31 outubro 2018

[Resenha] A Torre do Amor - Eloisa James


Quando Gowan, o magnífico duque de Kinross, decide se casar, seu plano é escolher uma jovem adequada e negociar o noivado com o pai dela. Ao conhecer Edie no baile de apresentação dela à sociedade, ele acredita que, além de linda, ela também seja a dama serena que ele procura e imediatamente pede sua mão.
Na verdade, o temperamento de Edie é o oposto da serenidade. No baile, ela estava com uma febre tão alta que mal falou e não conseguiu prestar atenção em nada, nem mesmo no famoso duque de Kinross. Ao saber que seu pai aceitou o pedido do duque, ela entra em pânico. E quando a noite de núpcias não é tudo o que podia ser...
Mas a incapacidade de Edie de continuar escondendo seus sentimentos faz com que o casamento deles se desintegre e com que ela se recolha à torre do castelo, trancando Gowan do lado de fora.
Agora o poderoso duque está diante do maior desafio de sua vida. Nem a ordem nem a razão funcionam com sua geniosa esposa. Como ele conseguirá convencê-la a lhe entregar as chaves não só da torre, mas também do próprio coração?

  Livro: A Torre do Amor Série: Contos de Fadas #4 ||Autor: Eloisa James
Ano: 2018 ||  Editora: Arqueiro|| Gênero: Romance de época/Ficção
Classificação: 5 estrelas || Resenhista: Luci

Skoob || Compre || Editora
Resenha livro 0102, 03
Participe do Top Comentarista de Outubro

No auge dos seus 22 anos, o escocês Gowan, o duque de Kinross, decide participar da temporada social em Londres para escolher uma noiva. Ele já fora noivo uma vez, através de um acordo assim que nasceu, mas sua noiva acabou falecendo. E como assumiu as responsabilidades do ducado aos 16 anos, chegou a hora de dar mais um passo decisivo.

Gowan não esperava que isso acontecesse tão rápido: assim que é apresentado a Lady Edith, sua suposta serenidade o encanta completamente, pois diferente das outras moças que conheceu, ela não o observa com olhos ávidos devido à sua posição social, muito menos o perturba com falatórios inconvenientes, e para um homem prático, esse é o fator que o faz elegê-la como a esposa ideal. Isso, e o fato de Gowan ter sido completamente arrebatado por sua beleza.

No entanto, ao olhar para lady Edith, o amor e a poesia passaram a fazer sentido. Uma frase lhe veio à mente como se tivesse sido escrita para descrever aquele momento: nunca vi verdadeira beleza até esta noite...

Edie nunca poderia imaginar que no dia seguinte que compareceu a um baile, doente, estaria comprometida com um duque. Ainda mais um escocês, com quem dançou duas músicas, mas que sua febre e enxaqueca mal fez olhá-lo e não o reconheceria se o encontrasse na rua. Nos seus 19 anos de vida, nunca interagiu com outras garotas, concentrada apenas em sua única paixão: o violoncelo. E por esse mesmo motivo nunca ansiou um casamento muito menos olhava os homens em busca de um futuro marido. Então, como lidar com um noivo tão determinado a tê-la?

Após uma eloquente troca de cartas, Edie decide revelar ao seu noivo que, longe de ser uma jovem de personalidade apática, ela é uma mulher disposta a atender as demandas de um casamento, principalmente as exigências do leito matrimonial, e aproveita a festa de casamento de Honoria  Smythe-Smith (sim, os personagens de Julia Quinn dão o ar da graça nesse livro!!!), para se revelar ao seu noivo. Claro que ela também acaba surpreendida, ao se deparar com um gigante ruivo, vestindo kilt, que tira completamente seu fôlego e a faz ansiar, tanto quanto ele, pelo leito matrimonial.

Quanto a Gowan, ver Edie toda esplendorosa, só a deixa mais resoluto em tomá-la como esposa, e quando esse encontro faz acender faíscas, ele decide quebrar todos os protocolos e desposá-la o mais rápido possível. 

Pensara nela como se fosse um gole de água pura. No entanto, naquele momento, encarando-a, ela era um rio turbulento, vívido e perigoso. Ela mudaria a vida dele. Ela o mudaria por inteiro.
Só que a noite de núpcias para esses dois jovens inexperientes não corresponderá ao que ambos sonharam. E a duquesa se isola no alto da mais alta torre do castelo do duque, que só terá acesso quando ele tiver não apenas coragem para escalá-lo, mas quando, enfim, ele derrubar uma barreira mais alta: a desconfiança e as dúvidas da sua esposa.


Antes de mais nada: que livro mais amor!!!! Se o livro anterior da série me deixou com um certo vácuo, esse, certamente, veio para recompensar em dobro!

Como o nome sugere, desta vez a história é baseado no conto da Rapunzel. E quem faz a vez da princesa é Edie, uma jovem que sempre se dedicou à sua música e cuja sensualidade é despertada pelo seu futuro marido, que desperta de forma bem intensa sua natureza apaixonada, a qual ela só dedicava para a prática do violoncelo. Sua relação com Gowan é bem intensa, desde o começo.

Gowan é um personagem adorável, que prega a fidelidade e a honra desde muito cedo em sua vida, fugindo totalmente dos exemplos que os seus pais deixaram. Sua natureza apaixonada também é despertada quando conhece Edie, e isso o faz ter novas atitudes e um novo olhar sobre si mesmo e sua vida. Os dois, juntos, é muito gostoso de ler.

A trama começa suave, com uma narrativa bem eloquente, cujos diálogos entre os personagens e as cenas destacam toda a sutileza da sensualidade e da paixão entre dois jovens que estão conhecendo esses sentimentos agora. E o ponto de conflito nasce justamente disso: os dois são completamente leigos no que se refere a sexo, então...

Então não falarei mais nada, porque não quero estragar com spoiler a delícia que foi ler esse livro. Quem desanimou com a série por causa do último livro, sugiro que a retome, porque Eloisa James volta com força total nessa história, que me arrancou sorrisos e muitos suspiros apaixonados.


Compartilhe!

4 comentários :

  1. Oi Lucilene!
    Eu quero tanto ler os livros, cada vez que leio resenhas deles eu fico ainda mais ansiosa, pra confessar, com bastante expectativas...
    As capas são lindas e eu imagino que os enredos tbm são.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Lucilene,

    Posso estar errada, mas tive a impressão de que os sentimentos de ambos foram desenvolvidos rápido demais.

    Então, por causa desse ponto, eu me desanimei um pouco em lê-lo... No mais, parece ser uma história bem construída e sucinta.

    ResponderExcluir
  3. Quero mo ler essa série. O casal parece que são personagens que nos conquistam logo no começo, parecem que são bem fofos, gostei que os dois são inexperientes no relacionamento, assim podem começar devagar e com carisma, deve ser gostoso acompanhar esse crescimento deles.

    ResponderExcluir
  4. Lucilene!
    Adoro releituras de contos de fadas e achei bem interessante esse ser da Rapunzel.
    Como não li nenhum dos livros da série ainda, nem posso comparar, mas se ficou no vácuo no anterior e esse foi o mais amor, é porque é bom, né?
    Que inocência das criaturas em relação ao sexo...
    “O passado é uma cortina de vidro. Felizes os que observam o passado para poder caminhar no futuro.”(Augusto Cury)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei