13 julho 2018

[Resenha] Garota Ranho- Bryan Lee O'Malley





Do mesmo criador do fenômeno Scott Pilgrim, Garotaranho é uma das séries mais ousadas, engraçadas e espertas dos quadrinhos atuais. Lottie Person é uma blogueira de moda que vive uma vida absolutamente incrível — ou pelo menos é o que ela quer que você acredite. A verdade é que sua alergia está fora de controle, seu nariz não para de escorrer, o namorado a trocou por uma garota mais nova e é possível que ele tenha cometido um homicídio. Este é o primeiro volume do sensacional Garotaranho, de Bryan Lee O'Malley, criador de Scott Pilgrim, e da desenhista Leslie Hung.





Livro: Garota Ranho|| Roteirista: Bryan Lee O’Malley
Ilustradora: LeslieHung || Colorista: Mickey Quinn ||
Letrista:
Maré Odomo
Editora: Quadrinhos na Cia||Ano: 2018 || Gênero:  HQ
 Classificação:  4 estrelas || Resenhista: Karina
Essa foi uma HQ que escolhi pelo nome do roteirista na capa, já conheço o trabalho do Bryan Lee O’Malley de “Repeteco” (confira nossa resenha aqui). Com um jeito bem único de contar histórias em quadrinhos, a história que encontrei aqui não me decepcionou em nada e além de um roteiro instigante ainda conheci uma ilustradora pela qual me apaixonei pelo traço do desenho.



“Garota Ranho” é o primeiro volume de uma série que nos Estados Unidos está no seu 2º volume. O plot do HQ conta a história de Lottie Person, uma blogueira de moda famosinha que sofre de uma alergia terrível, Lottie tem pânico que seus seguidores conheçam esse seu lado nada perfeito. O título acima define bem o plot central e a primeira impressão é que não há assunto mais superficial que esse, nas primeiras páginas fiquei com a sensação que estava desperdiçando meu tempo, mas é ai que acontece a mágica do O’Malley.

Assim que terminei a leitura, achei que essa HQ atingiria apenas dois tipos de públicos, os já fãs do roteirista que amariam o HQ e os leitores que tem familiaridade com o mundo dos blogueiros de moda que provavelmente odiariam a HQ; mas quadrinho é uma coisa muito louca, você lê, não sabe se odiou ou amou e depois de um tempo, chega em outra conclusão ou decide que quer ler de novo.


Os storyboard não seguem um padrão, temos quadros soltos, páginas duplas e recortes que podem dificultar um pouco a leitura de quem não está acostumado com o ritmo do roteirista, mas mesmo com essas pequenas dificuldades vale muito a pena, ao longo do quadrinho é fácil identificar que as inseguranças e vaidade que a Lottie apresenta cabe em qualquer outro meio de digital influencer e até na nossa vida de seguidor.

Lottie não é uma personagem que vamos nos apegar ou nos identificar, é uma garota insegura, que vive rodeada de amigos que ela não suporta e que nas redes sociais tem uma vida perfeita, mas que quando está sozinha é uma bomba de ansiedade e insegurança prestes a explodir; numa tentativa de controlar a alergia, ela encontra um novo tratamento. Ela decide testar o que médico que está substituindo sua antiga alergista propõe, um remédio que ainda está em fase experimental; o que não podemos deixar é que o médico avisa que os efeitos colaterais ainda não são completamente conhecidos.

As crises de alergia aparecem, a frequência com que Lottie usa o medicamento está ligada diretamente com os stress que ela tem por viver num mundo onde tudo tem que ser perfeito, porém coisas absurdas começa a acontecer, a vida começa a sair do trilho.

Tendo que lidar com uma ex-estagiaria muito boa em stalkear os outros, as amigas excêntricas (para cada uma existe um apelido maldoso), o termino do namoro e a mais nova amiga que Lottie tenta impressionar, a bola de neve de enrascadas só aumenta, posso adiantar que até um detetive de polícia será introduzido na história.



Com toneladas de sarcasmo, muita linguagem de internet, o roteiro mistura uma sátira com um suspense de o que realmente está acontecendo e entrega páginas finais que com certeza deixa a gente desesperado pela continuação. O traço da Leslie me lembra alguns traços de desenho japonês, o famoso mangá (pernas longas, rostos finos), mas aqui em uma versão mais ocidentalizada e colorida.

A edição ainda conta com um monte de matéria extra de esboço e capas alternativas de autoria da Leslie, do Bryan e outros envolvidos. Se você não é do mundo dos quadrinhos, essa é uma ótima publicação para experimentar novas experiencias literárias, acredito que em breve a Quadrinhos na Cia nos dê noticias sobre a continuação (felizmente, o catálogo do selo tem crescido rápido em quantidade) e a qualidade dos títulos escolhidos é das melhores que poderíamos pedir.

Compartilhe!

12 comentários :

  1. Oi Karina!
    Adorei conhecer mais uma HQ, as ilustrações estão lindas, e pela resenha promete uma historia bacana, vou add nos desejados!
    Bjs!


    https://aguardiadasresenhas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leiaaa sim , vem encorpar o coro do queremooos a continuação logooo !! Rs beijo !

      Excluir
  2. Oi, Karina.

    Ainda não li a HQ, mas já gostei desse cenário desenhado, por, assim como manter o leitor preso com esse suspense, mostrar esses dois lados adotados pela personagem, longe das redes sociais e nas redes sociais. Não deixa de ser uma abordagem direta à quem faz jus a mesma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. è bem por ai Dai, a abordagem é diretíssima rs! Beijos.

      Excluir
  3. Oi Karina, hoje em dia não leio muitas HQ's mas em tempos de digital influencer essa parece uma boa história pra dar uma sacudida no momento atual. Gostei da resenha e de conhecer um pouco mais do trabalho do autor ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou suspeita pra falar de HQ , mas essa é uma boa pedida pra quem não ta acostumado a ler justamente por ter um plot tão proximo do nosso dia a dia ( mesmo que tenha umas situações meio absurdas) rs todo mundo é capaz de identificar uma blogueira do "TUTUBOM MENINAS "

      Excluir
  4. Karina!
    Gostei também dos traços da ilustradora, dá um visual inovador à HQ.
    Imagino que todas as blogueiras, mesmo que não sejam de moda, devem ler, afinal, traz uma realidade relacionada ao que está por traz do que o seguidores não sabem, não é?
    Bom final de semana!
    “A consciência é o melhor livro de moral e o que menos se consulta.” (Blaise Pascal)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA JULHO - 5 GANHADORES - BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rudy, é tudo tãooo colorido fica mesmo dificil não se apaixonar ! Beijos.

      Excluir
  5. Interessante essa HQ não conhecia, ver esses dois lados da personagem um diante das redes sociais e outro a realidade, isso mostra muito o que acontece nas redes sociais viver de aparência, onde tudo parece ser perfeito. Gostei das ilustrações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mto facil se apaixonar por esses traços neh ? Leslie Hung manda mt bem nas ilustrações mesmo . Beijos.

      Excluir
  6. Oi Karina,
    Eu adorei os desenhos, e gosto da forma aleatória que algumas páginas são montadas, claro que ficaria perdida por não ter costume de ler, maaas, acho bem legal!
    O que não me conquistou foi a história, tive a impressão de ser meio tosca, superficial demais, sendo sincera não me ganhou.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Não curto muito HQ, e são bem poucos os que eu já li.
    Mas parece ser uma ótima trama, ainda mais que tem de tudo um pouco. Imaginei que seria um pouco clichê mas gostei bastante da sinopse e de toda essa situação que ela passa.
    Para quem gosta é uma ótima indicação, e mesmo não gostando muito eu daria uma chance.

    beijinhos
    She is a Bookaholic

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei