22 abril 2018

[RESENHA] O Livro do Cemiterio - Neil Gaiman



Enquanto seus pais e irmã são impiedosamente assassinados por um misterioso homem chamado Jack, um bebê consegue escapar de seu berço e se aventurar pelo mundo. Uma série de coincidências, aliada a uma grande dose de sorte, salva o pequeno de ter um destino tão trágico quanto o de sua família. Este é o cartão de visitas de O livro do cemitério, mais nova obra do cultuado britânico Neil Gaiman. Ganhador da medalha John Newberry, a mais prestigiada premiação da literatura infantojuvenil norte-americana, o livro permaneceu na lista dos mais vendidos do The New York Times por mais de 50 semanas e chega agora às livrarias do país. [A sinopse tem mais três parágrafos que eu retirei porque contém  spoilers]



Livro: O livro do Cemiterio || Autor:  Neil Gaiman 
 Ilustrador: Dave McKean|| Editora: Rocco jovens leitores
Classificação:  5 estrelas || Resenhista: Karina
Ano: 2010 || Gênero: Ficção, Terror, Fantasia

Com um livro infanto juvenil cheio de situações sobrenaturais, Neil Gaiman consegue encantar de crianças a adultos exatamente como fez em "Coraline". Nessa nova história vamos acompanhar a história de Ninguém Owens Ou Nin (apelido carinhoso). Quando era um bebê, Nin teve seus pais assassinados e foi parar num cemitério e acaba por ser criado por fantasmas.

– Porque existem mistérios. Porque existem coisas de que as pessoas não podem falar. Porque existem coisas de que elas não se lembram.

Há sociedade de “Jacks” que decidem que a família de Nin deveria morrer, eles só não contavam que o bebê escaparia e acabaria indo parar dentro do cemitério onde é acolhido pelo casal Owen (um casal de fantasmas); o casal pede  aos moradores do cemitério que permitam que Nin seja criado e protegido pelas criaturas no cemitério, depois de uma intensa votação, fica decidido que os pais fantasma de Nin serão o Sr. E a Sra Owens; e Sila que não está nem entre os mortos e nem entre os vivos será o Guardião/ Tutor do garoto, garantindo que não lhe faltará comida e que lhe será ensinado o que garotos vivos deveriam saber. Enquanto Nin permanecer dentro do cemitério ele está a salvo de quem tentou aniquilar sua família.

– Por quê? – perguntou ele.– Não é salutar para um corpo vivo – disse a sra. Owens. – É fundo naquela lonjura. É praticamente um pântano. Vai tragá-lo até você morrer.

Nin cresce tendo aulas com diversas “personalidades” fantasmagóricas que habitam o cemitério e apesar de sempre se sentir acolhido e amado há sempre a curiosidade do que existe além dos muros do cemitério, além de suas aulas de escrita e leitura, ele tem aulas de sumiço, viagens pelos sonhos, aulas de como atravessar paredes de como assombrar e suas aventuras vão desde fazer amizade com uma garotinha também viva que passa as tardes brincando no cemitério (que acaba se tornando um lugar preservado historicamente), por longas conversas com uma bruxa que foi morta por afogamento e depois queimada para testar se havia a chance dela ressuscitar (A bruxa Liza Hempstock faz um crossover com outra história do Gaiman, um serviço aos fãs mais atentos, pois talvez o sobrenome da bruxa os digam algo).

Junto com as descobertas e aventuras de Nin vamos conhecer mais sobre os sabujos de Deus, guardiões de túmulos Egípcios e todo um mundo complexo de dos Ghouls, os comedores de carne podre, até relembrar das nossas aventuras que um dia passamos na escola, afinal Nin é super persistente e até convence Silas a mandá-lo para uma temporada na escola do vivos.




Nin disse: quero ver a vida. Quero segurá-la em minhas mãos. Quero deixar uma pegada na areia de uma ilha deserta. Quero jogar futebol com as pessoas. Eu quero – disse ele, e depois parou e pensou. – Eu quero tudo.

Mais do que uma aventura supernatural que te prende do início ao fim, por querermos saber porque os “Jacks” queriam matar a família de Nin, quem verdadeiramente é o Silas e como o próprio Nin iria crescer e descobrir a verdade sobre a sua família, Gaiman cria uma história sobre amadurecimento, sobre famílias e laços que se criam mesmo quando você não compartilha o mesmo sangue.



O próprio Neil Gaiman afirmou que a inspiração para criar o Livro do cemitério foi o livro : “O livro da Selva” que originou o filme da Disney “Mogli o menino lobo”, claro que no ambiente de um cemitério a história fica mais sombria. 

A edição da editora Rocco traz as ilustrações da mesma edição americana, o ilustrador Dave McKean tem um traço bem sombrio que dá o tom perfeito as aventuras, as ilustrações estão diluídas ao longo do livro e são todas em preto e branco, algumas pegando páginas duplas, outras ilustrando uma cena ou personagem e apesar do enredo estar sempre muito próximo da morte, a temática é tratada com muita leveza, como apenas uma passagem natural do tempo.

Mesmo eu sendo suspeita para falar de Neil Gaiman, esse é um livro que indico sem medo para qualquer idade, está na minha prateleira de favoritos e é um livro que sempre releio, a cada releitura a história me pega de uma maneira que a anterior ainda não tinha feito.

Compartilhe!

14 comentários :

  1. Oi, Karina.

    Bom, para o garoto não deve ter sido estranho ser criados por fantasmas, com certeza ele se acostumou com a presença deles, criou confiança pela proteção ao longo dos anos... Mas, chega a ser assustador!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dai é um assustador tão gostosinho que dá pra ler num dia ! Bjos

      Excluir
  2. Olá Karina!
    Adorei conhecer mais um livro da autora, tenho mta vontade de ler obras dela e espero um dia conseguir...
    O enredo parece ser bom, gosto de história assustadoras e espero curtir a leitura...
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é mto versatil mesmo , não tenha duvida sempre vai ter um livro ou um quadrinho pra se apaixonar . Bjos

      Excluir
  3. Oi Karina,
    É engraçado como mesmo sabendo que o garoto foi criado por fantasmas, esse não parece ser o foco da história, e sim descobrir mais sobre os pais deles!
    A ambientação toda é sim meio macabra, e mesmo não tendo a oportunidade de ler nenhum livro do autor sei que isso é uma característica dele e gosto bastante!
    A edição parece linda...
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vi é uma mistura dos mundos que preenche o livro ...as partes dos fantasmas é sensacional e mistura bem com o que aconteceu com os pais dele. Pra vc que nunca leu nada do Gaiman anota ai esse pode ser um maravilhoso primeiro contato . Bjos

      Excluir
  4. Oi Karina,
    Surpresa com essa história , mas vinda de Neil Gaiman eu tenho certeza que vou gostar, conheço ele desde Sandman, li Deuses Americanos e claro os filmes baseados em suas obras.Esse livro de terror e fantasia deve mesmo ser incrível,a vida desse menino no cemitério com esses personagens bizarros e ao mesmo tempo tão amorosos, ajudando Nin. Apesar do terror eu gosto dessa característica desse autor,a fantasia nas situações mais assombrosas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. È bem essa vibe mesmo Mari, meu sonho de consumo são as novas ed de Sandamn <3 Acho que não tem nenhum livro dele que eu não tenha gostado ! Bjos.

      Excluir
  5. Adoro historias sobrenaturais ainda mais com mistério em relação ao que aconteceu a família do personagem. Achei bem diferente um bebê ser criado em um cemitério com fantasmas, parece ser uma leitura gostosa e que envolve o leitor em busca de respostas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria é uma deliciiiia ..dá pra ler num dia , quando tu ler volte aqui pra nos dizer o que vc achou ! Bjos.

      Excluir
  6. Karina!
    Maravilha ver um livro do Gaiman em quadrinhos, fica bem melhor de visualisar todo enredo, é?
    E se começa de forma tão sombria e tem traços bem delineados, já anotei por aqui para ler.
    Bom final de semana!
    “Os piores estranhos são aqueles que vivem na mesma casa e fingem que se conhecem. Conversam banalidades, mas nunca o essencial.” (Augusto Cury)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA ABRIL – ANIVERSÁRIO DO BLOG: 5 livros + vários kits, 7 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rudy essa edição que eu li não é em quadrinhos não , é romance mesmo ...mas já fiquei sabendo que a Rocco já lançou uma versão em quadrinhos que ue estou DOIDA de vontade de ler !!! Bjos

      Excluir
  7. Oi Karina!
    Adoro o autor e sempre acho muito boa a construção dos personagens. Esse toque sobrenatural dos livros dele é o que dá um tchan a mais. Adorei a história e futuramente quem sabe eu não leio.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cada livro dele que leio me surpreendo , se vc ja gosta do Gaiman ,leia sim vc vai amar !!!

      Excluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei