23 maio 2018

[Resenha] Você - Caroline Kepnes

 

Bestseller do The New York Times, o romance de estreia de Caroline Kepnes ganhou elogios de escritores do calibre de Stephen King e Sophie Hannah, além de resenhas estreladas, e deu origem a uma série de TV homônima que estreia neste primeiro semestre nos EUA. Não é para menos. Hipnótico, assustador, brilhante são alguns dos adjetivos usados para descrever este thriller sobre um amor obsessivo e suas perigosas consequências. A trama tem início quando Guinevere Beck, que deseja ser escritora, entra na livraria do East Village onde Joe Goldberg trabalha. Bonita, inteligente e sexy, Beck ainda não sabe, mas é a mulher perfeita para Joe, que, a partir do nome impresso no cartão de crédito de sua cliente, passa a vasculhar sua vida na internet e a orquestrar uma série de eventos para garantir que ela caia em seus braços, fazendo com que tudo pareça obra do acaso. À medida que o romance entre os dois engrena, porém, o leitor descobre que Beck também guarda certos segredos e os desdobramentos desse relacionamento mutuamente obsessivo podem ser mortais.


Livro: Você || Série: Você #1 ||Autor: Caroline Kepnes
 Editora: Rocco  || Ano: 2018 || Gênero:  Suspense, Mistério
 Classificação: 2,5 estrelas || Resenhista: Anne

Joe é um jovem que trabalha numa livraria e acaba se apaixonando por uma cliente. A tal cliente se chama Guinevere Beck, que foi simpática com ele e só isso bastou para que Joe se apaixonasse e ficasse convencido de que são perfeitos um para o outro. Como teve acesso ao seu cartão de crédito, Joe descobre o nome da garota começa a desenvolver uma grande obsessão por ela. Ele stalkeia toda sua vida e bola planos para que se encontrem e assim, talvez, ela se apaixone por ele. 

Beck publica nas redes sociais praticamente tudo que acontece em sua vida, portanto, é fácil Joe encontrá-la quando quer. Em certa ocasião, Beck bebe demais e tem um incidente na linha do trem e quem está lá para ajudar? Isso mesmo, Joe. É neste dia que os dois criam um tipo de relação e Joe  acaba roubando o celular de Beck, com isso, ele começa a ter acesso aos seus e-mails e muito mais detalhes de sua vida.

Bom, essa não foi uma leitura que me agradou. Ao ler a sinopse, minha expectativa foi lá em cima, mas tudo foi por água abaixo ao decorrer das páginas. Me deparei com um livro de leitura arrastada, sem emoções ou reviravoltas. Fui até o final apra descobrir se teria alguma surpresa, mas para minha completa frustração, foi totalmente previsível.

O livro é narrado por Joe, que tem uma mente completamente perturbada, é horrível estar em sua cabeça doentia. Ele consegue mascarar muito bem o que realmente é, como se tivesse duas personalidades, para Beck e outras pessoas de seu convívio, ele é gentil e amável, mas em seus pensamentos, é maldoso e possessivo. Da forma que foi escrito, o livro parece ser contado para Beck, e por isso, Joe usa diversas vezes a palavra VOCÊ, o que acaba se tornando extremamente irritante ao decorrer da leitura. Os pensamentos do rapaz são nojentos e a linguagem usada é muito suja e esse foi outro ponto que me incomodou demais. Se o objetivo da autora foi incomodar o leitor com essa linguagem, ela conseguiu.

Os dois personagens são perturbados, Joe é muito mais que Beck, claro, e por mais que eu tentasse, não conseguia me ligar a nenhum deles. Beck é uma aspirante a escritora arrogante e egocêntrica,  extremamente manipuladora, controla todos ao redor e os usa somente para seu benefício. Tudo que ela vive é uma farsa e Joe vai descobrindo isso aos poucos, só que ainda assim, quer a garota para si.  

Sei que o  livro não é voltado para investigações, mas a autora deixou muito a desejar nesse aspecto, pois para a história fazer sentido, teria que ter investigação em algum momento. Não posso descrever aqui exatamente o que acontece para não dar spoiler, mas Joe comete alguns crimes em lugares públicos, sendo totalmente descuidado deixando várias pistas e ninguém descobre nada, ninguém vai atrás! Não é possível que ninguém tenha interesse em descobrir o que aconteceu, já que são coisas bem graves.

Outras coisas que não fizeram sentido foi Beck ter perdido o celular e não fazer questão de bloquear, ou então, Joe ter conseguido entrar no apartamento de Beck sem ela saber, usando uma desculpa nada convincente... Enfim, sei que é ficção, mas a leitura tem que ter o mínimo de coerência e convencer o leitor de que aquilo pode acontecer e não foi o que aconteceu nesta obra. Para mim, essa não foi uma boa experiência literária, mas pode ser que seja exatamente o tipo de leitura que te agrade.

Compartilhe!

6 comentários :

  1. Oi, Thuanne.

    O livro não deixa de ser realista e assustador, pois essa obsessão coloca em risco a vida e a integridade da personagem alvo desse amor doentio.

    Adentrar da mente de um personagem obsessivo como o Joe, significa ter que lidar com todos seus pensamentos maléficas. E, isso, obviamente deixará o leitor eufórico. É verdadeiramente um livro de tirar o fôlego.

    Livro mais que desejado por mim, por ter características que faz desse, um bom livro!


    ResponderExcluir
  2. Olá Thuanne!
    Eu ainda não conhecia o livro, gostei bastante da sinopse, me prendeu atenção tbm.
    Adoro qdo livros do gênero já me prendem logo de cara, e este foi exatamente assim, vai para os desejados e espero ler em breve.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Fiquei angustiada só de ler a resenha, que cara louco nossa senhora. Não sei qual foi o proposito da autora com esse livro mas não me agradou. Infelizmente o mundo ta cheio de caras como o Joe. Eu gosto de ler e me identificar com os personagens e assim como você creio que não conseguiria fazer isso com Joe e Beck. Mas eu creio que não deixa de ser um livro bom para as pessoas que gostam dessas histórias que você literalmente entra na cabeça do personagem

    ResponderExcluir
  4. Acho que se fosse melhor trabalhado poderia ter rendido uma boa história, pois o personagem é bem obsessivo e isso o torna perigoso, tem pessoas assim na realidade. Foi uma pena que deixou a desejar em alguns quesitos, é estranho mesmo essa parte dos crimes do personagem ficarem impunes sem investigação, os dois personagens não me agradam, se eles melhorassem aí sim.

    ResponderExcluir
  5. Thuanne!
    Deve ser um livro bem carregado, já que um dos protagonista é psicopata.
    Que pena a autora não ter dado coerência em alguns trechos do livro e ter deixado a parte investigativa ser relegada.
    Maravilhoso final de semana!
    “O meu objetivo é colocar no papel aquilo que vejo e aquilo que sinto da mais simples e melhor maneira.. “(Ernest Hemingway)
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  6. Essa história teria tudo pra ser um ótimo livro, o assunto, os personagens, o tema obsessão, mas por ser um livro de suspense e mistério onde acontecem crimes claro que deveria ter uma investigação, pena mesmo, cheguei a ficar curiosa, sobre ser narrado pelo personagem Joe eu até acho interessante. E estranho mesmo a garota "perder" o celular e não bloquear. ..Acho que esses dois tem problemas de cabeça.

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei