16 agosto 2018

[Resenha] Um Reino dos Sonhos - Judith McNaught


Royce Westmoreland, o “Lobo Negro”, é enviado pelo rei da Inglaterra para invadir a Escócia. Quando seu irmão, Stefan, sequestra Jennifer e Brenna Merrick, filhas de um lorde escocês, do convento onde vivem, as vidas de Royce e Jennifer se entrelaçam. Ele, um poderoso guerreiro que já ganhou muitas batalhas, não vê a hora de encontrar uma mulher que o amará pelo homem que é, não pelo medo inspirado por sua lenda. Ela, uma jovem rebelde em busca do amor e da aceitação de seu clã, mesmo na condição de prisioneira, não se deixa abalar pela fama de seu arrogante captor.
Conforme os conflitos entre os dois se tornam mais frequentes, a urgência de se entregarem um ao outro só aumenta. Certa noite, quando ele a toma apaixonadamente nos braços, desperta nela um desejo irresistível. Mas, se Jennifer seguir seu coração, perderá tudo aquilo pelo que vem lutando e jurou honrar.


Livro:  Um Reino de Sonhos||Série: Dinastia Westmoreland # 1||Autor: Judith McNaught
Ano: 2018 ||  Editora: Bertrand Brasil|| Gênero: Romance de época/Ficção
Classificação: 5 estrelas || Resenhista: Luci

Skoob || Compre || Editora

Participe do Top Comentarista de Agosto
Ambientada no período medieval, Um Reino de Sonhos nos traz a história de Jennifer, uma jovem impetuosa, filho de um senhor feudal poderoso, que devido às intrigas de seu meio-irmão, é isolada em um convento para afastá-la da hostilidade do seu próprio clã, que a julga culpada por uma fatalidade. 

Sua vida muda quando, após 2 anos de isolamento de seu clã, apenas tendo a companhia da irmã no último ano, ela recebe a visita do seu pai, que a ignorou por tanto tempo, mas a visita não é movida por sentimentos fraternos: ele vai finalmente tirá-la do convento, mas para casá-la com outro senhor poderoso, que pode unir seu exército ao dele para derrotar seu mais odioso inimigo: Royce Westmoreland, o temido guerreiro conhecido como "Lobo Negro". Disposta a provar a lealdade ao clã, e assim ter a oportunidade de apagar a imagem distorcida que ficou dela, Jennifer decide acatar as ordens do pai. Isso, até o destino interferir; Jennifer e sua irmã são sequestradas e levadas até o lendário "Lobo Negro".

Royce Westmoreland, o Conde de Claymore, é uma lenda em seu tempo: lutador feroz, que nunca perde uma batalha e arrasa os inimigos por onde passa. Pronto a empreender uma nova campanha, invadir a Escócia a serviço do rei inglês, é surpreendido pela impulsividade do seu irmão mais novo, que decidiu sequestrar as filhas do seu inimigo, como uma forma de ter vantagem na batalha contra ele. Ele acaba por manter as jovens reféns, sem esperar que a impetuosidade de Jenny o force a iniciar uma batalha paralela.

Apesar de um guerreiro habilidoso, Royce é muitas vezes ludibriado por Jennifer, que não aceita seu cativeiro de forma  passiva e faz o possível para desafiar seu inimigo, desencadeando uma série de atos que, ao invés de afastá-la definitivamente de Royce, só atiça o desejo do conde de domá-la e tê-la para si. E o atrito entre os dois cria, literalmente, faíscas: apesar de estarem em lados opostos, ao invés de a raiva ser alimentada, no lugar dela  uma paixão crescente é fomentada, que desnorteia os dois e faz ambos se renderem a um apaixonado relacionamento... que a rivalidade entre os clãs acaba por  destruir.

Só que o período em que Royce teve Jennifer como amante terá consequências: para evitar conflitos políticos, o rei decide que o castigo de seu melhor guerreiro será casar-se com a mulher que lhe despertou uma avassaladora paixão, mas que o ludibriou como a nenhum outro adversário em campo de batalha. 

E em meio aos conflitos e intrigas familiares, ambos terão caminhos a escolher e decisões a tomar, e todas elas envolverão honra e lealdade para com seus clãs e os ideais que acreditam. E, acima de tudo, enfrentarão um duelo de sentimentos, que determinará o destino dos dois.



São tantos motivos que me fizeram dar 5 estrelas nessa história, que vou me esforçar para elencar apenas alguns. O primeiro deles, se deve á escrita de Judith McNaught e a forma como ela constrói a narrativa fluida, com os conflitos necessários para que a história dê aqueles reviravoltas necessárias que prendem o leitor e o faz ansiar pelo próximo capítulo. A forma como descreve cenários, pessoas, sentimentos, são bem vívidas, o que nos faz viver a história, o que causa um conflito dentro de nós mesmo, pelas atitudes dos personagens. E essa é uma habilidade que poucos autores possuem.

Com relação aos personagens, tenho que destacar os dois protagonistas. Royce, certamente, foi um personagem muito bem escrito, destacando-se aqui a sua lealdade para com seu clã, que somada à sua coragem e natureza apaixonada, fizeram com que ele se destacasse; é um homem descrito conforme a mentalidade do seu tempo, mas com características apaixonantes para um fã de leitor de romance de época. 

Jennifer, apesar de ter tirado minha paciência (ainda sinto rancor pelo cavalo. Quem leu o livro entenderá!), gostei muito de a autora ter escrito uma protagonista cheia de perspicácia, certamente sua teimosia e personalidade voluntariosa deu aquele up a mais no livro, apesar de despertar uma gama de sentimentos, a mais recorrente, confesso, irritação por certas atitudes.

Mas a obra, de uma forma geral, é bastante cativante, seja ela pelos personagens, tanto os protagonistas quanto os secundários, o sutil toque de humor, sensualidade e paixão, conjunto que faz  dela um romance apaixonante, que enlaça o leitor em cada página. Recomendo muito essa leitura!

Compartilhe!

10 comentários :

  1. Oi, Lucilene,

    Um dos destaques do livro que chamou minha atenção é essa questão política, esse embate entre os clãs.

    E essa rivalidade entre os clãs de ambos, é que torna o romance mais arrebatador. O livro parece ser bem construído, com elementos o suficiente para prender o leitor.

    ResponderExcluir
  2. Gosto bastante dos livros que relatam o confronto entre Escócia e Inglaterra e esse livro me chamou atenção poque além disso tem uma premissa muito boa e acho que esse romance promete muita emoção. Acho que a escrita da autora é boa e espero fazer a leitura em breve.

    ResponderExcluir
  3. Oi Luci, eu sou fã do trabalho da Judith, já adquiri vários livros nos sebos há um tempo atrás quando era difícil ver novas publicações dela, e todas as histórias que ela escreve marcam o leitor de alguma forma, acho incrível essa capacidade que ela tem de envolver, de fazer sentir, até quando não curto algumas atitudes dos personagens eu gosto haha. Apatia não é uma palavra usada nas leituras dessa autora.
    Eu tô bem feliz que tem livros novos e alguns relançamentos dela sendo lançados e quero todos na estante. Já li e amei essa história e sobre o cavalo, eu tive que parar pois não acreditei que Judith, ops Jennifer haha, fez aquilo, senti demais com aquela cena.

    Amei a resenha <3

    ResponderExcluir
  4. Lucilene!
    Que livro delicinha, hein?
    Leitura descontraída, hilário, romance forte e gostosinho, do jeitinho que gosto.
    A autora escreve muito bem.
    Já adicionei nos desejados.
    “O amor é a força mais sutil do mundo.” (Mahatma Gandhi)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA AGOSTO - 5 GANHADORES - BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  5. Ainda não conheço a escrita da autora, mas são bem comentados seus livros que desperta curiosidade. Gosto quando o casal fica nessa birra no começo deixa a leitura divertida e envolvente. Parece ser uma historia com muitos acontecimentos e que deixa o leitor ansioso e aflito.

    ResponderExcluir
  6. Oi Luci.
    Adoro romances de época, então fiquei bem interessada nesse livro.
    Já vi várias resenhas positivas elogiando a escrita da autora, a trama envolvente e os personagens maravilhosos. Seus motivos me deixaram com mais vontade de ler esse livro.
    Parece que o casal tem alguns desentendimentos e algumas atitudes que deixaram o leitor envolvido em saber o que acontecerá em seguida.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá Lucilene!
    Qro mto ler esse livro, pude acompanhar algumas resenhas, que ainda bem foram bem positivas, então tô aqui na torcida pra que surja uma oportunidade em breve.
    Amo esse gênero!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia a autora, mas achei incrível toda essa premissa.
    Gosto muito quando a trama é medieval, e mostram bastante todos esses costumes , clãs e coisas dessa época. A mocinha se apaixonando pelo seu algoz por mais que seja clichê, a autora parece ter conseguido se reinventar e fazer a gente ficar vidrada na trama.
    Já quero muito ler.

    beijiinhos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir
  9. Romances não são meu gênero favorito, confesso, mas os de época sempre tem um charme a mais pra mim, seja pelo cenário, pela cultura ou simplesmente pelo fato de que minha trajetória como leitora começou com eles. Esse em particular me deixou apaixonada já no início, afinal, a Escócia é minha ambientação preferida dentro do gênero. A protagonista forte e teimosa também me chama atenção, por fugir dos padrões esperados de uma mocinha. Além disso, o enredo, apesar de não ser original, promete muita ação e surpresas, e eu sou muito atraída por isso.

    ResponderExcluir
  10. Gosto muito dessa autora, ela tem uma escrita muito fácil e nada de complexidade, isso é algo que curto muito. Uma história no período medieval é muito bom, com certeza vou ler.

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei