03 agosto 2018

[Resenha] Dança da escuridão - Marcus Barcelos



Em Dança da Escuridão, a aguardada sequência de Horror na Colina de Darrington, Ben Simons desperta abruptamente e se vê amarrado a uma cadeira de metal, imerso no breu de um local desconhecido. A voz que grita é a de um homem misterioso e sem escrúpulos, que não poupará esforços para extrair de seu interior a obscura confirmação que tanto deseja... o mal presente na sua origem. Agora, para entender o que aquilo significa, o que o colocou na situação de alvo da seita, e tentar salvar todos que estão em perigo por sua causa, ele precisará remontar seus passos desde muito antes da fuga do sanatório ou do episódio na Colina de Darrington e confrontar os tentáculos da aterrorizante organização, que se mostram cada vez mais presentes em todos os lugares. QUANTO DO BOM MENINO AINDA RESTA? O QUANTO AGORA É ESCURIDÃO?


Livro:  Horror na Colina de Harrington || Autor: Marcus Barcelos  
Editora: Faro editorial|| Ano: 2016 ||  Gênero: Suspense, Mistério, Terror
Classificação: 5 estrelas || Resenhista: Renata

A sequência de Horror na Colina de Harrington, também pela Editora Faro Editorial já começa frenética.

Nas primeiras páginas somos jogados em um universo onde Benjamin Simons é prisioneiro de um lugar misterioso, ele aparece em uma cadeira prestes a ser torturado e não se sabe quantas vezes isso já vinha acontecendo. Ben aparece ali e percebemos que querem falar com alguém que está dentro dele, como uma espécie de ritual e a sensação de agonia é muito profunda porque o autor consegue transmitir todo o transtorno do personagem. E depois somos jogados para mais uma prisão na qual Ben está. 

A temporalidade não é linear, o que nos leva ao passado, ao presente, ao passado remoto e nem tão longe assim. Como o futuro a Deus pertence e ele está bem longe desse livro, o futuro não aparece. 

O autor nos transmite um clima de encarceramento. Mesmo quando os personagens estão agindo, os sentimos confinados. Confinamento mental, físico, não importa, todos estão presos em um labirinto de horrores procurando a saída. O personagem principal está preso tanto em locais externos quanto internos, porque não sabe o que realmente é, ele não tem controle de si mesmo ao mesmo tempo em que é uma ameaça a todos ao seu redor. 

Ele é acusado de um crime, o qual cometeu com requintes de crueldade, só que, por mais cruel que tenha sido o crime, o autor nos mantém com os pés atrás antes de irmos odiando Benny por completo, mesmo sendo expostos a todas as atrocidades cometidas constantemente. 

Vemos Benny como vítima e como algoz conforme o livro progride e existe sempre um clima de instigar o pior, provocações, acusações e um clima perpétuo de medo, Benny com ele mesmo e com as pessoas ao redor.

No sanatório, Benjamin é ajudado por Amanda e Andrew a escapar. Amanda é prima de Benjamin e Andrew é seu esposo. O casal parece bem empenhado em fazer com que Ben escape com vida, o plano sai como o devido e o desenrolar da história começa.

Há cartas, relatórios, transcrições de julgamentos e entrevistas que jogam peças para que o leitor monte o quebra-cabeça que passa a ser como ele foi parar na primeira prisão. E conforme a trama se encaminha, outras pessoas aparecem para complementar a história. 

Amanda, prima de Ben e Andrew, que ele não conhecia, tem um filho chamado Jacob, que é um show à parte, por mais jovem que ele seja, se mostra como um dos personagens centrais dessa trama, aparecendo como o contraponto de Ben, considerando que as experiências sempre o deixam com os instintos à flor da pele e o pensamento lógico nublado, e o garoto funciona como intermediador daquilo que Ben vem perdendo, um ponto de equilíbrio para que ele recupere a sanidade.


Como o livro é narrado pelo personagem principal, a narrativa é muito ansiosa, claro, ele está passando por uns maus bocados e o autor consegue transmitir essa situação. Nos sentimos ansiosos, acelerados, ao mesmo tempo que tem um cabo nos mantendo no lugar se precisássemos desesperadamente nos libertar. 

Não é um livro no qual você tem um momento de tédio. Sempre tem algo acontecendo, mesmo nos momentos mais tranquilos, sempre há um clima de ansiedade e suspense, mesmo que uma pessoa muito importante na vida dele tenha dado o seguinte conselho:

"A sua impaciência não precisa significar necessariamente um defeito. Ela pode ser como o vento que empurra o navio. Sirva-se dela não pra te poupar esforços, mas sim para te obrigar a crescer todos os dias, para aperfeiçoar os seus gestos e para te obrigar a ir mais longe".

Aos poucos vamos nos conectando com Ben e sentindo seu desejo de vingança, conhecendo as pessoas que o destruíram, o que elas desejavam a partir do sofrimento dele e qual era o papel de cada um nessa história.

Esse livro pode ser classificado como mais de terror do que suspense, não há muitos momentos nos quais se respira e acha que está tudo bem, sempre está acontecendo alguma coisa e essa coisa é terrível, como se cada acontecimento estivesse sob uma lupa, mas não que tenham proporções descabidas, mas sim para que se observe cada detalhe com atenção, porque até mesmo o bater das borboletas pode causar um furacão. 
Foi uma leitura muito intensa e ao mesmo tempo deliciosa. Um livro muito bom de ler, que te acelera, mas ao mesmo tempo te faz parar pra retardar o término. Muito bom mesmo. Recomendadíssimo. 

O livro também é muito bonito, o tom obscuro dele nos dá o direcionamento do que está por vir. 

Boa leitura a todos, e que venham os sustos. 

Compartilhe!

20 comentários :

  1. Oi Renata, gostei da foto que tem o livro e achei a resenha muito boa, não é meu tipo de leitura, sou medrosa haha, mas pelo que li no teu texto essa sequência tem uma qualidade muito boa e tá recheada de terror em uma história de ritmo frenético. Imagino que vá agradar e muito quem curte o gênero :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, muito obrigada. Eu como fã de um terror bem feito, gostei muito desse. Eu não conseguia descansar no meio da leitura, só ficava esperando o próximo acontecimento. Que bom que gostou da resenha!

      Excluir
  2. Oi, Renata,


    É importante essa conexão que o autor conseguiu criar - conseguindo envolver o leitor em todo aquele momento de muit pressão vivenciado pelo Benjamin.

    E, essa alternância entre presente e passado acaba sendo importante também para a resolução final.

    O livro é um pouco macabro, né? Devo dizer que a proposta do livro é um pouco inovadora. Nunca vi nada parecido por, aí...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiê. Acredito que deixar o leitor sempre em estado de tensão seja a chave de toda a trama e como ela será entendida por quem está lendo. Achei essa proposta ousada e bem sucedida. Macabro demais, não costumo ver esses tipos de livros por aqui.

      Excluir
  3. Olá Renata!
    Qro mto ler os livros do autor, li resenhas que só me instigaram á ler, a história parece mto boa, eu amo esse gênero, vou add este tbm nos desejados.
    Bjs!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você gosta do gênero, você não irá se arrepender!

      Excluir
  4. O autor realmente fez um livro de deixar os cabelos em pé kkk fiquei apreensiva só lendo a resenha e tentando imaginar tudo que acontecia com esse personagem principal. Acho que a premissa é muito boa e se destaca entre os livros de terror/suspense que existem atualmente.
    Não é uma leitura que eu faria mas com certeza é um presente para os fãs do gênero.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A intenção é deixar apreensivo mesmo, não tem um momento em que você pense que seria muito relaxante. É assustador e tenso o tempo todo. Acredito que os fãs do gênero terão mais uma opção muito boa.

      Excluir
  5. Renata!
    Li o livro anterior e claro que quero poder acompanhar esse que traz respostas às questões que ficaram pendentes no anterior.
    Gostei muito da anális que fez e fiquei ainda mais curiosa por poder apreciar mais esse belo livro do autor.
    Desejo um ótimo final de semana!
    “A força não provém da capacidade física. Provém de uma vontade indomável.” (Mahatma Gandhi)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA AGOSTO - 5 GANHADORES - BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou. Leia sim, você não vai se arrepender.

      Excluir
  6. Eu realmente não sabia que esse livro era continuação de Horror na colina Darrington, mas ainda assim estou bem curiosa pra lê-lo. Gosto do gênero e, apesar de andar fugindo de livros em série ultimamente, ele tem vários elementos que eu curto, como o cenário obscuro, os mistérios a serem desvendados e as peças a serem encaixadas. Além disso, o terror inserido no livro torna ele mais interessante e complexo, e a forma que o autor conseguiu demonstrar as angústias e ansiedades do protagonista deixa a experiência de leitura ainda mais vívida na minha opinião. A capa é linda e bem assustadora, acho que combina com o livro em si.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O bom dessa série é que são dois e já lançados. Pelo menos não fica a ansiedade de quando ler o próximo. Achei que a capa combina muito com o livro, bem assustadora e como o livro é em primeira pessoa, você fica acompanhando a agonia do Benjamin e se desespera porque não tem como resolver, é um sentimento bem peculiar.

      Excluir
  7. Fiquei interessada embora ainda não li o primeiro. Adoro terror e essas peças que o leitor tenta juntar e entender ao longo da leitura. A leitura parece que deixa o leitor vidrado pelos acontecimentos e que mexe com suas emoções, fazendo com que vivemos junto com o personagem os seus medos e aflições.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem como desgrudar dos acontecimentos, é aquele livro que você lê em uma sentada porque não tem como sair do universo que ele constrói.

      Excluir
  8. Oi Renata.
    Parece que o livro tem uma narrativa bem tensa e envolvente. Se ele fosse mais voltado para o suspense do que para o terror, eu leria. Mas, como sou muito medrosa, provavelmente não vou ler o livro, apesar de ter ficado bem curiosa.
    Fiquei curiosa para saber mais sobre o crime que Benny cometeu, pois parece que tem algo a mais por trás dele.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele tem sim, bem tensa mesmo. É uma junção de suspense e terror, mas o terror ainda ganha. Leia de dia!!! Eu li de dia.

      Excluir
  9. Eu acabei de comprar Horror na Colina de Darrington mas ainda não o li, mas achei o trabalho da editora incrível e nesse parece ter sido a mesma coisa.
    Creio que irei gostar bastante do primeiro e já vou até comprar o segundo!

    beijinhos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A editora capricha nessas edições, né? Leia sim! Beijão.

      Excluir
  10. Esse livro tem uma història que para mim da um pouco de medo, o que não vai impedir a leitura. Com certeza quero ler os dois livros do autor. Bom saber que o livro não é tedioso, assim da para ler rapidinho sem cansar. Gostei muito da resenha, apresentou muito bem a història, deixando a curiosidade aumentar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado da resenha. Não dá nem tempo de cansar. Leia sim que os sustos são garantidos.

      Excluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei