiável, isso confunde o leitor e ele fica sem saber o que é verdade ou não, gosto de ser enganada rs. Mas parece que depois desanda fica uma leitura sem graça, é uma pena, poderia ter sido melhor trabalhado o meio e o final.

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei