13 outubro 2018

[Resenha] Em Pedaços - Lauren Layne

“Uma garota com segredos corrosivos. Um ex-soldado com cicatrizes externas e internas. Um amor que pode salvar ambos... ou destrui-los de vez.
Aos vinte e dois anos, Olivia Middleton tem Nova York aos seus pés. Por fora, ela é a garota perfeita — linda, inteligente e caridosa — mas, por dentro, guarda um segredo terrível: um erro que a afastou das duas únicas pessoas que realmente importavam na sua vida. Determinada a esquecer o passado, ela deixa Manhattan e vai trabalhar como cuidadora de um soldado recém-saído da guerra. O que ela não esperava era que seu paciente seria um jovem enigmático de vinte e quatro anos tão amargurado quanto atraente.
Paul Langdon está furioso — com o mundo, com a vida, com o seu pai e, principalmente, consigo mesmo. Depois de sofrer na pele os horrores da Guerra do Afeganistão, a última coisa que ele quer é a companhia de uma princesinha nova-iorquina linda, mimada e irritante. A presença de Olivia parece tóxica para Paul: ela o incomoda, mas ele não consegue afastá-la, por mais que tente.
Nessa recontagem moderna de A Bela e a Fera, Lauren Layne nos traz uma história irresistível de perdão, cura e, acima de tudo, amor.”
Livro:  Em Pedaços|| Série: Recomeços #1 ||  Autor: Lauren Layne 
Editora: Paralela || Classificação: 2 estrelas || Resenhistas: Karla e Luiza
 Ano: 2018|| Gênero: Romance, Adulto

Oi gente! Essa vai ser uma resenha diferente, escrita a duas mãos (Luiza e Karla) ❤️ Esperamos que gostem!

Olivia era perfeita para todos, tinha tudo o que queria, mas cometeu um erro. Esse erro mexeu com ela a ponto de se achar uma pessoa ruim demais, e de abandonar a sua vida e todas as regalias que  possui. Sua família é rica e ela é a típica mocinha mimada que frequenta uma boa faculdade e tem um futuro garantido. E ela desiste de tudo isso para fazer algum trabalho de ajuda ao próximo, qualquer coisa que traga significado para a sua vida, depois de ter cometido um erro que considera imperdoável. Se sente uma pessoa péssima e precisa fazer algo bom.

E é assim que ela se vê em outro estado, numa cidade do interior, longe de tudo que conhece. Seu papel agora é cuidar de um ex-soldado ferido na guerra, que desistiu de viver. 

Paul é jovem, mas já passou por muito. Depois de uma ferida que sofreu no Afeganistão, uma de suas pernas ficou inválida, mas o que realmente acabou com sua vida é tudo aquilo que ele carrega dentro do peito. Viu muito, passou por muito, teve que fazer escolhas terríveis na guerra e no fim saiu vivo, quando muitos que conhecia não voltaram para casa. 
Paul não via mais nenhum sentido na vida, não se sentia merecedor de mais nada e estava completamente resignado ao seu estado miserável.

Antes de ir para guerra, ele já teve tudo que sonhou. Já foi uma celebridade esportiva, já curtiu muito, já viveu muito, e enxerga esses anos com muita amargura, porque jamais poderá voltar a ser o que já foi.

Só que a chegada de Olivia muda as coisas.

Seu pai já contratou diversas enfermeiras, fisioterapeutas e profissionais da área para ajudá-lo, mas Paul simplesmente havia desistido. Dessa vez, seu pai disse que era a última vez que tentaria e fez um acordo com Paul. Ele realmente deveria tentar, e se não desse certo, o deixaria em paz na sua miséria. E se ele não tentasse, o pai o abandonaria de vez.

 O que aconteceria dali em diante mudaria inegavelmente a vida dos dois. Como Olivia quebraria essa grande barreira em torno de Paul? Porque ele desistiu? O que ela fará quando perceber que ergueu sua própria barreira? 

Alguém vai ter que ceder. Alguém vai ter que mudar as coisas. Qual dos dois? Só lendo para descobrir. Mas, uma coisa é certa: ambos não imaginam que não há mais como voltar atrás.



Já queríamos ler esse livro há algum tempo, a capa é linda e chamou a atenção de imediato. Mas, quando terminamos de ler e paramos pra pensar, realmente não gostamos muito do desenvolvimento. Sabe quando você vai com muita sede ao pote e de repente não era aquilo tudo que imaginou? Esse livro trouxe esse sentimento. Achamos que poderia ter sido muito mais.

Quem somos nós para julgar os motivos para que alguém deixe toda sua vida para trás. Porém, na nossa opinião, o motivo de Olivia mudar toda sua vida foi extremamente fraco e superficial.

E a maneira como os dois personagens já se atracam na primeira vez que se encontram foi um tanto demais. Ela olha para ele e pronto, já está extremamente atraída a ponto de não se controlarEle também já fica louco por ela instantaneamente! Meio surreal.
“Por que estou com água na boca? Ainda nem vi o cara direito, mas sinto que estou a quinze segundos de perguntar se a prole dele gostaria de vir morar no meu útero.”
Olivia é muito fútil, mimada e de repente, já sabe como precisa lidar com ele, tem todo um crescimento de personalidade feito de forma mágica. E ele é grosseiro com ela. Bem grosseiro. É aquele tipo de pessoa que usa a agressão verbal e excesso de melancolia para afastar qualquer um e não deixar ninguém se aproximar de verdade, para não ver como ele realmente está sofrendo.
Ela aceita tudo muito facilmente. Releva tudo muito rápido. E ele a humilha diversas vezes e ela, de repente, entendia o porquê e pronto, tudo perdoado.
“Só queria assustá-la, bancando o grandalhão desagradável que parte para cima da garota, mas ela respondeu de forma inesperada.
Não é bem nosso tipo de mocinho, mas, mesmo assim eles vão construindo esse relacionamento que têm altos e baixos o tempo todo, e ela realmente o faz sair da inércia em que se encontrava e essa parte do livro é muito sensível. A luta para que ele enxergasse que estava fazendo mal a si mesmo. Ela mostra que a vida vale a pena ser vivida. Que os amigos estão ali junto de você, se importando com o que acontece contigo. Eles vão se tornando amigos além da atração, vivendo num mundo meio cor de rosa até ela perceber que não pode viver sem ele.

A escrita da Lauren é inegavelmente fluida. Depois da metade do livro é bem rápida a leitura. Te prende até o fim. 

Mas, o livro tinha tudo para ser melhor, pois o tema é bom. Um ex-soldado que precisa ser curado e uma jovem que está fugindo de seus problemas e quer se reinventar. Só que os problemas da Olivia não sensibilizaram e o segredo do Paul, que daria um ótimo gancho para cura dele, foi relegado a algumas passagens apenas.

Faltou dar mais profundidade aos personagens. Desenvolver melhor o início do livro quando eles se encontram. Na nossa cabeça, alguém que tem profundas cicatrizes emocionais como ele não teria caído num Instalove (ou em uma atração selvagem imediata!). Não sei se era a intenção dela fazer um apanhado apenas geral no conto da Bela e a Fera, com as cicatrizes e maneiras rudes, mas ficaríamos muito felizes com algumas páginas a mais.

É uma história sobre relacionamentos, decisões que tomamos e o que podemos fazer para seguir em frente quando achamos que não temos mais para onde ir. O que fazer quando as escolhas que tomamos fazem nossa vida virar do avesso? Como sentir, como respirar, quando existe uma dor tão grande no peito que te sufoca?

Leiam Em Pedaços e embarquem nessa história intensa de Olivia e Paul.
“Essas são minhas opções. Posso viver na luz sem você, ou ficar aqui na escuridão.”

Compartilhe!

4 comentários :

  1. É tão frustrante quando criamos expectativas com algum livro e ele não corresponde ao que esperávamos. Parece que as coisas acontecem muito rápido, as pressas, é uma pena pois deveria ter sido melhor trabalhado os personagens e o romance. Odeio personagens mimadas, não tenho paciência com frescurite rs. Acho que não leria o livro, mas é bom que do meio em diante a leitura deslancha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria, nunca desista de um livro. E se você gostar? Mas realmente para nós, do meio para lá foi um pouco melhor.

      Excluir
  2. Oi, meninas,


    Apesar de ser uma história clichê, é nítido a clareza que a autora teve em explorar os dramas pessoais dos personagens - com uma narrativa convidativa. Ainda mais por se tratar de dramas marcantes... O que deixa a leitura mais envolvente e de fácil apreço.

    Os personagens têm traços cativantes, apesar do Paul ter dificuldades em lidar com todas as suas feridas. Esse pequeno detalhe me mantém muito presa em um livro.

    Sei que vai ser uma leitura que eu vou curtir bastante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu um pouquinho mais, sabe? Mas é um ótimo livro para se ler.

      Excluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei