23 novembro 2018

[Resenha] Princesa das Cinzas - Laura Sebastian

"Para os fãs de A Rainha Vermelha e de Sansa Stark, de Game of Thrones." – Bustle"Os fãs das séries A seleção e Jogos vorazes vão adorar a jornada da princesa Theodosia, com seus aliados inesperados e ousados planos de fuga." – School Library Journal
A jovem Theodosia tem seu destino alterado para sempre depois que seu país é invadido e sua mãe, a Rainha do Fogo, assassinada. Aos 6 anos, a princesa de Astrea perde tudo, inclusive o próprio nome, e passa a ser conhecida como Princesa das Cinzas.A coroa de cinzas que o kaiser que governa seu povo a obriga a usar torna-se um cruel lembrete de que seu reino será sempre uma sombra daquilo que foi um dia. Para sobreviver a essa nova realidade, sua única opção é enterrar fundo sua antiga identidade e seus sentimentos.Agora, aos 16 anos, Theo vive como prisioneira, sofrendo abusos e humilhações. Até que um dia é forçada pelo kaiser a fazer o impensável. Com sangue nas mãos, sem pátria e sem ter a quem recorrer, ela percebe que apenas sobreviver não é mais suficiente.Mas a princesa tem uma arma: sua mente é mais afiada que qualquer espada. E o poder nem sempre é conquistado no campo de batalha.



 Livro: Princesa das Cinzas || Autor: Laura Sebastian 
Editora: Arqueiro || Ano: 2018  ||  Gênero: Fantasia
 Classificação: 5 estrelas || Resenhista: Barbara



Não sei se isso já aconteceu com vocês, mas sabe quando você começa um livro sem esperar nada dele e acaba se apaixonando? A princesa das cinzas foi exatamente isso que aconteceu comigo. No dia que chegou, disse para mim mesma que iria ler apenas algumas páginas para ver se era bom, afinal, tinham outros livros na frente; como fui tola. Não consegui largar o livro o final de semana inteiro, completamente envolvida e apaixonada pela história da Princesinha das Cinzas.

A história se passa em Astrea, um reino antes pacífico e repleto de magia, governado por uma rainha bondosa que nunca precisou enfrentar guerras ou algo parecido, que da noite para o dia vê a realidade mudar com o ataque repentino dos Kalovaxianos e seu kaiser Corbinian. Theodosia, com seis anos, presencia o pescoço de sua mãe ser cortado diante de seus olhos, quando seu reino é tomado, sem entender na época por que é deixada viva.

Dez anos depois, ela é um troféu do rei, que ele exibe nas festas e diante do seu povo escravizado, como um lembrete de que ninguém pode salvá-los. Sempre que alguma rebelião acontece, Theodosia, que agora atende pelo nome de Thora, é chicoteada em praça pública para amedrontar ainda mais seu povo.

Thora é criada no castelo diante dos olhos do Kaiser, como uma Lady e uma peça em seu jogo de poder. Sendo vigiada dia e noite por suas Sombras, três soldados que ficam vinte e quatro horas do seu dia a seguindo. Sendo obrigada a aparecer nas festas com uma coroa de cinzas que se desfaz aos poucos, para lembrar que o título de Rainha do Fogo, que um dia foi da sua mãe, nunca lhe será passado.
“Não sou rainha de ninguém. Sou Lady Thora , Princesa das Cinzas. Não sou Ninguém.”
O livro começa mostrando uma princesa subjugada, quebrada, e que já não sabe mais quem é, sendo obrigada a matar a última família que lhe resta com um golpe que para ela é de misericórdia e que para o rei é de lealdade. Acreditando que ninguém mais lhe resta, que não há mais esperanças para se salvar, Blaise aparece em sua vida depois de dez anos.

Blaise, na infância, era o único amigo que Theodosia tinha, pelo menos ela o via assim, sempre correndo atrás dele pelo castelo, filho da melhor amiga de sua mãe. Ele volta para cumprir a promessa que fez de protegê-la e levá-la para longe, mas Thora não consegue abandonar seu povo sofrendo, e ambos decidem um plano para enfraquecer o poder do temido Kaiser, nem que isso signifique jogar Thora em cima do Prinz Søren, nem que isso machuque os sentimentos da única amiga que Thora possui nesse mundo, Crescentia, Lady Cress.
“A ideia de o prinz Søren nutrir sentimentos por alguém é risível. Duvido que haja coração em seu peito. No entanto, não consigo deixar de pensar em como ele me pediu que o chamasse pelo nome.”
Thora sempre soube que Cress havia sido criada para se tornar prinzessin, então aproveita-se disso para se aproximar do Prinz, sem acreditar que de fato ele possa nutrir sentimentos por ela, o que acaba atrapalhando, ou não muito, seus planos de tomar de volta seu reino.


Uma história envolvente, complexa e simplesmente apaixonante, cheia de reviravoltas, tortura e magia, um livro que não te dá sossego enquanto você não chega ao final. Um livro que mostra uma personagem destruída se reerguendo das cinzas de forma perfeita, bem construída e sem o clichê já esperado, afinal, não tem como não se colocar no lugar de Theodosia a cada chicotada, tortura e lágrima derramada no decorrer da história; não tem como não sentir seus medos e inseguranças de uma criança de dezesseis anos, precisando enfrentar o mundo de cabeça erguida como uma rainha.

Há diversos personagens interessantes e dos quais a cada página você deseja conhecer mais, como Søren, Cress, Blaise, entre outros, que vale a pena descobrir no decorrer do livro. Não tem como não ficar ansiosa pela continuação. Um erro que não consigo aprender, sempre me envolvo em trilogias que não há data prevista dos próximos lançamentos e fico sofrendo até obter alguma informação.

Com certeza, Princesa das Cinzas entrou para a lista dos preferidos e não vejo a hora de Laura continuar a história da antes Princesa das Cinzas e agora a Rainha do Fogo. É o livro ideal para quem gosta de personagens em desenvolvimento, com grande potencial, com um toque de romance, que não é o fator principal da trama, e de muita fantasia a ser explorada em um mundo novo e diferente. É um livro rápido de se ler, que com certeza vai arrancar muitas lágrimas, risadas e alguns suspiros.
“Meu nome é Theodosia Eirene Houzzara e, como minha mãe e todas as minhas antepassadas antes dela, sou uma Rainha do Fogo, com o sangue de um deus nas veias.”

Compartilhe!

3 comentários :

  1. Oi Bárbara,
    Sem dúvidas é um livro MUITO bem escrito, adorei como a autora sub julgou primeiro a protagonista, depois mostrou a mulher forte que ela é. E olha, se tem algo que me conquista em livros do gênero, são heroínas, mulheres fortes, que almejam seu futuro, por isso me conquistou.
    O livro conquista desde o designer, até a história, já o desejo.
    Eu tenho altas expectativas com ele, espero não me decepcionar.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Desde que vi esse livro a capa chamou minha atenção e fiquei interessada, adoro historias assim como esta, deve mexer muito com os sentimentos do leitor despertando tanto revolta quanto esperança. Pena não ter os outros ainda eu só leio trilogias e séries quando eu tenho todos, para não ficar na ansiedade. Adorei que tem reviravoltas deixam a trama mais envolvente, a leitura parece ser daquelas de tirar o folego e que deixa a gente viciado rs.

    ResponderExcluir
  3. O livro é muito bem escrito e desenvolvido gostei de cada momento da proposta abordada nele e as reviravoltas do livro Com certeza me chamaram atenção só que como eu sei que é uma série de fantasia eu vou esperar mais um pouco antes de começar a ler ela porque eu tenho um pequeno mod das editoras quando demoram a lançar as continuações dos livros

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei