03 junho 2018

[Resenha] Orgulho & Paixão - MacGregors 3

Uma mulher vibrante e criativa que não quer um envolvimento amoroso. Um homem paciente, determinado e que tem todos os passos de seu futuro traçados. Um amor que nasce de uma atração improvável, mas inegável.
Shelby Campbell é uma mulher única que sempre fugiu dos padrões estabelecidos para as mulheres que fazem parte do cenário político de Washington. E ela tem uma regra clara: nunca se envolver com políticos. Até conhecer Alan MacGregor, e entender que regras servem para ser quebradas. Alan está determinado a conseguir o que quer, e não vai deixar uma disputa de séculos entre os MacGregor e os Campbell ficar entre ele e o grande prêmio: o coração de Shelby.
Sequência da série MacGregor, Orgulho e paixão narra uma nova história da família que acha que está no topo do mundo, que vivem entre o poder e a glória. Até que os seus corações sejam roubados.

Livro: Orgulho & Paixão|| Autor: Nora Roberts|| Série:  MacGregors # 3
Editora: Harlequin||Ano: 2017 || Gênero:  Romance, Banca
 Classificação: estrelas || Resenhista: Lud
Skoob | Compre | Editora
Resenha livro 0102

Shelby Campbell é uma mulher que jamais poderia ser descrita como fácil. Levava a vida com fervor, aproveitando todos os momentos, sempre com um sorriso no rosto e um comentário mordaz na ponta da língua. Dona de uma cabeleira ruiva cacheada, não tinha como não causar aonde fosse.

Amava festas e multidões, conhecer gente nova, socializar... Mas também amava a solidão de seu trabalho, onde ela se permitia criar e extravasar sua mente. Era uma ceramista, criava peças a partir do barro e fazia sozinha todas as etapas. Vendia suas peças em uma loja, atendia e administrava seu negócio. Era independente no sentido mais estrito da palavra. 

Porém, nunca tinha se envolvido verdadeiramente com ninguém. Guardava uma grande dor dentro de si depois da perda do pai, que foi assassinado bem na sua frente. Seu pai era um senador muito popular no país, e depois do seu assassinato, sua família ficou severamente abalada. Ela amava o pai, ele era a pessoa mais importante em sua vida, e Shelby sabia que jamais seria a mesma depois que ele se foi.

Mas conseguiu refazer a sua vida e estava indo muito bem até conhecer Alan MacGregor.

Alan é o filho mais diferente dos MacGregors. Um senador bem sucedido, com o talento de convencer a quem se opõe e muito conhecido por sem bem persuasivo. Tem uma vida extremamente organizada, uma rotina intensa de trabalho e uma obstinação fervorosa por alcançar seus objetivos.

Não poderia ser mais diferente de Shelby. Enquanto ela era fogo, ele era água. O caos e a ordem. 

Mas, nenhum dos dois contava com a atração súbita que sentiram um pelo outro. E Shelby fugiria disso como nunca fugiu de nada na vida. 

Só que Alan era obstinado, não iria desistir de nenhuma maneira. Nem quando ela o colocava para fora, nem quando ligava mandando se afastar, nem quando recusava os presentes que enviava. Ele iria, de qualquer maneira, convencer essa mulher teimosa que seus medos são parte do passado e que ela deve se entregar ao futuro. Porque ele já tinha a total certeza que essa era a mulher da vida dele, sendo diferentes ou não.

Shelby faz de tudo para fugir desse homem, mas ele não desiste fácil. Suas barreiras estão desmoronando e ela não sabe o que fazer, porque ele representa o que mais teme, e não queria jamais passar por toda a dor que passou.

Como remediariam essa situação? Quem sairia vitorioso dessas batalha? O amor ou a dor?

"Aquela mulher continuava a fluir através dele como um vento tempestuoso e empolgante que soprava em todas as direções ao mesmo tempo. Vivaz e envolvente, ela era como uma brisa que arrastava a aspereza que havia no mundo que tão bem conhecia. Necessitava daquele tipo de mágica que só Shelby sabia produzir, da mesma forma que estava disposto a lhe dar tudo que quisesse extrair dele."


Esse foi o livro que menos gostei da série dos MacGregors. Não consegui me envolver com os personagens e tiveram muitas coisas que me incomodaram.

Shelby é uma mulher encantadora. Muito ousada, sem papas na língua, ama festas, multidões e ama sua arte. Nunca tinha se permitido se entregar a ninguém por causa do grande trauma que passou. E era muito difícil para ela derrubar essas barreiras.

Alan é um político nato, que persegue seu objetivo, trapaceia. faz de tudo para ganhar. Ele quer Shelby de qualquer maneira e faz de tudo para tê-la. Jamais tinha se sentido assim por mulher nenhuma, ela seria se futuro de qualquer maneira.

Essa obstinação que ele tem em ir atrás dela mesmo quando ela diz para ir embora só é fofa no início. Depois, começou a me incomodar MUITO. Ele claramente avança vários sinais, pressiona demais, além da conta e pode ter sido abusivo em determinados momentos.

Sim, ela se sente atraída por ele, mas tem medos e problemas internos. E não, mesmo que ela também o queira, ele não tem o direito de pressionar tanto e invadir o espaço dela dessa maneira. O certo era dar tempo ao tempo para que ela consiga seguir em frente. 

Por esses motivos, não consegui me envolver com o casal, pois uma hora os pensamentos dela estavam focados em fugir dele a todo custo, e em outro ela estava beijando-o com fervor, depois fugia e ele ia atrás dela. Teve até uma cena que ele a arrastava para jantar, arrastava mesmo, rs. Achei tenso demais.

A narrativa da Nora continua ótima, a leitura é leve, com muitas cenas sensuais.

É um romance para ser lido numa tarde, mas sem grandes pretensões de profundidade. Mesmo não em envolvendo com esses personagens, com certeza seguirei lendo a série, pois já me apaixonei pelos MacGregors.

"O que havia naquele homem que lhe despertava o desejo de desafiar o destino?"

Compartilhe!

7 comentários :

  1. Me assustei com o 1 Estrela. Mas eu achei estranho esse medo de Shelby em se envolver com alguém , o trauma por ter perdido o pai não tem nada a ver com um novo amor, ao menos que no livro isso se explique .Quanto ao senador Alan já desgostei por ser o homem que faz "tudo" para conseguir seus objetivos ,esse tipo de personagem assusta. Como romantizar o sujeito obsessivo e psicótico. Mas se ela foge dele e logo se entrega aos beijos...confuso.A parte boa é que é leitura para uma tarde, distração, nada de profundo. Para ler sem grandes expectativas.

    ResponderExcluir
  2. Oi Lud, criar conexão com os personagens e suas histórias é fundamental pra termos uma boa leitura ou ela se torna arrastada e acabamos julgando mal até a respiração do personagem rsr. Essa releitura que a Harlenquin tá fazendo tá bem bonita, as capas são lindas (acho essa a mais bonita por sinal), por enquanto só li e curti o primeiro mas quero sim dar continuidade e quando for ler esse já vou com preparada. Ótima resenha ;)

    ResponderExcluir
  3. Olá, vejo que a autora deu bastante destaque para ambos os protagonistas, tanto quo leitor até consegue contornar a relação insossa do casal. Não estou dizendo que a autora a escreveu de maneira rasa, mas é notável que a protagonista feminina se perde nessa máscara de "mulher independente que sabe o que quer" com a qual se esconde, o que é controverso quando ela é manipulada facilmente por Alan. Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Oi, Lud.

    Acredito que a leitura desse livro me deixaria um pouco desconfortável, visto podemos ver que o romance é um pouco forçado. E, porque não, sufocante?

    ResponderExcluir
  5. Lud!
    Nossa! Choquei com sua nota, entretanto achei válida suas observações. Muito ruim quando não nos identificamos com os protagonistas e aqui ele parecem obstinados e teimosos, não dão o braço a torcer.
    Ainda assim, gostaria de ler.
    Desejo um mês repleto de realizações!
    “O que eu sinto eu não ajo. O que ajo não penso. O que penso não sinto. Do que sei sou ignorante. Do que sinto não ignoro. Não me entendo e ajo como se entendesse.” (Clarice Lispector)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA JUNHO - 5 GANHADORES
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  6. Ainda não li nenhum livro dessa série, mas gosto dos livros da autora, esse parece que não agradou, não gostei da forma como o personagem age é capaz de ter ficado obcecado por ela isso não é nada bom. Ela parece uma mulher bem resolvida, só que ficar nessa de uma hora não quer ficar com ele, mas daqui a pouco esta em seus braças deve cansar a leitura nesses momentos.

    ResponderExcluir
  7. Olá Lud!
    Eu li apenas o primeiro vol da série, curti mto a leitura, a escrita da autora é linda, espero ter oportunidades de continuar a série.
    Bjs!

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei