27 junho 2018

[Resenha] Uma Estranha em Casa - Shari Lapena


Karen Krupp acorda no hospital, sem ter a menor ideia de como foi parar nele. Tom, seu marido, diz que a porta estava destrancada quando ele entrou em casa, as luzes acesas, e que a esposa provavelmente saiu às pressas quando estava preparando o jantar, pelo que ele viu na cozinha. Karen perdeu o controle do carro enquanto dirigia a toda a velocidade e bateu de frente num poste. O mais estranho: o acidente aconteceu num dos bairros mais perigosos da cidade.
A polícia suspeita de que Karen esteja envolvida em algo obscuro, mas Tom tem certeza de que não. Ele está casado com ela há dois anos, conhece muito bem a mulher. Será mesmo? Vai perguntar tudo a Karen quando chegar ao hospital, depois de dizer que a ama e que está feliz por ela ter sobrevivido, é claro. Mas Tom não obtém resposta nenhuma... porque ela não se lembra de absolutamente nada.


Livro:  Uma Estranha em Casa || Autor: Shari Lapena
Editora: Record||Ano: 2018 || Gênero:  Suspense, Mistério
 Classificação:  4 estrelas || Resenhista: Anne


Karen Krupp é uma mulher que acorda num hospital sem saber o que aconteceu para estar naquele lugar. Tom, seu marido, chegou do trabalho e se deparou com a porta aberta e a comida por fazer na cozinha, fica preocupado por não saber onde a esposa está e depois de vários telefonemas, recebe a visita de policiais dizendo que sua esposa está no hospital e que sofreu um acidente por estar dirigindo em alta velocidade. Isso por si só já é muito estranho, já que sua esposa não costuma correr, para piorar, os policiais informaram que ela estava num bairro perigoso, que por sinal, eles nunca frequentavam. 

A mulher não se lembra do acidente, sofreu um trauma na cabeça e está com amnésia, que pode ser passageira ou permanente. Alguns dias depois, a polícia descobre um corpo em um antigo restaurante próximo ao acidente sofrido por Karen e acham que o assassinato e o acidente podem tem alguma ligação. Mas como descobrir se nem a própria Karen se lembra do que aconteceu?


O livro é narrado em terceira pessoa, tem uma escrita simples e capítulos curtos, o que torna a leitura bem ágil. A autora não aprofundou muito a história, então o que encontramos é uma obra rápida de ler lida e bem objetiva. É um bom divertimento, ótimo para ler quando se está com ressaca literária. 

Karen é uma personagem misteriosa, não conseguimos ter muito acesso à sua personalidade, pois ela e o marido estão casados há pouco tempo e antes disso, não tiveram um namoro tão longo. Portanto, as poucas informações que temos são as que mesmas informações que Tom tem e repassa aos detetives. Todos ao redor dela não acreditam que ela realmente não se lembra do que aconteceu. O advogado, a polícia e até seu marido estão em dúvida se ela está mentindo ou não e essa questão afeta o leitor também, que por mais que o narrador afirme o que está acontecendo, a dúvida permanece.

Já Tom, é um homem muito inseguro e está completamente perdido sem saber se pode ou não confiar em sua esposa. É difícil acreditar nela depois de tantas mentiras. Na verdade, os dois mentiram sobre coisas importantes que aconteceram no passado e isso formou uma bola de neve que complicou demais a vida dos dois. 

Outra personagem muito presente na obra é Brigid, amiga de Karen e moradora da casa da frente.  Ela é uma mulher curiosa, irritante e invejosa. Desde o começo achei que havia algo errado com ela, mas não imaginava o que era exatamente e quando descobri, fiquei bem surpresa, pois minhas suspeitas passaram longe do que realmente era.

As revelações ao decorrer do livro vão trazendo a tona segredos que se complicaram devido ao acidente, segredos que provavelmente jamais seriam revelados por livre e espontânea vontade dos envolvidos.  Não sei se foi o objetivo da autora, mas ficou bem clara a mensagem de que é importante conhecer bem a pessoa com que está se relacionando.

Algumas coisas pude deduzir durante a leitura, pois a autora foi bem óbvia em suas escolhas, porém, teve uma coisa que foi de fato surpresa e fiquei de boca aberta com essa nova informação, ela me fez repensar toda a história. Me senti enganada e é isso que eu mais gosto em leituras desse gênero.

Compartilhe!

10 comentários :

  1. Oi, Thuanne.

    A perda de memória é um assunto que dá um gás a história. E, nota-se que foi bem utilizada aqui, por trazer mais mistério à trama, quanto a isso. Além de envolver o leitor.

    Afinal, as evidências transparecem conforme o desenrolar do livro.

    Livro super desejado por mim. Espero lê-lo em breve!

    ResponderExcluir
  2. Thunne!
    Gosto muito desse tipo de trilher, embora tenha ficado triste por saber que é mais do mesmo e não tem nada de muito empolgante, além do final previsível.
    Fazer uma leitura desse gênero e tudo ser bem previsível, nem estimula muito à leitura, não é?
    “Não sei o que fazer do que vivi, tenho medo dessa desorganização profunda. “ (Clarice Lispector)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  3. Oi Anne, a trama parece ser marcada por mentiras, segredos, suspense e até mesmo ação. Achei interessante e ainda não tinha ouvido falar desse livro e essa primeira opinião positiva dela despertou minha curiosidade ;)

    ResponderExcluir
  4. Oi Thuanne!
    Que livro instigante, me deixou curiosa sua resenha, nunca tinha lido nd sobre ele acredita?
    Já vou add aos desejados e torcer pra que surja uma chance de conhecer a história em breve.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Que livro que me deixou curiosa, nossa um mistério e tanto, coitado do Tom. A vizinha Brigid me deixou muito intrigada, já tenho uma ideia do que seja, mas só lendo pra confirmar. E sobre a amnésia deve ser muito angustiante para a pessoa e os que convivem, e o que pode estar escondendo Karen , uma vida dupla? Adorei a resenha desse livro, tem tudo que eu gosto num trilher, capítulos curtos, história simples, narrado em terceira pessoa e com surpresa no final.

    ResponderExcluir
  6. Que historia intrigante, me deixou curiosa, mexe com o leitor ficar sem ter certeza se a personagem esta fingindo ou não em se lembrar das coisas após o acidente, pois devemos ficar confusos sem saber, isso é interessante pois deixa a leitura bem envolvente, parece que a historia foi bem elaborada, ainda mais introduzindo essa vizinha.

    ResponderExcluir
  7. Olá, estou surpreso que a obra, mesmo não dando enfoque para o desenvolvimento aprofundado dos personagens, consiga entregar o que promete e ainda deixar o leitor de boca aberta. Já li resenhas de outros livros da autora e, assim como esse, o mistério se sobrepõe à caracterização densa, mas vejo que Lapena contorna esse problema e satisfaz o leitor. Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Oi!
    Esse livro me surpreendeu, não tinha gostado muito a historia, mas ao ler a resenha acabou despertando minha curiosidade, achei bem intrigante toda a historia, os personagens não me conquistaram tanto, mas o mistério todo envolvendo essa perda de memoria e as perguntas que vão criado o livro me fez querer ler esse livro !!

    ResponderExcluir
  9. Olá! Adoro esse tipo de leitura que ao final da história dá aquela sensação de “eita”. Apesar de um ou outro segredo ser um pouco mais óbvio, fiquei empolgada em saber que serei surpreendida. Quais serão esses segredos hein... já estou aqui curiosa.

    ResponderExcluir
  10. Esse livro me conquistou logo de cara. Por mais que a sinopse não consiga transmitir toda a ideia do livro o final da historia e completamente insano e chocante. Foi um dos livros mais interessantes que pude ler recentemente.

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei