02 março 2018

[Resenha] Todo Dia- David Levithan




Neste novo romance, David Levithan leva a criatividade a outro patamar. Seu protagonista, A, acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo, mesmo que só por um dia. Depois de 16 anos vivendo assim, A já aprendeu a seguir as próprias regras: nunca interferir, nem se envolver. Até que uma manhã acorda no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon. A partir desse momento, todas as suas prioridades mudam, e, conforme se envolvem mais, lutando para se reencontrarem a cada 24 horas, A e Rhiannon precisam questionar tudo em nome do amor.



Livro: Todo Dia || Autor:  David Levithan

Editora: Galera Record Classificação: 5 estrelas || Resenhista: Karina

Ano: 2014 || Gênero:  YA, Drama, Ficção,


Aparentemente, metade do globo terrestre já leu esse livro, mas para a metade que não leu e em função da estréia do filme (sim, esse livro foi adaptado para o cinema) esse livro precisava vir aqui para o blog, essa é a resenha de um dos meus livros favoritos da vida, portanto, talvez eu não seja tão parcial.

A é o protagonista que vamos acompanhar nessa história, como não há uma definição para o que é o A, vou tomar a liberdade de denomina-lo com o artigo “O” e dizer que A é uma espécie “alma/consciência/essência ” que habita corpos diferentes todos os dias, em um dia é uma garota, no outro, um garoto; um dia negro, no outro branco; o mecanismo ou o porquê isso acontece não é o foco desse plot, nem eu, nem você, nem o A entende essa situação.

 Não sei como isso funciona, nem o porquê. Parei de tentar entender há muito tempo. Nunca vou compreender, não mais do que qualquer pessoa normal entenderá a própria existência. Depois de algum tempo é preciso aceitar o fato de que você simplesmente existe .
Com um personagem nada comum, acompanhamos dos dias do(a) A, onde A tenta interferir o mínimo possível na vida do corpo que está habitando no momento, até que ele acorda no corpo do Justin que tem uma namorada chamada Rhiannon e é aí que acontece um click que A não esperava, apesar de ir contra as próprias regras que A criou para si mesmo, ele passa um dia sendo um Justin completamente diferente do que a Rhiannon estava acostumada.
Quando você experimenta algo grandioso, o momento persiste em toda a parte para a qual você olha, e quer ocupar todas as palavras que você diz.
Uma vez apaixonado pela Rhiannon, ele vai encontrá-la, mesmo em todos os outros corpos que habita depois do Justin. Quando você nem mesmo tem um corpo como é que você pode esperar que uma pessoa se apaixone por você? Essa é a batalha que A vai enfrentar.
Eu sempre fico impressionado com pessoas que sabem que algo está errado  mas ainda insistem em ignorar, como se isso, de alguma forma, fizesse com que os problemas desaparecessem. Elas se poupam do confronto, mas terminam ressentidas de qualquer maneira.
No decorrer da história, acompanhamos essa busca pelo amor, pela aceitação, ao mesmo tempo que em paralelo, conhecemos as histórias dos outros corpos que o A tem habitado, e os dilemas ao qual cada um está enfrentando. 

Na minha experiência, desejo é desejo, amor é amor. Nunca me apaixonei por um gênero. Apaixonei-me por indivíduos. Sei que é difícil as pessoas fazerem isso, mas não entendo por que é tão complicado quando é tão óbvio.
Mesmo com um final completamente em aberto e sem explicar qual o mecanismo que faz possível a existência do A, o livro traz uma mensagem através de personagens simples e situações pra lá de complexas e sem dúvida, abre portas para debatermos como um relacionamento abusivo pode influenciar na vida de adolescentes, o como reproduzimos comportamentos sem pensar fora da caixinha e mais do que isso, o quanto é importante sair da zona de conforto em alguns momentos para viver o que costumamos acreditar que seja extraordinário. 

Todo Dia é uma mistura perfeita de drama, humor e existencialismo. Mais do que um romance, esse plot me fez repensar o que somos ou como somos definidos, seja por gênero ou crença.

O filme estreou nos USA dia 23 de fevereiro de 2018, infelizmente, no Brasil ainda não temos uma data divulgada, confira o trailer:



Compartilhe!

18 comentários :

  1. Oi Karina!
    É a segunda resenha que leio desse livro e que me deixou ainda mais com vontade de ler e agora sabendo do filme preciso ler urgente antes que chegue aqui no Brasil e a curiosidade fle mais alto...
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sem medo ! Esse livro é maravilhoso e ainda lhe deixa super pensativa !

      Excluir
  2. Oi, Karina.

    A impressão que eu tive do livro, é que ele é muito doido, por o personagem poder trocar de corpo...

    Acho isso tão injusto, sabe? Trocar de corpo e enganar as pessoas... Tive uma experiência semelhante com um livro que eu li, e eu não gostei nem um pouco.

    Ao mesmo tempo, acho que iria querer entender os sentimentos dele. Afinal, não é uma escolha dele. Acredito que ele não tem o controle sobre tudo...

    Mas, tudo mudou quando ele conheceu a Rhiannon, né? O amor é que estava em jogo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem doido mesmo , mas dá pra acompanhar cem problema nenhum, ( é uma narrativa diferente de qualquer coisa que li)...Não acho que ele engane as pessoas , como ele não tem muito controle sobre mudar ou não de corpo ele tentar viver sem atrapalhar muito a vida da pessoa que ele ta habitando naquele dia , até que ele não consegue se afastar da Rhiannnon ... dá uma chance pra esse ,pq essa hsitoria é mto incrivel !

      Excluir
  3. Oi Karina.
    Já li Todo Dia e também é um dos meus favoritos.
    Ele é tão bem escrito e passa uma mensagem tão importante de aceitação, além de questionar se a forma usual como nos definimos (por gênero) é a mais correta.
    Não sei se vou ver a adaptação aos cinemas, pois tenho medo de não gostar e ficar chateada por não ter feito jus ao livro.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Pam eu vi o trailer e fiquei morrendo de vontade de ver, mas tbm com o pé meio atrás rrsrs Agora eu quero ler o Outro dia , vc já leu ?

      Excluir
  4. Karina!
    É a primeira resenha desse livro que diz não ter gostado e até entendo seu ponto de vista, afinal, temos de entender o por quê tudo acontece... e com final bem aberto, é complicado mesmo, ainda assim, estou com a maior curiosidade em poder ler um enredo tão diferenciado. Fico imaginando como é ter de acordar a cada dia em um corpo diferente...
    Quero assistir o filme.
    Desejo um mês mais que abençoado, carregadinho de luz e paz e um final de semana esplendoroso!
    “Acredite, existem pessoas que não procuram beleza, mas sim coração.” (Cazuza)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA MARÇO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu amei RUDI, apesar do final aberto esse é um dos meus livros favoritos da vida ! Bjão, e uma semana cheia de luz pra ti tbm.

      Excluir
  5. Eu li o livro e gostei, só não gostei desse final. Achei diferente e me deixou muito pensativa sobre o assunto e me coloquei no lugar dele chamava A de ele e no dela é difícil imaginar beijar uma pessoa que cada dia estava em um corpo diferente, um rosto diferente e cheguei a conclusão que não sei como eu reagiria. Tinha muita dó dele pois não tinha culpa e nem sabia como parar isso, é uma historia que comove e faz torcer pelos personagens para que consigam resolver a situação.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que a proposta do final aberto é realmente deixar a gente pensando como é que a situação poderia continuar acontecendo ...é bem complexo mesmo...até hoje eu não tenho a minima ideia do que eu faria se fosse o A e tbm n saberia o que fazer se fosse a Rhiannon

      Excluir
  6. Olá, o trailer está simplesmente maravilhoso e fiquei morrendo de vontade de ler o livro. A obra me remete o um pouco A Hospedeira, só que aqui A habita vários corpos. A mensagem deixada é realmente interessante e remete questões comuns a todos nós. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, imagina que louco vc nao controlar quem vc sera amanha ? Isso buga meu cerebro até hoje, quero mto que esse filme esteja logo disponivel na google play ( pq infelizmente) acho que não vai estrear nos cinemas por aqui

      Excluir
  7. Nossa esse livro é antiguinho, mas nunca li, a capa nunca me chamou atenção e nem a história, mas agora vai virar filme e provavelmente irei assistir, então preciso ler o livro.
    Não sei bem o que pensar de A ou O mas parece ter uma "vida" bem complicada. Na verdade achei a história bem confusa acho que preciso ler para entender melhor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É antigo mesmo , de 2013 !! Quando vc le 2 paginas já desfaz a confusão , mas sim avida do A é bem complicada !

      Excluir

  8. Olá! Ainda nãoi li esse livro, achei o enredo bem diferente e interessante, acho que deve ser bem complicado para A tentar entender que todo dia ele terá um corpo diferente, e como deve ter sido para ele conhecer e se conectar com a Rhiannon, mesmo sabendo que ele estaria com outra aparência na próxima vez em que se encontrassem, realmente tudo muito complexo, com certeza vou querer ler.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, colocar se na pele do A é inevitavel , vc vai ver , quando vc terminar volta aqui e conta pra gente oque vc achou ! bjão

      Excluir
  9. É impossível você não se sentir no lugar do protagonista e eu concordo com você que apesar do final do livro ser aberto a história é simplesmente maravilhosa e pelo que eu vi saiu uma continuação desse livro

    ResponderExcluir
  10. Aparentemente,faço parte do globo terrestre que não leu o livro...rsrs. Bem mais vou querê-lo de presente de Natal!
    Fico contente em saber que ganhou uma adaptação no cinema e espero que ela faça juz ao livro,que confesso já tô desejando aqui na minha estante.
    Achei bem inovadora a temática do livro e espero que A ou O consiga concretizar seu amor por Rhiannon. Acredito que de forma leve e descontraída o autor passou uma mensagem de aceitação sobre o que somos e pararmos de rotular as outras pessoas Seja por suas crenças,religião ou cor de pele.
    E de algum modo nos faz refletir sobre sobre a possibilidade de amarmos o que é diferente pelo o que ele é por dentro e não por fora. BEM E COM ESSA DEIXA,JÁ POSSO DIZER QUE ME APAIXONEI PELA TRAMA DE" TODO DIA".

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei