13 abril 2018

[Resenha] Uma Irmã - Bastien Vivès




Ao ter suas férias pacatas transformadas por Hélène, o jovem Antoine passa a viver os dias mais intensos de sua vida, repletos de emoção e receios. De forma sutil, ainda que forte, ele vai descobrindo um universo feminino tão gracioso quanto perturbador. E o que poderia ser apenas mais uma história de verão, se transforma, pelas mãos de Vivés, em uma narrativa apaixonante. Um conto delicado e sensual sobre o despertar de um adolescente que provoca um turbilhão de sentimentos.




Livro: Uma Irmã || Autor: Bastien Vives
Editora: Nemo || Ano: 2018 || Gênero: HQ, YA
 Classificação:  4 estrelas || Resenhista: Lud


A Karina pode dizer que vai chover porque eu gostei de um HQ que não é colorida. Mas, na realidade, eu adorei essa paleta mais escura porque contrasta com o traço fino e delicado. Acho que os dois se completam perfeitamente. 

Antoine e sua família sempre passam as férias de verão na casa de praia. Mas nessas férias, eles terão a visita de uma amiga da mãe, que acabou de sofrer um aborto espontâneo, e de sua filha adolescente de 16 anos, Hélène.

O que era para ser um verão comum, como todos os outros, se transforma em algo mais para o menino de 13 anos, que acaba descobrindo em Hélène mais do que uma amiga: ele descobre uma infinidade de sentimentos nunca antes experimentados. 

Alguns sentimentos de como ter uma irmã mais velha, que lhe apresenta o mundo, lhe ensina a dançar, a analisar garotas, a beber e muito mais. Mas, ao mesmo tempo, eles vão descobrindo um ao outro. Não é uma história romântica, mas mais uma história de se descobrir. Dois adolescentes curiosos com os corpos e com novas sensações despertadas. E nós vamos acompanhando esses dias de verão de ambos, que prometem deixar saudades. 


Senhor, não estou conseguindo lidar com essas HQ. É uma tapa na cara a cada livro.


Eu lendo a história, e então viro a página, e pá. Como eu disse, não é uma história de amor. E muita das cenas são cruas, reais. Te choca de uma forma não ruim, mas te faz perceber em como o ser humano transforma algumas coisas naturais em um tabu. Em como o assunto sexo pode te incomodar de uma forma que não deveria, porque não há maldade aqui, há apenas uma curiosidade genuína.

Eu gostei muito da Hélène, ela é tão amorzinho com os dois irmãos, tanto o Titi com 9 anos e sua obsessão com pokémon, quanto Antoine. Em nenhum momento ela o larga para ficar com os meninos da idade dela, ou mesmo destrata ou tira sarro por coisas simples, como ele não saber dançar. Ela vai lá e simplesmente, com toda a paciência, ensina como faz. Mas você também percebe que ela tem preocupações que vão além de sua idade, como a mãe abortando, o padastro embaixador, as mudanças de cidade por causa do trabalho dele, e ela não gosta muito dessa situação. 



O jeito de Bastien conduzir é tão sensível, as expressões nos rostos dos personagens tão suaves e natural, a simplicidade das conversas intensificando o realismo da história, fora a suavidade dos sentimentos. Com tudo isso, não tem como não despertar alguns sentimentos de saudade do tempo de quando se é criança e sua única preocupação é com os pokémons.

É um Hq que deve mexer com muitas pessoas, e algumas não devem aceitar ou mesmo conseguir entender a proposta dele, como já vi em alguns comentários, que é um livro sem vergonha. Mas eu creio que entendi a proposta e adorei o que eu pude ver do talento de Bastien, e ele segue uma linha de histórias que não está ai para te confortar, pelo contrario.

Para concluir, Bastien Vivès é considerado um desenhista em plena evolução, é um dos principais nome dos quadrinhos contemporâneos.

Compartilhe!

10 comentários :

  1. Oi, Lud.

    Bom, com certeza para o Antoine, as férias para ele aconteceu de forma imaginável, mas que trouxe algo fundamental para a sua fase de vida, que é a exploração e descoberta sexual... Algo bastante típico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Daiane,

      com certeza essas férias renderam descobertas!

      =)

      Excluir
  2. Olá Lud!
    Eu tenho me interessado mto por HQ´S mas ainda não peguei pra ler, eu não conhecia este e lendo sua resenha já curti mto, as ilustrações msm em preto e branco estão lindas, espero ler um dia pois o tema abordado me chamou atenção.
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Aline,

      Eu não lia muito também, mas estou me achando neles. Espero que você consiga separar alguns para ler.

      Bjoks

      Excluir
  3. Oi Lud!
    Não leio tantos HQ's mas sempre pego as dicas porque as vezes dou a louca e compro hehe
    Acho que lendo sua resenha entendi a proposta de descobertas para um adolescente, do sexo e tudo mais. Sempre vão ter aqueles que não vão gostar, acho que todo livro sempre tem alguém que não gosta e não se interessa. É bom termos a diversidade mas ainda assim sabermos entender e não denegrir o objetivo da obra.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Catarina,

      graças a Deus pela diversidade não?
      Mas fico mais é chateada, quando eu vejo que a pessoa não entendeu a mensagem passada. Mas é a vida!

      =)

      Excluir
  4. Olá Lud,
    Que linda essa resenha, transmite um sentimento genuíno dessa idade, as descobertas de Antoine com Helène , a amizade, o sexo, o "aprender a beber" e outras aprendizagens . Parece uma história despretensiosa mas por isso mesmo grandiosa. Gosto quando existe um personagem criança pra dar uma leveza na narrativa, que parece ter questões bem profundas,para além da crise da adolescência .Adoro HQ em PB.

    ResponderExcluir
  5. Oi Lu,
    Me surpreendi a idade do protagonista, se olharmos o que estamos vivendo hoje pode até ser que isso seja uma realidade, afinal 13 anos é mesmo adolescência, mas, eu não consigo enxergar bem isso, não chego a achar ele 'safado', mas achei meio exagerado. Fora esse pequeno ponto a história traz lembranças de uma época que para mim foi muito divertida, e espero ter a oportunidade de ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Lud!
    Gosto também de HQs e cada vez mais estão no mercdo.
    Não sou muito fã de HQs em preto e branco, porém essa parece diferenciada.
    O bom é que o enredo mostra a realidade adolescente, carregada de novas descobertas, muitas não tão boas, mas enfim, mostra a fase conturbada.
    “A sabedoria superior tolera, a inferior julga; a superior perdoa, a inferior condena.” (Augusto Cury)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA ABRIL – ANIVERSÁRIO DO BLOG: 5 livros + vários kits, 7 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  7. Parece ser uma historia interessante que nos mostra as descobertas dos adolescentes, descobertas essas que geram conflitos nessa fase, e a HQ parece que mostra de uma forma simples e natural, gostei das ilustrações, gosto quando são coloridas, mas é falta de costume mesmo em preto e branco rs.

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei