25 julho 2018

[Resenha] O mau exemplo de Cameron Post - V. S. Alexander


Quando os pais de Cameron Post morrem em um acidente de carro, a primeira coisa que ela sente, para sua própria surpresa, é alívio. Alívio que eles nunca vão precisar saber que, algumas horas antes, ela estava beijando uma menina. Mas o alívio não dura, e Cam é forçada a morar com sua tia ultraconservadora e sua bem-intencionada, mas antiquada avó. Ela sabe que, daqui em diante, tudo será diferente. Sobreviver nessa pequena cidade rural de Montana exige que Cam finja ser igual a todo mundo e evite assuntos indelicados (como diria sua avó), e ela é boa nisso. Até que Coley Taylor chega à cidade. Coley é perfeita, e tem um namorado perfeito para completar. Ela e Cam forjam uma amizade intensa, que parece deixar espaço para algo mais. Mas assim que isso começa a parecer possível, a religiosa tia Ruth decide que é hora de "consertar" sua sobrinha, a mandando para Gods Promise, um acampamento de conversão que deve "curar" sua homossexualidade. Lá, Cam fica frente a frente com o custo de negar quem ela é - mesmo que ela não tenha certeza que sabe realmente quem é.


Livro: O mau exemplo de Cameron Post || Autor: V. S. Alexander 
 Editora:  Harper Collins Br || Ano: 2018 || Gênero:  YA, LGBT
 Classificação: 3 estrelas || Resenhista: Sheila

Skoob || Compre || Editora

Participe do Top Comentarista de Julho
Cameron, é uma menina que descobre ainda na infância que se sente bem ao beijar meninas. Perde os pais em um trágico acidente de carro ainda muito nova e sua tia Ruth deixa seu emprego e a cidade que vivia para junto com a avó de Cameron assumir sua criação.


Cabe uma descrição das duas personagens adultas na vida de Cammie, a avó idosa parece ser ligeiramente senil, preparando pratos inusitados para a criança e não estabelecendo uma rotina muito clara o que nos faz entender o desejo de Ruth de cuidar da sobrinha, já a tia vive para a religião e é bem austera, o que  gera conflitos pois os pais da menina eram pessoas bem compreensivas.

 Cameron desde 8, 9 anos acha meninas bonitas e seu o primeiro beijo dado foi em sua melhor amiga aos 13 anos, sabe que que isso é errado aos olhos da sociedade em que vive, mas não luta contra, ou por muitas vezes tenta entender melhor.


Ao longo da adolescência de Cameron vamos acompanhando a entrada e saída de amores sempre do mesmo sexo que o dela e suas conversas e atitudes com amigos, assim passamos por alguns personagens bem interessantes e é possível ver como  elas reagem ao fato de serem lésbicas. A palavra lésbica em si é pouco usada no livro o mais comum é sapatão, as próprias meninas se chamam assim.

As atitudes amorosas de Cameron são descobertas pela tia e pelo noivo também muito religioso e para piorar, o contador da noticia é nada menos que o pastor da igreja que eles frequentam. Ao se envolver com uma amiga confusa quanto a sua sexualidade e que possui um namorado, a protagonista se vê em maus lençóis quando Colie, conta a mãe sobre o envolvimento amoroso com Cam e muito religiosa também, a mãe de Colie pede ajuda ao pastor.

Uma intervenção é programada para Cameron, ela será mandada a uma escola cristã que deverá ensiná-la a não ser assim. Cameron sequer luta contra, ela aceita e vai mesmo ciente de suas escolhas. Ao chegar ao local encontra moças e rapazes com o mesmo diagnóstico que o dela e que precisam ser purificados por Jesus. Vários personagens se apresentam, uns que aceitam e rezam por uma cura e outros que apenas fingem e assim Cameron vai contando seu da-adia.

Uma das orientadoras é bem rígida e dura e frases de forte conteúdo preconceituoso, bem como ideias de curas e terapias são apresentadas ao leitor.
O final da história dá a impressão de que Cameron com a ajuda e amigos faz as pazes consigo mesma e decide viver sua vida como desejar.

O Mau Exemplo de Cameron Post é o primeiro livro lançado pela autora Emily M. Danforth, o que me faz pensar que ela escreveu realmente querendo destacar a fluidez dos pensamentos da Cameron, assim mostrando seus devaneios e pensamentos íntimos ainda que, esses, muitas vezes sejam caóticos e confusos o que é propício pela idade da personagem e por seu envolvimento com meninas.

É possível ver como diferentes meninas se relacionam com o tema da homossexualidade, algumas se escondem, outras ostentam, algumas agem com normalidade, outras com cinismo e ainda que o livro seja por vezes recheado de explicações e pensamentos, o que senti era que queria que a protagonista reagisse, que fosse mais enfática com suas escolhas e que as defendesse, coisa que Cameron pouco faz na verdade, a não ser por uma briga coma tia, aonde o que mais pesa na verdade é a morte dos pais e a comparação de como seria essa aceitação por parte dos pais dela se ainda fossem vivos.

Grande parte do foco do livro é a homossexualidade de Cameron em uma cidade pequena e é possível ver que até as não reações de Cameron são bem reais, pois a falta de bases para ela entender seus sentimentos ou seja se auto-entender, faz com que o leitor se coloque no lugar dela e que ele tenha que entender que não havia tanta informação e nem tanta liberalidade como nos dias de hoje para que a personagem fosse mais expressiva.

O livro mostra um grito calado, a verdade é essa, e esse clima angustiante de descobertas e aceitações se estende muito além, alcançando até quem o lê.

O filme que conta a história do livro já foi filmado e já tem trailer:



Compartilhe!

14 comentários :

  1. Oi, Sheila,

    Viver em função de algo ou de alguém, nunca trará verdadeiramente o conceito de ser feliz. Sempre trará o sentimento de vazio, de estar faltando algo, e a infelicidade tomará conta do ser.

    Essa fase de descobrimentos não é inteiramente fácil ter que se resguardar para o próximo, é menos ainda. É muito bacana a mensagem que o livro passa!

    Acredito que, através da história de vida da Cameron, muitas pessoas que estão nessa fase de vida, pode se identificar com a mesma.

    A reflexão atingida pela autora, é que é o mais essencial dentro de todo esse contexto apresentado, onde podemos notar um diferencial dos demais livros, chamando nossa atenção.

    Não sabia que o livro vai virar filme!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc acertou no que escreveu Daiane, é bem assim mesmo! Espero que o filme seja a altura, o trailer promete!

      Excluir
  2. Gostei do trailer, ainda não tinha ouvido falar do livro ou do filme, mas a trama parece interessante e reflexiva e gostei da resenha também, mesmo sendo o primeiro livro da autora ela parece ter se saído bem e consegue passar toda a angustia da personagem ao leitor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se ler volte aqui para nos dizer o que achou Lili!!

      Excluir
  3. Não conhecia o livro e já vai ter filme, que legal. Ainda não li um livro com duas garotas como casal, espero poder ler, achei interessante assim da para saber as sensações que a personagem sente quando descobre que gosta de meninas e a reação das pessoas próximas a ela, impressionante como acham que isso é uma doença aff.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria, ela tem muitos amigos tbm e eles aparecem bastante no livro assim, não fica muito focado na cosia de casal de meninas, mas sim nas descobertas, vale a pena a leitura!

      Excluir
  4. Sheila!
    Infelizmente o tema ainda continua sendo bem polêmico em pleno século XXI e carregado de preconceito, imagina na época em que o livro se passa...
    Deve ser difícil enfrentar a morte dos pais e ser criada de uma forma tão rigorosa, principalmente gostando de pessoas do mesmo sexo, mas como falou, o livro foca mais nos pensamentos dúbios da protagonista.
    Quero poder ler e ver como foi a abordagem.
    “O homem está sempre disposto a negar tudo aquilo que não compreende.” (Blaise Pascal)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA JULHO - 5 GANHADORES - BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo Rudy, o tem á pol~emico sim, as angustias da menina refletem os julgamentos das pessoas ao redor, triste, mas fato, o livro ajuda a entender o lado do outro, disso gostei bastante!

      Excluir
  5. Oi Sheila!
    Se me lembro é a primeira resenha que leio sobre esse livro, gostei mto da ideia e assunto abordado pel autor, li poucos livros do gênero mas curti mto, espero ter uma oportunidade de conhecer este tbm.
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa que legal q foi a primeira resenha que leu do livro aqui com a gente do Every Litlle Book, missão cumprida então!
      vamos combinar, se ler pode voltar e deixar o que achou aqui para gente ler, ok?
      Obrigada!

      Excluir
  6. Oi Sheila,
    Essa variação dos modos como cada personagem luta e reage como o que é, é bem realista para mim, afinal, cada um tem uma forma de lidar com o que acontece consigo!
    O assunto abordado é de extrema importância, príncipalmente envolvendo religião, já que um dos motivos de muitas pessoas se retrairem é ela, sem querer generalizar, mas é uma realidade que vemos!
    A história foi bem construída! O título chega a ser sínico...
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim concordo Vitória, o título do livro é a o julgamento e a condenação que a Cameron recebe e tem um peso muito forte!

      Excluir
  7. Não conhecia o livro, mas achei a capa muito charmosa.
    Achei bem legal a autora abordar religião e sexualidade respeitando os dois temas sem criticá-los.
    Não é meu tipo de leitura, mas daria uma chance mesmo sendo bastante longo haha

    beijinhos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também não era muito o emu tipo de leitura Nicole, mas eu achei bem interessante, pois me levou para reflexões que ainda não havia tido a oportunidade de pensar! Nesse quesito o livro é muito bom, tira a gente da zona de conforto!

      Excluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei