10 maio 2018

[Resenha] Retalhos - Craig Thompson

Uma das graphic novels mais premiadas dos últimos tempos, Retalhos é um relato autobiográfico da vida no meio-oeste americano. Thompson retrata sua própria história, da infância até o início da vida adulta, numa cidadezinha de , no centro dos Estados Unidos, que parece estar sempre coberta pela neve. Seu crescimento é marcado pelo temor a Deus - transmitido por sua família, seu colégio, seu pastor e as trágicas passagens bíblicas que lê -, que se interpõe contra seus desejos, como o de se expressar pelo desenho.
Ao mesmo tempo Thompson descreve a relação com o irmão mais novo, com quem ele dividiu a cama durante toda a infância. Conforme amadurecem, os irmãos se distanciam, episódio narrado com rara sensibilidade pelo autor.
Com a adolescência, seus desejos se expandem e acabam tomando forma em Raina - uma garota vivaz, de alma poética e impulsiva, quase o oposto total de Thompson - com quem começa a relação que mudará a visão que ele tem da família, do futuro, de Deus, e, enfim, do próprio amor. Retalhos traz as dores e as paixões dos melhores romances de formação - mas dentro de uma linguagem gráfica própria e extremamente original.



Livro: Retalhos || Autor: Craig Thompson
Editora: Cia das Letras ||Ano: 2009 || Gênero:  Quadrinhos, Autobiografia
 Classificação: 4 estrelas || Resenhista: Amanda

Você acredita em Deus? 

Há quem diga que política e religião não se discutem. Mas e quando a religião começa a afetar sua vida de forma significativa, limitando suas escolhas, gostos e te sufocando aos poucos?


Craig cresceu numa pequena cidade dos Estados Unidos, dentro de uma comunidade bastante religiosa. Desde pequeno, Craig gostava de desenhar e via-se um talento real em seus traços, mas esse talento era sempre observado de perto e muitas vezes criticado por sua família e pessoas da igreja por - segundo eles - não terem um conteúdo apropriado, que supostamente o afastaria de seus deveres e de Deus (ou do paraíso).

Desde criança vemos como toda a vida dele foi moldada ao redor das crenças religiosas. Quando o pequeno Craig sofre bullying na escola (entre outras coisas), ele mergulhava em seus sonhos e desenhos com Phil, seu irmão mais novo, para fugir daquela realidade que ele odiava. Até que em uma das aulas bíblicas. ele encontra refúgio na religião. Com a ideia de que algum dia todos aqueles momentos difíceis ficariam para trás, que um dia ele estaria no paraíso, vivendo feliz para sempre ao lado de Deus, Craig passa a se esforçar para alcançar o céu. 

"Eu cresci me ESFORÇANDO para chegar àquele mundo...
... um mundo ETERNO...
... que acabaria com meu sofrimento PROVISÓRIO."





Mas o que é o paraíso, afinal? 

Em uma das aulas bíblicas, os alunos devem definir sobre o que eles acham que farão no céu, quando finalmente estiverem ao lado de Deus. Alguns falam sobre jogar futebol, outros sobre esquiar e Craig fala sobre o que ele mais gosta de fazer: desenhar. Até então Craig sempre aprendera que o céu era um lugar perfeito, onde todos fariam aquilo que quisessem, aquilo que amassem... mas ele se surpreende quando toma conhecimento de que passaria a eternidade adorando e cantando para Deus, sem distrações terrenas, sem nunca se cansar e amando cada segundo porque estariam em constante estado de êxtase. Craig tenta contestar, dizendo que ele não sabe cantar e não gosta de fazê-lo, ao qual a "professora" responde que no céu, a voz dele seria perfeita e que não era possível louvar a Deus com desenhos, dando a entender que seria uma habilidade inútil no céu.

-- o que essa passagem do texto agregou? pq vc contou isso? É nesse ponto que ele começa a duvidar da religião?

Quando em um acampamento, Craig conhece uma jovem chamada Raina e se apaixona pela primeira vez, ele começa a questionar o que tinha sido lhe ensinado até então.


O livro é maravilhoso, eu fico muito contente que Craig nunca tenha desistido de desenhar por causa da igreja. Com um traço perfeito e uma sensibilidade única, ele retrata a vida de quem é criado nesse meio e sobre como devemos sim, acreditar em Deus. Respeitá-lo e amá-lo, mas não devemos aceitar tudo o que as pessoas impõem a nós. Afinal, Deus deu a cada um, uma vida, para que vivêssemos, não para tentar ensinar o caminho que os outros devem seguir.

E não quero criticar de forma alguma quem acredita ou segue as doutrinas à risca e faz tudo conforme a igreja ensina, mas a respeitar a escolha do outro, sem tentar fazer de alguém aquilo que ele não é, pois isso só nos afasta um dos outros... e às vezes até mesmo de Deus.

Compartilhe!

16 comentários :

  1. Oi, Nanda.

    Acho que é normal, durante e depois de tanto tempo, o Craig querer voar no mundo à fora e fazer suas próprias escolhas.

    ResponderExcluir
  2. Eu amooo essa HQ, foi quando definitivamente descobri que curto HQ mais biograficas !! As paginas duplas sem duvidas me chamaram muito atenção . Habibi é ainda melhor que retalhos !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Serio, K? Eu amei Retalhos, então acho que vou gostar ainda mais de Habibi *-* <3

      Excluir
  3. Fiquei curiosa em saber mais sobre essa historia, também acho que cada um deve viver sua vida sem essas imposições, deve ser uma leitura que nos deixa refletindo sobre o assunto e um incentivo para não desistirmos daquilo que realmente queremos e acreditamos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Maria. Para mim foi essa a mensagem que o livro me passou, de acreditar no seu potencial, até porque nada acontece apenas porque se deseja muito. A gente tem que ir atrás do que quer <3

      Excluir
  4. Nanda que linda essa capa, gostei das ilustrações tbm, não conhecia o livro ainda, achei uma fofura, vou add aos desejados e torcer pra que surja uma chance de ler em breve.
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tomara que você leia em breve, Aline. Ele é uma delícia *-*

      Excluir
  5. Nanda!
    Esse ano resolvi inserir os HQs e GRafic Novels nas minhas leituras e estou gostando muito.
    Achei os traços em preto e branco deram mais evidência as cenas.
    Leria esse livro tranquila.
    Uma ótima semana!
    “Moral é o que te faz sentir bem depois de tê-lo feito, e imoral o que te faz sentir mal.” (Ernest Hemingway)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA MAIO – 4 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Rudy! É sempre bom ampliar nossas preferências literárias e conhecer novos universos.
      Bjs <3

      Excluir
  6. Oi Nanda!
    Que história incrível, tão normal, foge das loucuras das HQs que já li.Muito bonito a relação dos irmãos ,que se distanciam com o passar do tempo, e os questionamentos sobre a religião, amei o desenho e o enquadramento, pois sinceramente as vezes fico tonta lendo quadrinhos. ..uma história de crescimento e amadurecimento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é bem claro mesmo, os traços limpos e fáceis de entender. Foi uma ótima experiência pra mim *-*

      Excluir
  7. Achei uma história linda, sua resenha foi muito explicativa para quem ainda não leu o hq, como eu. Essa história é toda atemporal, muitas pessoas vivem como o Craig e eu acho que na verdade Deus fala conosco sobre o que quer em nossa vida e não com o outros. Se Craig se sente bem desenhando esse foi o dom feito pra ele, e eu acho que ele pode tudo através de seus desenhos inclusive chegar ao paraíso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luana *-*
      Penso o mesmo que você, se Deus quer falar comigo então Ele deveria guiar a mim e não a outro que não tem nada a ver com a história, ne?! Muitas pessoas, infelizmente, acabam utilizando a fé dos outros maliciosamente :((

      Excluir
  8. Li na minha época de ensino médio na biblioteca da escola. Simplesmente amei!!!

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei