24 agosto 2018

[Resenha] A Rainha das Trevas - Anne Bishop


Incapazes de atingir Jaenelle, a jovem Rainha, os membros corruptos dos Sangue fazem um jogo perverso de diplomacia e mentira, procurando destruir aqueles que sempre deram tudo por ela. E revertem as culpas para o seu tutor, Saetan, que passa a ser visto como a maior das ameaças ao poder instituído. Com Jaenelle como Rainha, a chacina do povo e a profanação das terras irá terminar. Porém, onde se fechou uma porta poderá abrir-se uma janela E mesmo que Jaenelle possa contar com os seus aliados, talvez não seja suficiente: só um terrível sacrifício poderá salvar o coração de Kaeleer.








Livro: A Rainha das Trevas || Série: Trilogia As Jóias Negras #3
Autor: Anne Bishop ||  Editora: Arqueiro
Classificação: estrelas || Resenhista: Lu
 Ano: 2017



Resenha dos livros 01 e 02

Depois do tórrido final de A Herdeira das Sombras, como não ficar desesperada para ler esse livro?

Jaenelle formou a sua corte. Daemon enfim conseguiu sair do Reino Distorcido. Mas, até chegar no destino que todos desejam, muita coisa ainda vai acontecer.

Dorothea e Hekatah estão unidas no propósito de destruir Saetan e controlar Jaenelle, mesmo que para isso, tenham que levar a guerra até Kaeleer. Para concretizar seus planos, elas lançam uma teia de mentiras para o povo, como se Saetan e seus filhos estivessem matando famílias e famílias que iam de Terreille para lá, por puro sadismo e abuso de poder. Como se eles quisessem dominar toda a terra, e não parariam até subjugar todos os Sangue.

E, assim, com a discórdia plantada em vários lugares, uma cadeia de eventos vai levando ao inevitável... a guerra se aproxima.

Uma passagem de tempo nos leva até Jaenelle já com 25 anos, seu reino concretizado, um lugar onde os Sangue são respeitados e prosperam. Só uma coisa falta em sua vida: seu consorte.

Sim, isso significa que cinco anos se passaram desde que Daemon saiu do Reino Distorcido. Ele não conseguiu obter nenhuma pista do paradeiro de Jaenelle, não sabe que ela é a rainha de Ebon Askavi, a corte das trevas, e nem que está ao lado de seu pai e seu irmão.

Uma sequência inesperada de acontecimentos, o coloca no caminho de Kaeleer, à procura de uma rainha para servir, pois um macho não pode ficar tanto tempo sem se subordinar a ninguém. Ele quase vai para um caminho completamente oposto ao seu destino, mas finalmente acaba sendo encontrado por Lucivar, que é o príncipe dos senhores da guerra de Ebon Rih.

A príncípio tudo é muito novo para Daemon. Ele demora a entender que neste reino, os costumes são outros, as pessoas são tratadas com respeito e ELA é o centro de tudo. FINALMENTE ele a reencontrou... tudo pelo que ele lutou a vida toda agora está à sua frente. Um reino governado por uma boa rainha, que vale a pena servir e por quem ele faria tudo. Sua rainha, sua feiticeira... e ele seria seu consorte.

Só que as coisas não são tão fáceis. Ambos passaram por muitos traumas, muito sofrimento, e precisam voltar a se conhecer por um tempo antes de concretizarem essa união.

Enquanto isso, uma série de engrenagens gira por todo o reino. Dorothea e Hekatah querem guerra e não jogam limpo. Jaenelle quer evitar a guerra porque o que ela viu nas teias é... perturbador, e ela quer evitar ao máximo.

Enquanto enfim, vivem a tão esperada felicidade, precisam traçar planos, fazer escolhas difíceis e aproveitar ao máximo seu tempo juntos... Pois uma tempestade vem aí.

E nessa grande tempestade, todos farão a diferença. Os parentes serão o alicerce, a força que mantém o sonho vivo. As rainhas serão a base, os homens serão a garra e as aranhas traçarão a teia mais importante de todas. Jaenelle dará toda a sua força e mostrará para o mundo que ninguém pode contra a Feiticeira.

Sacrifícios acontecerão, vinganças serão concretizadas, muitos sofrerão e muitos mais triunfarão neste tão aguardado desfecho para a Trilogia das Jóias Negras.
"- Se Kaeleer entrar em guerra contra Terreille, não restarão rainhas para curar a terra e manter os Sangue unidos. A carnificina prosseguirá até não restar mais ninguém. As feiticeiras ficarão tão estéreis quanto a terra. O dom que foi oferecido há tanto tempo será a arma que acabará nos destruindo."

Nossa, eu tenho tantas considerações a fazer sobre esse livro, que é até difícil pensar por onde devo começar. Não foi uma série fácil de ler, com certeza não leria novamente e alguns dos conceitos criados pela Anne Bishop ainda estão meio nebulosos na minha mente.

Não posso negar que ela é uma excelente escritora, com um potencial enorme para criar fantasia jamais lida. Não há nenhuma outra série que eu possa comparar a essa. Sabiam que o primeiro livro foi lançado lá nos EUA em 1998? E, até hoje, faz bastante sucesso!

Esse livro foi um misto de emoções, boas e ruins. Eu esperava muito mais, disso estou certa. Esperava mais ação e um final, não tão aberto. A autora é prolixa demais em algumas partes, e em outras é muito direta. Não ficou bem balanceada a narrativa.

Gostei muito da participação dos personagens coadjuvantes, que se mostraram mais ativos e essenciais ao desenrolar da trama. Deles, a minha favorita é com certeza a Surreal, com sua língua mordaz e seus comentários engraçadinhos. Como não amar os parentes ? Para mim, eles deram um toque todo especial na história.

Jaenelle é aquele personagem forte, que se doa, se sacrifica e mostra força quando é desafiada. Mas, quando se vê diante de seu grande amor, volta a ser uma menina frágil e insegura, como muitas mulheres pelo mundo afora. A complexidade dessa personagem é o ponto alto da série, na minha opinião.

Daemon é cativante <3. Mesmo depois de todo sofrimento que passou ainda é capaz de sonhar e ser feliz com Jaenelle, mas ainda tem o seu lado Sádico, e quando ameaçam seu reino... ele mostra o seu poder.

Lucivar que me surpreendeu. Está casado e tem um filho chamado Daemonar, a coisa mais fofa! Com o temperamento dos machos da família, asas de eyrieno e poder dos Sangue, com certeza vai dar trabalho né? A esposa de Lucivar, Marian, é um excelente par para ele, achei que combinaram muito bem.

Surreal também vai para Kaeleer com Daemon e passa a fazer parte da corte das trevas. Ela finalmente encontra uma família para amá-la, reencontra a sua mãe e acha o seu lugar nesse reino, sempre com muito humor e acidez. Talvez até tenha um certo macho na cola dela... mas ela é jogo duro!

Saetan ajuda Jaenelle a manter o reino, é seu braço direito, seu pai, administrador e tudo que ela precisar que ele seja. Essa lealdade dele é magnífica.

Os parentes participam mais, podemos conhecer mais sobre eles e o papel que exercem em toda cadeia de eventos. As rainhas e os amigos de Jaenelle também aparecem mais e eu gostei muito disso, da variedade de pontos de vista, de como a autora mostra vários eventos e ações que vão convergindo para uma coisa só.
“Está se aproximando o momento de cobrar as dívidas. Os que sobreviverem servirão, mas eles serão poucos. O clamor… Cheio de alegria e sofrimento, raiva e celebração. Ela está chegando. – Voltou a fixar o olhar em Ladvarian. – E os parentes reforçarão o sonho no corpo.”
O livro é dividido em duas partes, mas é na segunda parte que a história engrena, na minha opinião.

Esperava mais ação, mais confrontos diretos, mas a Anne deixou a luta mais à distância, com as teias de cada uma se desenrolando.

As mortes foram numerosas, porém aceitáveis para que o final acontecesse. E, sobre o final, achei muito vago, muito brusco e aberto.

Esperava mais, por todo o sofrimento que Daemon, Jaenelle, Lucivar e Saetan passaram, e também pelos personagens coadjuvantes que tiveram um papel importante na trama, mas que não sabemos seus desfechos.

No geral, é uma série bem escrita, com um enredo bastante inovador e diferente de tudo já li de literatura fantástica. Anne Bishop certamente se consagrou com essa trilogia e conquistou milhares de fãs pelo mundo afora.

Não é uma série que leria novamente, por todo sofrimento envolvido e pelas falhas em dar um bom desfecho aos personagens, mas recomendo para quem gosta de dark fantasy.

A autora lançou outros pequenos livros, spins offs de alguns personagens da série, mas não pretendo ler. A trilogia original acaba com este livro e os spin offs e novelas seguem até o volume 9.
“Às vezes o dever segue por caminhos que não podem ser percorridos pelo coração”

Compartilhe!

9 comentários :

  1. Oi, Luiza,

    Essa é uma série que eu não tinha conhecimento por inteiro, porém os elementos presentes e essa onda de acontecimentos, despertou um pequeno interesse em mim. Vejo que essa é uma trama bem esquematizada.

    ResponderExcluir
  2. É um livro cheio de emoções e intrigas que colaboram para o climax da história. Apesar de não conhecer a série fiquei curiosa, adoro fantasia e faz tempo que não leio uma. Acho que é um livro que prende o leitor por isso coloquei na minha lista.

    ResponderExcluir
  3. Eu já conhecia essa série e sempre achei o enredo dela bastante diferente e interessante, apesar de muito detalhado. Acho que são livros que exigem atenção desde o início, para que o leitor consiga entender e se familiarizar com o universo diferente que a autora cria. Fiquei meio decepcionada com o final vago, apesar de entender que deve ser difícil manter a qualidade alta em todos os volumes de uma trilogia. Mesmo assim, acho que o desfecho é algo que exige atenção e perspicácia do autor, visto que é o elemento realmente mais esperado pelos leitores.

    ResponderExcluir
  4. Luiza!
    Tão bom quando uma trilogia termina e ficamos felizes por todos os livros serem bons, mesmo com assuntos pesados e tenebrosos como abusos sexuais.
    E também enaltece o cuidado com animais que podem se comunicar com alguns Sangues.
    Qualquer dia lerei a série.
    Desejo um ótimo final de semana!
    “O medo tem alguma utilidade, mas a covardia não.” (Mahatma Gandhi)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA AGOSTO - 5 GANHADORES - BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  5. Oi Lu, então eu vi a capa e sinopse dessa trilogia e inicialmente fiquei bem interessada, mas confesso que comecei a ler resenhas e procurar opiniões sobre ela e desanimei um pouco. A trama criada parece ser intensa e ter cenas fortes, então, pelo menos por enquanto resolvi não tentar ler, mas quem sabe mais a frente.
    Sobre a resenha desse terceiro, é triste o final ser vago, mas acho que ouvi em algum lugar que haveriam outros livros dentro desse mundo criado, acho que com outros protagonistas, ainda assim é chato ter expectativas e elas não serem alcançadas. Ótima resenha ;)

    ResponderExcluir
  6. Oi Lu.
    Eu li apenas o primeiro livro da trilogia e não dei continuidade.
    Realmente é uma série bem peculiar. Não há nenhuma outra série que dá para fazer comparações.
    Maaaas, a escrita da autora me cansou. Era prolixa e não explicava bem alguns conceitos.
    Parece que ela conseguiu dar um desfecho para a trilogia, mas parece que faltou algumo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Tenho vontade de ler essa série, mas pelo visto não vou gostar muito desse volume, adoro ação e não gosto de finais em aberto. Mas mesmo assim parece que acontece muitas coisas e os personagens não deixam a desejar, além de parecer diferente essa historia. Agora essa parte de não ter sido uma leitura fácil, me deixa em dúvidas quanto a ler.

    ResponderExcluir
  8. Olá Luiza!
    Ainda não li livros da autora, mas pelo que já li sobre, parece bom, vou tentar não criar expectativas em relação aos enredos, espero ler em breve e curtir a leitura...
    Amei a capa!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  9. Complicado um livro assim, onde parece ser ser tão bom, mas nos engana com facilidade. Acho que não leria essa série.

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei