22 junho 2018

[RESENHA] Em outra vida , Talvez? - Taylor Jenkins Reid


Hannah está perdida. Aos 29 anos, ainda não decidiu que rumo dar à sua vida. Depois de uma decepção amorosa, ela volta para Los Angeles, sua cidade natal, pois acha que, com o apoio de Gabby, sua melhor amiga, finalmente vai conseguir colocar a vida nos trilhos. Para comemorar a mudança, nada melhor do que reunir velhos amigos num bar. E lá Hannah reencontra Ethan, seu ex-namorado da adolescência. No fim da noite, tanto ele quanto Gabby lhe oferecem carona. Será que é melhor ir embora com a amiga? Ou ficar até mais tarde com Ethan e aproveitar o restante da noite? Em realidades alternativas, Hannah vive as duas decisões. E, no desenrolar desses universos paralelos, sua vida segue rumos completamente diferentes. Será que tudo o que vivemos está predestinado a acontecer? O quanto disso é apenas sorte? E, o mais importante: será que almas gêmeas realmente existem? Hannah acredita que sim. E, nos dois mundos, ela acha que encontrou a sua.



Livro: Em outra vida, Talvez?|| Autor: Taylor Jenkins Reid
Editora: Record||Ano: 2018 || Gênero:  ChickLit
 Classificação:  4 estrelas || Resenhista: Karina


Chick-Lit não é um gênero que eu costumo ler muito apesar de adorar a leveza que algumas histórias nos trazem; mas sempre que vejo uma capa com cores fofinhas e enredo não tão complicado coloco na minha “TBR” para momentos de leitura rápidas, entre livros mais densos e dessa vez não foi diferente, escolhi “ Em outra vida, Talvez?” por conta da capa, e me surpreendi muito mais do que eu esperava. 

Hannah é muito gente como a gente, cresceu, os boletos estão batendo na porta, até porque as cobranças da vida adulta chegam para todo mundo, quando era adolescente seus pais foram morar na Inglaterra com a irmã que ganhou uma bolsa na universidade e Hannah ficou morando com a melhor amiga e com os pais da melhor amiga ( praticamente sua segunda família), Hannah cresceu sem ter muitas raízes, morou em diversos lugares sempre buscando algo a mais; depois de viver uma situação da qual não se orgulha muito, decide deixar Nova York e voltar para a Los Angeles na Califórnia onde morava quando adolescente.

Destino ou não, nossas vidas continuam sendo o resultado das nossas escolhas. 

O tom de como Hannah lida com a vida está presente desde a primeira página, mesmo cheia de problemas e com toneladas de incertezas, ela ajuda a moça que tem medo de voar durante o voo para casa e durante o livro é muito legal entender como uma escolha pode mudar as prioridades, aumentar as responsabilidades.

Quando chega em sua cidade Natal para reencontra sua melhor amiga, em duas páginas vamos perceber que Gabby é a amiga que todos queremos ter na vida (você certamente vai identificar quem é a sua “Gabby” e vai querer abraçá-la durante a leitura desde livro).

Para comemorar a volta de Hannah para casa, Gabby organiza um happy hour com os antigos amigos do colégio delas; nessa festa, Hannah reencontra Ethan, seu namorado do colégio e algumas questões vem à tona. Surge um clima inegável, mas é quando Gabby e Mark (marido da Gabby) estão indo para casa e oferecem carona para Hannah, que ela precisa escolher entre ficar na festa e descobrir o que ainda sente pelo Ethan e se isso é correspondido ou se vai com a amiga e o marido para casa.

Um número infinito de versões de nós está vivendo as consequências de cada possibilidade nas nossas vidas.

Todo mundo na vida já parou para se perguntar como a vida teria acontecido se tivéssemos tomado outras decisões e isso não será diferente com a Hannah, é quando ela faz a primeira escolha que os caminhos se dividem e tudo começa a mudar.

A narração é em primeira pessoa e os capítulos são curtinhos, o que facilita a leitura quando começa a alterar entre as situações que a Hannah começa a viver. Solidificando o título do livro, vamos companhar duas vidas diferentes da Hannah, dependendo das escolhas que ela faz ou não. Parece confuso, mas vai por mim, que é muito divertido de acompanhar. Dependendo da escolha feita vamos ter a inserção de novos personagens e uma outra vida se forma.  

Como se chora a perda de uma coisa que você nem sabia que tinha? Algo que nunca quis, mas algo real, algo importante. Uma vida.

Eu sempre espero que chick-lits sejam leves e divertidos, esse apesar de ter uma ou duas situações engraçados, o que me chamou muito atenção foram os questionamentos que as situações de escolhas trouxeram para a personagem e o quanto aquelas situações e questionamentos mexiam comigo, eu queria muito dar palpite nas escolhas.

[...] Fiquei muito impressionado com uma teoria em especial que diz que tudo o que é possível acontece. Isso quer dizer que, quando a gente joga uma moeda pra cima, ela não dá cara ou coroa. Dá cara e coroa. Todas as vezes que você atira uma moeda pra cima e ela cai com a cara virada pra cima, significa apenas que você está num universo onde a moeda caiu com a cara pra cima. Existe outra versão de você, em algum lugar, criada no segundo em que a moeda foi jogada pra cima e que vê a moeda cair coma coroa para cima. Isso acontece a cada segundo, todos os dias.

Apesar do livro ter entregue mais drama do que situações engraçadas, eu adorei a surpresa, vibrei com algumas escolhas, revirei os olhos para outras; e obviamente fiquei tentando identificar quais foram as escolhas que fiz que me trouxeram até onde estou hoje. Se você está procurando algo envolvente para ler, não tenho dúvida que essa é uma boa opção, se você já leu me conta qual das situações que ela viveu que você gostou mais.

Compartilhe!

20 comentários :

  1. Oi, Karina.

    Essa espécie de processo criado pela autora é algo bem único, pois essas possíveis possibilidades é que dá um toque a mais no livro. Causando, durante o progresso, incertezas no leitor e até mesmo apreensão, quanto a escolha e um possível final inesperado.

    Gostei da proposta do livro, pois é, talvez, uma oportunidade da autora nos surpreender, de um jeito positivo ou não.

    Gostei bastante da capa, pois remete bem a história.

    Quero lê-lo o quanto antes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dai foi exatamente essa proposta que me cativou ...achei super diferente e me fez pensar mto sobre onde as decisões me levaram ! Espero que vc goste tanto quanto eu ! Bjos.

      Excluir
  2. Oi Karina, achei bacana a proposta do livro de alternar as situações a partir das escolhas dela e bem curiosa pra ver como isso funciona. Eu gosto de Click Lits pois geralmente há personagens "gente como a gente" como você disse, isso sempre me aproxima da história e facilita a conexão com a personagem. A resenha tá ótima, espero ter a oportunidade de ler também mais a frente ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Lili leio chick lit exatamente pra achar personagens assim , e quando demoro pra retornar ao genero fico me perguntando porque demorei tanto rs ! Bjos espero que curta tanto o livro quanto eu curti! Bjos.

      Excluir
  3. Karina!
    Amo chick lits, principalmente porque geralmente nos identificamos com as situações mostradas, como no caso de Hannah e suas escolhas e ainda podemos te ruma leitura hilária e descontraída.
    Já anotei na lista dos desejados aqui.
    Bom final de semana!
    “.Aquilo que eu não sei é a minha melhor parte! “ (Clarice Lispector)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rudy , tudo bem ? A Hannah é mto gente como a gente se você já curti Chick Lit esse é um otimo livro do gênero , Bjos!

      Excluir
  4. Olá, a obra, apesar de abusar de alguns clichés do gênero, é capaz de surpreender pelo fato de deixar reflexões para o leitor acerca de como uma decisão é capaz de mudar completamente o rumo de nossas vidas. Outro ponto interessante é a camada mais densa de drama que temos na trama, algo atípico em se tratando de chick-lits. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Alison pois é exatamente isso, esse é um chick Lit com umas camadas a mais. Bjos.

      Excluir
  5. Parece ser uma leitura gostosa apesar do drama, também espero desse gênero mais risadas esse pelo visto é diferente, mostra as escolhas e decisões da personagem, isso gera lembranças no leitor em suas escolhas que poderiam ter sido diferentes. Fiquei interessada em saber quais foram os caminhos da personagem e se no fim foram boas escolhas feitas por ela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria normalmente os chik lits que eu leio são so pra me divertir mesmo, mas esse foi especial porque alem de me divertir eu ainda fiquei pensativa rs . Beijos.

      Excluir
  6. Lendo a resenha entendi o que é chick-lits.Acredito que nunca li esse gênero, Mas achei bem interessante, não sei se gostaria de ler, talvez por ser ter esse drama todo. Gosto de personagens de bom coração , pois Hannah demonstra isso ao ajudar a menina, e se durante o livro ela faz a gente lembrar da melhor amiga,já achei muito bom. Essa parte do livro ter as duas versões ,mostrando as duas escolhas e as suas consequências deve dar uma sensação estranha, sempre penso isso, à respeito de tudo, mas nunca vi num livro. Muito curiosa pra ver as guinadas da vida de Hannah e seus amigos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mariangela se tu nunca leu Chick lit esse pode ser um otimo livro pra primeira experiencia pq apesar de mais drama que o normal , não é um drama pesado ...as reflexoes que deixa são muito boas.Beijos.

      Excluir
  7. Olá Karina!
    Estou doida pra conhecer a história, a sinopse e a capa me chamaram atenção de cara, qdo li resenhas então a vontade de ler só aumentou, espero conseguir ler em breve.
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aline pois eu fiquei tão empolgada com o livro que já emendei mais uma leitura da mesma autora ! Espero que goste tanto quanto eu ! Beijos.

      Excluir
  8. Oi!
    Também gosto muito de todo esse clima de chick-lits, já tinha visto esse livro antes, mas ainda não li, mesmo esse sendo um chick-lits, achei ele meio diferente dos que estou acostumada a ler, pois esse é um livro que acaba nos fazendo pensar em nossas escolhas e parece mesmo acabar questionando o leitor, fiquei curiosa para ler !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Suzana , quando terminamos o livro pensar nas nossas escolhas é a unica opcao que nos restas. Quando tu matar suas curiosidade , volta aqui pra dizer pra gente o que você achou . Beijos.

      Excluir
  9. Olá! Gostei da proposta do livro, a capa é muito linda mesmo, e parece ser bem interessante acompanhar o que acontece com esses “e se”, acho que vai ser bacana ler as consequências das escolhas da Hannah.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Elizete, que bom que tu curtiu ...quando ler vem contar pra gente o que achou. Beijos !

      Excluir
  10. O Livro tem cara de ser um aqueles Chick-lit bem divertido e cativante. A capa e belíssima e segue o modelo padrão de capas desse gênero da editora. As escolhas e consequências da Hanna são os fatos que devem dar vida ao livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso mesmo Carol , e a gente querer palpitar na vida da protagonista rs é fato de que vai acontecer rs ! Beijos.

      Excluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei