29 agosto 2018

[Resenha] Sonata em Punk Rock - Cidade da Música #1


Por que alguém escolheria uma orquestra se pode ter uma banda de rock? Essa sempre foi a dúvida de Valentina Gontcharov. Entre o trabalho como gerente do mercado do bairro e as tarefas de casa, o sonho de viver de música estava, aos poucos, ficando em segundo plano. Até que, ao descobrir que tem ouvido absoluto e ser aceita na Academia Margareth Vilela, o conservatório de música mais famoso do país, a garota tem a chance de seguir uma nova vida na conhecida Cidade da Música, o lugar capaz de realizar todos os seus sonhos. No conservatório, Tim, como prefere ser chamada, terá que superar seus medos e inseguranças e provar a si mesma do que é capaz, mesmo que isso signifique dominar o tão assustador piano e abraçar de vez o seu lado de musicista clássica. Só que, para dificultar ainda mais as coisas, o arrogante e talentoso Kim cruza seu caminho de uma forma que é impossível ignorar. Em um universo completamente diferente do que estava acostumada, repleto de notas, arpejos, partituras, instrumentos e disciplina, Valentina irá mostrar ao certinho Kim que não é só ele que está precisando de um pouco de rock and roll, mas sim toda a Cidade da Música.

Livro: Sonata em Punk Rock || Autor: Babi Dewet|| Série:  Cidade da Música #1
Editora: Gutenberg ||Ano: 2016 || Gênero:  YA, Romance
 Classificação: estrelas || Resenhista: Lud

Skoob || Compre || Editora
Participe do Top Comentarista de Agosto
Eu conheço a Babi faz um tempo, toda bienal nós tiramos fotos, e mesmo em outros lugares, ela sempre é muito mais do que simpática. Mas, apesar disso, eu nunca tinha lido um livro escrito por ela. E não se engane, tenho todos em casa, porque essa pessoa é maravilhosa, e eu nunca pensei duas vezes antes de comprar os seus livros. E isso que faz uma autora, além da sua escrita. Mas vamos para a história do livro. 

Valentina Souza Gontcharov, ou Tim para os íntimos, é uma garota de 18 anos que vive com a mãe no Rio de Janeiro. Com uma infância difícil, já que foram abandonadas pelo pai, que alegara ter muito talento para ficar preso a uma vidinha normal. Esse fato marca a vida da Tim de diversas formas, como a sua mãe tendo que trabalhar muito para sustentar sozinha a filha, fora os traumas que acompanham uma criança. Mas Tim agora está crescida e tirou definitivamente qualquer pensamento sobre o pai da sua vida. Mas isso parece mudar de uma hora para outra. 

Tim ama a música, tanto que se inscreve na Academia Margareth Vilela, mesmo não tendo como pagar para cursar, só pelo fato de saber que ela, uma garota que nunca teve aulas, aprendeu tudo sozinha, está à altura para essa faculdade. E isso acaba acontecendo quando ela passa e de repente vê um futuro possível em algo que tanto ama. Mas esse futuro vem com a presença do pai, que acaba por pagar a educação da filha. 

Agora, Valentina está no conservatório, um lugar que vive de música e seus sonhos estão se realizando. Ela só precisa aprender a como encaixar uma garota Punk Rock dentro de um conservatório que respira música clássica.  



Eu me surpreendi um pouco com essa leitura, porque não esperava algo tão leve e simples. Não achem que isso é uma coisa ruim em livro, pois não é. 

A escrita é bem limpa e a construção do enredo é gradual e suave.  Mas a leitura em si foi um pouco linear para mim, só quando o casal começa a se entender que fui mais com sede ao pote, mas mesmo assim, continuou o mesmo.

Apesar da nossa personagem ser bem Punk Rock, ela é bem calma para toda essa personalidade que é descrita no livro. Com uma vida difícil, e passando por várias situações, eu esperava uma menina que se defendesse mais, e que não caísse de cara na frente de um cara cretino só porque ele é o cara mais lindo que ela já viu. Achei muito interessante o Kim, como ele pensa e age, e acho que ele foi pouco explorado, ele com certeza é um personagem complexo. Essa falta de desenvolvimento deixou os protagonistas com personalidades rasas, e consequentemente, difícil para nós nos conectarmos. Ainda sobre os personagens, todos apresentavam uma atitude de ensino médio, e não pessoas com mais de 18 anos cursando uma faculdade.  

O que faltou um pouco na história, para dar uma emoção, foi aquela briga de gato e rato que temos quando as personalidades são muito contrários, mas a atração é inevitável. Diálogos mais sagazes e com aquele quê de provocação só aconteceram no final. A falta de um grande drama para mim foi o que pegou na leitura. Claro que a vida da Valentina mudar de um hora para outra já é um big drama, mas não foi tão bem desenvolvido assim, o que deixou um vazio na história. Algumas vezes, eu me peguei ansiosa quando um personagem específico aparecia, porque eu achava que ela traria o que faltava. 

No enredo dá para notar muitas influências dos livros que lemos (HP, Tolkien), não na escrita em si, mas a personagem cita algumas passagens, ou compara algumas situações. E algumas vezes, isso me pareceu um pouco forçado, eu não senti que a Valentina era tão apegada assim aos livros. 

Outra coisa que notei foi que a Babi puxou alguns esteriótipos ou situações e os desmistificou. Situações onde você espera que a pessoa aja de certa forma, porque a sociedade sempre mostrou que era assim, mas acaba sendo o inverso. E tem muitas situações assim aqui e nem todas funcionaram para mim. O K-pop, que é algo que a autora adora, está presente, mas não de uma forma marcante, mas ainda assim você consegue identificar.

De modo geral, muitas coisas funcionaram para mim, como a junção da música clássica com o rock, ao mesmo tempo que achei que faltou desenvolvimento em algumas partes, e personagens ou situações que foram inseridas, mas que não fizeram seu papel, só ficou perdido por lá.   

Eu fiquei um pouco indecisa quanto a classificação do livro, e apesar de toda a crítica, foi um livro que eu li rápido, em duas noites. E já quero ler o segundo livro da série, e conferir como a Babi conduzirá o enredo.

Compartilhe!

15 comentários :

  1. Oi, Lud,

    Quero com certeza ler. Me encanta muito livros leves, fluídos e com uma boa combinação da música como pano de fundo.

    ResponderExcluir
  2. Oi Lud, já vi a Babi em alguns videos e ela parece ser bem fofa mesmo e isso é positivo pro autor. Ainda não tive oportunidade de ler nenhum de seus livros, mas vejo muitos elogios a eles e isso me desperta curiosidade. Eu achei bacana a trama ser leve e o fato da junção de música clássica com o rock ter dado certo e mesmo o livro tendo algumas ressalvas nessa resenha, parece uma opção pra começar a conhecer a escrita da autora ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Lili, apesar das ressalvas eu indico o livro, e já quero o segundo livro.

      Excluir
  3. Oi Lud.
    Ainda não li nada da autora, mas tenho bastante vontade.
    Deu para notar que a história é bem leve, com personagens interessantes e eu adoro o cenário de fundo (tanto da parte musical como ser ambientado no Rio).
    Parece uma boa história, que se lê rapidamente, mas ao mesmo tempo parece que falta algo.
    Mesmo assim, pretendo ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Pamela, espero que você leia e se encante pela história.
      O que faltou para mim pode não faltar para você.
      Bjoks

      Excluir
  4. Gostei bastante da premissa, acho que traz algo diferente do que já estamos acostumadas juntamente com a leveza da história. Sempre ouço coisas boas sobre a escrita da Babi e já coloquei essa leitura na lista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luana,
      leia sim e depois me conta o que achou

      Excluir
  5. Lud!
    Sinto que tenha faltado algo no enredo que causou um vácuo.
    Adorei o livro. Primeiro porque fala de música e gosto da ópera ao punk rock, portanto, é perfeito.
    E depois que a playlist, fiquei ainda mais apaixonada.
    Adorei!
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oieee Rudynalva.
      Que bom que você gostou do livros, a Babi é uma pessoa maravilhosa.
      BJoks

      Excluir
  6. Olá Lud!
    Ainda não li nd da autora, mas parece que mtos leitores curtiram a leitura, este já está nos meus desejados, espero gostar do enredo msm com a falta de algo ...
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Aline, espero que goste também!

      =)

      Excluir
  7. Eu nunca li nada da autora, mas gostei da trama e do fato de a música, em diferentes estilos e ritmos, ser parte do foco do enredo. Achei bastante decepcionante as personagens não serem construídas ou aprofundadas como deveriam, mas acredito que os temas abordados tragam uma mensagem positiva que incentive os leitores a correrem atrás de seus sonhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Patrini,

      eu também achei muito interessante, e me decepcionou um pouco, mas tenho fé no próximo livro.

      Excluir
  8. Por ter música chama a atenção é sempre agradável quando tem, mas em outras coisas parece que não tem nada demais no livro, surpresas, grandes acontecimentos, a leitura deve ter ficado bem morna. Esperava mais principalmente em relação ao pai.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Maria,

      eu queria uma construção melhor, mas faz parte. Estou esperando o segundo livro sair para ver a escrita.

      Excluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei