23 outubro 2018

[Crítica] Um Pequeno Favor



Tivemos o prazer de participar da cabine de Imprensa do filme baseado no livro de Darcey Bell, Um Pequeno Favor, que conta a história de uma Vlogger e mãe solteira, Stephanie Smothers, vivida por Anna Kendrick e da misteriosa e bem-sucedida, Emily Nelson, que temos a maravilhosa Blake Lively no papel.

Stephanie tinha uma vida normal de mãe, sempre se metendo e querendo fazer tudo para se mostrar presente na vida do filho, até que acaba conhecendo Emily, uma mãe totalmente seu oposto, sempre ocupada com o trabalho e sem tempo para se dedicar as coisas da escola. Como se se encaixassem, as duas logo se tornam amigas, passando diversas tardes tomando Drys Martinis e conversando sobre seus segredos.

“Você bebe? Seu filho bebe, talvez? Nunca é cedo demais para ensiná-los.”

Onde o mundo de Stephanie vira de ponta cabeça, quando sua melhor amiga Emily pede que ela busque seu filho Nicky (Ian Ho), na escola até que ela possa ir buscá-lo. Só que o que deveriam ser algumas horas se tornam dias e o sumiço de Emily se transforma em uma teia de mistérios e mentiras, onde Stephanie se vê obrigada a investigar.

“Minha esposa é um enigma. Ela é como um lindo fantasma.”
Não conhecia muito sobre a história, apenas o trailer e a ligação da trama que acabava me levando ao filme “Garota Exemplar”, era tudo que eu tinha, pois o livro ainda não havia chegado e eu pretendia ler logo após ver o filme. E gostei muito de ter ido ver o filme sem esperar algo afinal, de não saber o que viria a cada cena e a cada mistério, por ser algo novo. Claro que sempre gostei de ver filmes baseados em livros, onde eu já havia lido o livro antes, só que não posso negar, foi uma “surpresa” boa para mim.

Blake Lively e Anna Kendrick se completavam em cena de uma maneira da qual nunca consegui imaginar. Os papéis pareciam ter sido escritos para cada uma delas, afinal, quem não consegue imaginar Blake como uma magnífica e bem-sucedida mulher de negócios? Sempre impecável e perfeita? Já Kendrick traz aquele ar divertido, desastrado e curioso que equilibra bem a dupla em cena. Para mim, o filme se completou aí, na escolha de ambas para o elenco.

O filme acontece de forma dinâmica, que quando você percebe já está no meio do furacão que é a história da vida de Emily e os segredos que ela esconde, se afogando cada vez mais nos dramas e na constante buscar por respostas com Stephanie. Por mais que seja um Thriller, com todo aquele clima de mistério, tem muitas cenas que quebram isso e arrancam várias risadas, não de forma forçada, mas de uma forma que se encaixa perfeitamente.

Com diversas revelações e reviravoltas, o filme te prende do início ao fim, te fazendo ficar vidrado a tela e junto com Stephanie tentar entender e desvendar tudo que está acontecendo. Com um final surpreendente, que ao meu ver não precisava tanto do humor, que acabou deixando meio forçado, mas tirando isso, foi algo que eu não esperava, mas acabei gostando.

É um filme que dita seu próprio tempo e suas próprias regras, com uma paleta de cores que eu simplesmente amei e uma trilha sonora que te deixa cantarolando as músicas por um bom tempo. É um filme que vale a pena ser visto, por aqueles que já leram o livro e por aqueles que não leram também, que assim como eu, se surpreendeu de forma boa, que talvez, se tivesse lido o livro antes, não fosse me apegar tanto.

Assista o trailler abaixo:




Compartilhe!

4 comentários :

  1. Não sabia do filme e nem do livro, fiquei super curiosa para assistir primeiro e depois ler. Adoro thriller essa parte do humor também gosto, mas no thriller não sei como ficaria. Parece ser uma leitura intrigante com esse desaparecimento da amiga. Na trama tem muitas coisas que adoro entre elas mistério e reviravoltas que me deixa querendo ler de uma vez para desvendar o que aconteceu.

    ResponderExcluir
  2. Oi Bárbara!
    Segunda vez que leio sobre essa série, fiquei interessada em conhecer, parece bacana.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Bárbara,

    Quando o tema central da história gira em torno de descobertas a serem desenterradas, acredito que prende mais o espectador, pois a partir daí, não se sabe ao certo que rumo a mesma vai tomar.

    Então, essa adaptação me parece ser bem solícita, com uma grande desenvoltura - que eu espero conferir em breve!

    ResponderExcluir
  4. Bárbara!
    Não li o livro, nem assisti o filme, mas já quero, porque adoro thriller psicológicos, onde vamos descobrindo a vida das pessoas envolvidas, seus segredos, toda tensão, enfim, adorei.
    Já quero.
    Uma boa semaninha!
    “O passado é uma cortina de vidro. Felizes os que observam o passado para poder caminhar no futuro.”(Augusto Cury)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei