26 abril 2018

[Resenha] Um Vento à Porta - Uma Dobra No Tempo # 2


Charles Wallace está em perigo. E o mundo todo também.
Quando a família Murry pensava que os problemas haviam terminado, um novo desafio surge. Charles Wallace agora tem seis anos de idade e na escola o menino se tornou um problema. Sofrendo bullying constante, Meg acha que o novo diretor da escola deveria ser responsável pelo menino, mas Charles Wallace fica terrivelmente doente antes que ela possa ajudá-lo.
Mas há algo estranho acontecendo. Charles Wallace diz a Meg que há dragões no quintal de casa e ela descobre que os dragões na verdade são Proginoskes, querubins feitos de asas, vento e chamas. E mais uma vez este é só o começo de uma nova aventura, onde Meg e seu amigo Calvin precisam correr contra o tempo para salvar seu irmãozinho. E, para fazer isso, eles devem partir em uma viagem para dentro do corpo do menino e lutar para restaurar a brilhante harmonia do universo.
Junte-se a Meg, Calvin e Charles Wallace nesta nova aventura repleta de seres incomuns, mundos novos e muitos heróis que precisam ultrapassar seus medos para salvar o mundo!



Livro: Um Vento à Porta ||  Série : Uma Dobra No Tempo # 2 || Autor: Madeleine L'Engle
Editora: HarperCollins || Ano: 2018 || Gênero: Fantasia, YA, Ficção Cientifica 
 Classificação:  3 estrelas || Resenhista: Lud


Vamos embarcar em mais uma aventura de Meg, Charles Wallace e Calvin.

Algo estranho vem acontecendo com Charles Wallace, e não é apenas os meninos do colégio implicando com ele, ou a professora que não sabe lidar com a inteligência extraordinária do menino. Se você olhar mais de perto, há marcas visíveis que cobrem o garoto: a palidez, o cansaço, a falta de ar. E quando isso atinge Meg, ela sente um misto de sentimentos. Medo pelo irmão, mas culpa por não ter percebido antes.

A preocupação da mãe também é visível, ela sabe que é algo com as mitocôndrias, mas não sabe ao certo o que está provocando isso, nem quanto tempo Charles continuará vivo.

E junto com tudo isso, temos o desaparecimento de algumas estrelas, elas estão sumindo por todo o mundo, e o pai deles está investigando isso. E será que tem a ver com a doença de Charles Wallace e as muitas pessoas mortas por doenças pulmonares?

E então Charles vê Dragões, mas não são exatamente uma revoada de dragões, é outra coisa bem mais antiga. E então, os 3 se veem novamente envolvidos no que está acontecendo no universo, no mal que está tomando as estrelas e contaminando a Terra. Mas com Charles Wallace doente, um novo integrante humano se junta a essa aventura, pelas faradonlas dentro das Mitocôndrias de Charles Wallace.


Parece estranho quando se fala que o livro se passa dentro das mitocôndrias de um menino. Mas não deixe isso te impedir, como ficção cientifica, ele trás elementos que não são comuns em outros livros, e posso confessar, são em nada comum com os livros que eu leio normalmente, mas essa série me pegou. 

Esse livro entrou em um assunto não abordado no anterior, que é bulling. E ele mexe com alguns conceitos de você não gostar da pessoa porque ela é superior a você. Mas quem disse que ela é superior, qual conceito você usou para isso? É um assunto delicado, mas que se encaixa perfeitamente nos dias de hoje. 

E novamente, o livro gira em torno de que o bem derrota o mal, e o amor é a resposta para tudo. E como no anterior, temos algumas lições de moral, alguns conceitos que vêm de antigamente, como os conceitos bíblicos que são colocados à prova. E esse conceito deve permanecer em todos os livros da série. 

A personalidade de todos continua seguindo a linha do primeiro, apenas com uma intensificada na da Meg, que devo confessar que me irritou em diversos momentos. Ela foi teimosa nesse livro, questionando tudo, e não querendo aceitar as coisas como seu irmão ou Calvin iria. O que é meio controverso ela ser o centro dos livros, já que ela não acredita prontamente e nem aceita as missões com essa facilidade. Mas nisso que pode estar a chave do livro, talvez a Meg, por ser a mais cética, é a que precisa ser convencida. Como ela foi convencida do conceito do amor, que é proposto nesse livro. 

Uma coisa que não gostei, foi da falta de ligação com o livro anterior. Não é mencionada uma única vez a aventura anterior, nem mesmo alguma cena com o pai, ou depois que eles voltaram. NADA. E então, temos o surgimento de novas pessoas na vida da Meg, que a conduzirão a uma nova tarefa, simples assim. 

Achei que o livro 1 teve mais ação que esse, então você lê com mais ânsia de descobrir as coisas, já esse tem uma pegada mais lenta, por não se passar em vários lugares. Mas, no geral, eu recomendo a leitura e já estou ansiosa pelo terceiro livro da série. 

Compartilhe!

12 comentários :

  1. Oi, Lud.

    Eu diria que é uma nova aventura inusitada e, talvez, um pouco nojenta... Mas, que põe em risco a vida do Charles, e algo tem que ser feito, não é mesmo? E, acredito, que é uma corrida contra o tempo para que tudo dê certo e o mal não se prolifere...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Daiane,

      com certeza é necessário, mas o engraçado, é que muitas coisas se encaixam, e você não pensa como uma coisa estranha, eles estarem dentro do corpo.

      Excluir
  2. Olá Lud!
    Estou doida pra ler os livros da autora, a curiosidade é tão grande que eu estou me segurando rpa não ver o filme, espero conseguir me segurar pq eu qria mto ler o liro primeiro...
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Aline,

      leia o livro primeiro, porque tem algumas explicações que ficam melhores nele do que no filme! huhuh

      =)

      Excluir
  3. Oi Lud,
    Como já disse outra vez, não é um livro que me atrai, mas, puder perceber com ficou ainda mais evidente o carinho familiar presente na história, é um ponto positivo. E sim, acho estranho se passar nas mitocôndrias de Charles, mas também é algo que dá uma originalidade no enredo.
    Enfim, espero que os livros continue conquistando leitores.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Vitória,

      espero que conquiste mesmo, porque são livros que eu daria para meus filhos lerem, acho que tem uma mistura boa de aventura, mistério, lições e muito mais.

      Bjoks

      Excluir
  4. Oi.
    Esse livro deve ser bom pra quem curte o estilo, não é meu caso,apesar de tratar de temas importantes como o bullying.A Meg acredito que é assim teimosa e questionadora justamente pra dar a medida e servir para o autor expor seus argumentos.Uma grande missão esses amigos tem pela frente,sorte que estão bem Unidos. Agoniada com o sumiço das estrelas,e encantada com essas questões filosóficas.Boa indicação pra jovens leitores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Maria,

      é um ótimo livros para jovens, indico muito.
      E realmente ele bate em muitas questões como as filosóficas.

      =)

      Excluir
  5. É um mistério o que esta acontecendo com as estrelas, parece ser uma leitura que envolve em busca de respostas, pena não ter muita ação que adoro, mas nem sempre ela é tão necessária assim, desde que não fique uma leitura monótona. Espero que a Meg melhore não gosto de personagens teimosos acabam ficando chatinhos, pois pretendo ler esses livros.

    ResponderExcluir
  6. Oi Lud!
    Não li nenhum dos dois mas pelas resenhas que li sobre eles com certeza "Uma dobra no tempo" parece bem mais interessante. Achei legal o bullying ser retratado mas a falta de ação parece ter deixado um pouco a desejar. Além disso é realmente no mínimo estranho o livro não ter mencionado o primeiro em nenhum momento.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Catarina,

      realmente tem uma certa estranheza, mas apesar das ressaltas, eu ainda recomendo a série. Bjos

      Excluir
  7. Como assm os livros não tem ligação? =O Tem várias questões pendentes do livro um... Odeio quando os autores fazem isso :/ Mas de qualquer forma eu quero continuar com a série hehe
    Tudo que Motiva

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei