24 novembro 2018

[Resenha] A Missão Traiçoeira - Erin Beaty

Sage Fowler abandona seu posto como aprendiz de casamenteira e se envolve em uma nova missão secreta ao lado do capitão Alex Quinn no segundo volume da série O Beijo Traiçoeiro.
Depois de se provar uma espiã habilidosa e uma casamenteira estrategista, Sage Fowler passou a ocupar uma posição confortável na alta sociedade, dando aulas para as princesas do reino de Demora. Quando surge a oportunidade de participar de uma nova missão secreta, porém, Sage quer aproveitar a chance para servir ao seu reino mais uma vez — e ficar mais próxima de seu noivo, o capitão Alexander Quinn. Alex não fica nada feliz com a ideia, já que está determinado a proteger a namorada de qualquer perigo.
A insistência de Sage em fazer parte da missão faz com que eles se desentendam cada vez mais e, quando um conflito com um reino vizinho resulta em uma tragédia, os dois acabam separados. Para completar a missão de Alex — e a sua própria —, Sage precisará contar com a ajuda de aliados inesperados para sobreviver em um território inimigo e salvar o reino de Demora mais uma vez.
Livro: A Missão Traiçoeira|| Série: O Beijo Traiçoeiro #2 || Autor: Erin Beaty
Editora: Seguinte ||Classificação: 4 estrelas || Resenhista: Luiza
 Ano: 2018 || Gênero: Fantasia, YA, Romance



A vida de Sage Fowler mudou muito. De plebeia para protegida da família real. De tutora de seus primos para tutora real das princesas e do príncipe. Da vida incerta que levava na pequena vila Broadmoor para um mundo de possibilidades na capital.

Se antes ela queria novas possibilidades longe da imposição social da sua família, agora ela queria descobrir mais, ler mais, conhecer mais, fazer mais. Era uma professora no mínimo inusitada para as princesas e para o príncipe, mas já estava obtendo bons resultados. Sua obstinação e sagacidade se provava valorosa para a rainha, e assim ela foi se estabelecendo e conquistando a todos.

Porém, isso não significava que estava sossegada e longe de problemas. Se tinha uma coisa que Sage era boa é em se desafiar. Ela estava aprendendo a lutar no meio dos soldados, pesquisava mais e mais livros de variados assuntos nas bibliotecas reais e nunca, jamais, deixou sua curiosidade morrer. Então, era olhos e ouvidos em todo lugar, recolhendo todas as informações que podia. Tédio é uma palavra que jamais pertenceu ao vocabulário de Sage Fowler.

O que mais a incomodava era a saudade de Quinn. Ele havia partido há meses para uma missão do exército e só se comunicavam por cartas… Ainda faltava muito para poderem se casar, e como conseguiriam esperar era um enigma.

Quinn ficou muito tempo fora. Meses e meses ajudando a manter a ordem depois das invasões kimisaras. Muitas cidades saqueadas, muitos lordes em posição incerta e poucos soldados demoramos para controlar as coisas. Ele sabia que era necessário lá, mas morria de saudades de sua amada.

E é com muita surpresa que ele a encontra depois de meses em uma situação tão divertida quanto preocupante: Sage lutando em uma armadura masculina contra outros soldados. Ah mas só podia ser ela mesmo…

O reencontro fervoroso devolve a ambos a luz que haviam perdido e reacende a paixão entre eles. Se as coisas fossem mais simples, já estariam mais que casados, mas não são né?

Quinn foi chamado para a capital para discutir uma nova missão especial. Ele não fazia ideia do que se tratava e não tinha nenhuma pista.

A rainha também captou movimentos estranhos no castelo e percebeu que alguma nova missão estava sendo planejada, e que envolvia seu filho mais novo, de 14 anos, Nicholas. Claro que ela fez um pedido à Sage para descobrir mais coisas, e claro que Sage se meteu novamente numa confusão tremenda que a meteria em situações inimagináveis.

O rei desejava restabelecer o esquadrão Norsari, formado por membros selecionados do exército e conhecido no passado por ser implacável e por fazer todo tipo de trabalho sujo para evitar uma guerra. Um esquadrão que envolve tanto inteligência quanto força bruta. Os melhores dos melhores. E é obvio que Quinn estaria envolvido. E é mais óbvio ainda que Sage iria se meter. Afinal, esses problemas são tão tentadores.

Eles iriam investigar também uma possível invasão casmuni perto da fronteira, ao mesmo tempo que treinavam o novo esquadrão. O príncipe iria como escudeiro aprendiz e se estabeleceria com os norsari.

Ao ouvir tais rumores, Sage logo começa suas pesquisas. Ela sabe que a língua Casmun não é conhecida pelos demoramos. Sabe também que no passado houveram tratados comerciais entre os países e que existiam vários documentos que forneciam detalhes preciosos do outro reino, seus costumes, crenças e seu passado. 

É impossível para ela deixar de lado a possibilidade que esse destacamento representa e ela sabe o quanto poderia ajudar. O difícil seria convencer Quinn a levá-la. Difícil não, quase impossível.

Mas, essa é uma palavra que Sage refuta muitas vezes. E quando ela se propõe a fazer algo, não é nada menos que obstinada. E muito muito teimosa.

O que se provava uma missão desafiadora para Quinn, agora é assustadora. Afinal, o que poderia dar errado com Sage envolvida? Certamente muitas confusões viriam. Porém, o que ele não sabia ainda é que jamais poderia prever o quanto estava errado. Afinal, quando o destino dos reinos está em jogo, boas doses de sagacidade são necessárias. E isso Sage tem de sobra.


Como eu estava ansiosa por esse livro!!! O Beijo Traiçoeiro deixou aquele gostinho de quero mais e uma ansiedade para conhecer o futuro dessa mocinha tão ímpar. 

A Missão Traiçoeira foi tudo que eu esperava e mais um pouco. Que hino de livro! Podem esperar um livro cheio de reviravoltas, que mescla romance e intrigas de forma muito balanceada, e com um ritmo de leitura muito dinâmico. Se no livro 1 achei o começo meio lento, nesse livro já estava me divertindo no primeiro capítulo!

A forma de escrever de Erin Beaty conquista muito. Os capítulos curtos animam a ler cada vez mais e a alternância entre os narradores dá todo aquele ar de história de suspense. Por vezes haviam cenas em que os pontos de vistas diferentes me faziam gritar de nervoso. Nós, como leitores de ambos os lados da história, sabemos de coisas que os personagens não sabem, então é inevitável não roer algumas unhas, rs. Ainda mais se tratando de Sage. Óbvio que tem confusão envolvida, claro que tem muitas reviravoltas. Você se pegará gritando “Olha para direita pelo amoooorrr!”rsrsrs.

Sage é aquela personagem que conquista de cara. Seu comportamento irreverente, aliado a uma mente muito afiada, faz com que ela se veja em situações que podem parecer impossíveis. Mas, para ela, são oportunidades. De aprender mais e fazer coisas diferentes. Doida? Imagina. Ela se adapta a qualquer situação. Em muitos momentos, eu quis matá-la, em muitos outros, quis bater palmas e, em quase todos, tive que concordar: que mulher!

Ela sabe muito bem a posição que ocupa e faz uso dela o tempo todo. Não subestima sua capacidade, mas sabe que nem sempre sua opinião será aceita ou sequer ouvida. Então se mete mesmo e resolve as coisas do seu jeitinho nada sutil. Na maioria das vezes ela está certa, e sua capacidade para prever situações inesperadas ainda vai levá-la muito longe.

Quinn é o típico capitão honrado, leal e corajoso. Não teme o perigo e nem tem medo de desvendar novos horizontes. O que ele teme mesmo é essa sua namorada louca que o desafia o tempo todo. Não sabia como lidar com essa bravura desmedida e nem com sua língua ferina. Ele tinha um longo caminho pela frente, com uma missão ultra-secreta que não poderia revelar nem a seus leais amigos. Era um tudo ou nada em sua carreira, já bastante desafiador sem levar em conta a situação de ter Sage por perto enquanto enfrentava o desconhecido.

E isso tudo se prova ainda mais perigoso e difícil de lidar. Ambos fazem escolhas erradas e ambos tentam fazer o certo. Mas, apenas um deles não é capaz de ouvir e essa teimosia poderia causar uma guerra.

Não tem como não amar esse casal. É um relacionamento construído aos poucos, em meio a tantas aventuras e dificuldades. Eles são muito bons juntos, mesmo quando estão brigando loucamente. É um casal que enlouquece e por vezes enfurece, faz arrancar os cabelos, mas que não resistimos. São perfeitos um para o outro <3.

Só não dei cinco estrelas para esse livro porque tem algumas cenas de disfarce que não achei muito críveis, pois os personagens disfarçados poderiam ser facilmente descobertos, mas não foram. Apenas isso me incomodou. No mais, foi tudo que esperava e muito mais.

Indico fortemente A Missão Traiçoeira para todos que amam uma história cheia de reviravoltas emocionantes, uma mocinha com boas doses de loucura e nada de bom senso e um capitão corajoso e leal que verá seu mundo virado de cabeça para baixo. Reinos são postos à prova e alianças improváveis salvarão o futuro de Demora. Aventura do início ao fim é o que te espera nessa continuação eletrizante. 

Compartilhe!

3 comentários :

  1. Oi Luiza,
    Li algumas resenha do primeiro livro e me encantei, principalmente com a protagonista Sage, achei uma personagem forte, e adorei seu estilo.
    Já Alex, li algumas opiniões sobre ele nada bacana, não sei, terei que ler para concluir.
    Espero poder fazer isso em breve!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Ainda não li o primeiro, mas quero muito, fiquei mais interessada agora depois de ler a resenha deste, adoro reviravoltas e aventura e esse parece estar cheio delas. Essa Sage é uma figura, deve conquistar fácil o leitor, adorei ela é bem inusitada, faz o que der na telha rs. É forte e destemida, não tem tempo ruim com ela, isso deve ter deixado a trama bem divertida e ágil.

    ResponderExcluir
  3. Tentei ler esse livro umas duas vezes mas infelizmente não consegui começar a leitura eu estava cheia de problemas pessoais e isso Acabou interferindo no processo eu vou esperar sair de férias da faculdade para poder começar esse livro a Trama aparenta ser algo bem divertido e leve de se ler isso chama minha atenção porque é exatamente esse tipo de leitura que eu tô precisando ultimamente

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei