10 março 2018

[Resenha] Bem atrás de você - Quincy & Rainie #7



Após uma tragédia que o separou por oito anos de sua irmã mais nova, Sharlah, o jovem Telly ressurge como o principal suspeito de uma onda de assassinatos.Só uma pessoa é capaz de desenhar o perfil do criminoso: o hábil ex-agente do FBI Pierce Quincy, que é convocado para colaborar no caso. Mas seu envolvimento como pai adotivo de Sharlah pode obscurecer sua linha de raciocínio ou levá-lo para um emaranhado de pistas desconexas, mostrando que o caso pode ir muito além do que parece ser.





Livro: Bem atrás de você || Autor: Lisa Gardner|| Série:  Quincy & Rainie #7 
Editora: Gutenberg||Ano: 2018 || Gênero:  Suspense, triller
 Classificação: estrelas || Resenhista: Amanda


Participe do Top Comentarista de Março

"Quem eu sou? Quem eu sou? Quem eu sou?Vilão ou herói?"

A infância de Telly e Sharlah foi marcada por constante abuso físico por parte do pai e um descaso indiferente da mãe. Ambos estavam sempre sob a influência de drogas e álcool e as crianças acabavam sofrendo as consequências. Até o dia em que seu pai acaba assassinando a mãe deles. Nesse dia, Telly é forçado a encarar uma escolha terrível: matar ou morrer. Para defender sua irmãzinha, Telly acaba tendo que matar o próprio pai.

“Quincy se aposentado do FBI e Rainie se aposentou da polícia. Agora eles trabalham juntos, prestando consultoria em casos arquivados ou assassinatos estranhos fora da ‘alçada’ regular do departamento de polícia. Basicamente eles são especialistas em monstros.
Será que foi por isso que acabaram ficando comigo?”

Separados pelo estado, ambos vivem uma vida difícil. Até que, tendo se passado oito anos desde aquela noite fatídica, Sharlah acaba sendo adotada por dois ex policiais. Quincy, é um ex especialista em perfis criminosos do FBI e ainda dá consultorias sobre casos mais complexos que envolvem psicopatias e outros distúrbios, assim como Rainie que também é uma ex policial que auxilia Quincy, nesses casos mais complexos, a fazer os perfis e tentar prever os próximos passos dos criminosos.

”Não acho que é culpa do trauma. Acho que sou assim mesmo. Sou um pouco errada por dentro. Existem razões, é claro, mas tendo passado os últimos treze anos sendo eu, não estou tão convencida quanto os terapeutas de que os motivos realmente importam. Se a alça da sua caneca se rompe, você pergunta por que quebrou? Ou você só cola de volta? (...) Somos todos um pouco quebrados, mas estamos todos trabalhando para tentar nos consertar."

Enquanto isso Telly é acolhido pela família Duval. O casal escolhe Telly justamente por seu passado problemático e personalidade difícil. O garoto tem problemas para controlar a raiva e seu temperamento explosivo podem acarretar numa conduta violenta e agressiva. Mas o casal acredita que ele é alguém que vale a pena salvar, afinal alguém que com apenas cinco anos de idade mata o próprio pai para salvar a irmã não pode ser tão intratável. Então, eles se esforçam para ajudar o garoto de dezessete anos a vislumbrar um futuro e acreditar que pode ser alguém normal, apesar das cicatrizes.

"E quantos episódios de 'não ser você mesmo' você pode ter até as pessoas perceberem que esse é quem você realmente é?"

Mas em uma manhã, Telly acaba como o principal suspeito de assassinar duas pessoas em um posto de gasolina. Conforme a investigação avança, são descobertos também os corpos do casal Duval, que foram assassinados antes mesmo de conseguirem se levantar da cama pela manhã. Quincy é convocado para ajudar a traçar o perfil do assassino enquanto mais pistas são descobertas e a personalidade explosiva e agressiva de Telly vai sendo revelada. Conforme mais tempo passa, mais surpresas e segredos vão sendo desvendados, mas Quincy e Rainie têm que correr contra o tempo, pois tudo indica que Telly não vai parar por aí… e Sharlah pode estar correndo perigo. 

“Vou perder algo. Ainda não sei o quê. Só sei que vai machucar.”

O livro é contado de forma muito inteligente. Temos uma narração intercalada: em terceira pessoa os flash back’s de Telly sobre o que aconteceu no tempo que passou na casa dos Duval e sobre os acontecimentos atuais com os outros personagens. E em primeira pessoa, a visão de Sharlah sobre o que está acontecendo agora, seus sentimentos e conflitos internos.

Além de ser surpreendentemente bem escrito e desenvolvido, Lisa nos mostra uma variedade de definições que eu mesma não conhecia, apesar de gostar de ler terror e suspense, tais como: o TAR que é o transtorno do apego reativo - onde o indivíduo tem dificuldade em formar vínculos com outras pessoas, tendem ao isolamento e a introspecção de uma forma pouco saudável e o TEI que é o transtorno explosivo intermitente - onde a pessoa tende a explodir realmente, a qualquer coisa que acione um gatilho no temperamento dela, mesmo que para as demais pessoas pareça algo banal, para a pessoa que sofre de TEI é a causa de descontrole emocional, que culmina em episódios de violência e agressividade.

Em resumo, somos capazes de ficarmos vidrados na história e ainda aprender com ela. Precisam de mais algum motivo para se tornarem fãs da Lisa, como eu?! 

Quem estranhou ser o sétimo livro dá série, não se preocupe, pois é uma série de suspense policial, onde cada livro é um caso.

Compartilhe!

14 comentários :

  1. Oi, Nanda.

    Eu acho que esse possível envolvimento do irmão da Sharlah com esses assassinatos, poderia ter alguma relação, visto que os motivos poderiam ser o mesmo, tendo relação com seu possível primeiro assassinato. Ou, a própria Sharlah, por ter um trauma do passado, assim como seu irmão... Mesmo sendo muito óbvio.

    Gosto quando o detetive está à frente dos casos, quando vai nos dando pistas e dicas, mas detesto lembranças do passado!

    Mesmo uma série sendo independente, com casos diferentes, gosto de ler na ordem...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendi... bem, espero que lancem os outros de qualquer forma :))

      Excluir
  2. Oi Nanda,
    Telly parece ser o suspeito mais provável desses assassinatos, mas espero que não seja ele. Espero que seja alguém que ninguém suspeita, para que a revelação seja algo surpreendente.
    É bom saber que apesar desse livro ser o sétimo da série, isso não dificulta o entendimento, pois as histórias são independentes.
    Fiquei com bastante vontade de ler esse livro. Parece um bom suspense policial.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que você vai gostar, hein? Leia sim, é muito bem construído *-*

      Excluir
  3. Nanda!
    Gosto muito dos livros da autora e ainda não li esse.
    Gostei de saber que a narrativa é feita em terceira pesoa, intercalando com flash backs, adoro esse recurso porque podemos ir entendendo o que aconteceu no passado, enquanto a história se desenrola no presente.
    E bom que podemos conhecer vários distúrbios. Confeso que mesmo sendo psicóloga, ainda não os conhecia e gostaria de entender um pouco mais sobre eles.
    Bom final de semana!
    “Os lírios não bastam. As leis não nascem das flores. Meu nome é luta, e escreve-se na história.” (Luciana Maria Tico-tico)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA MARÇO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahh que bom, espero que você goste do livro <3

      Excluir
  4. Olá Nanda!
    Ainda não conheço livros da autora, mas pelo qeu venho acompanhado desde os leitores etão curtindo o enredo, eu qro mto conhecer e espero que seja em breve, pois cada vez que leio sobre ele me interesso mais...
    Capa me chamou bastante atenção tbm.
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ficou linda essa capa, ne?! Eu também não conhecia, mas adorei a escrita dela <3

      Excluir
  5. Tenho muita vontade de ler os livros da autora são bem comentados. A leitura deve ser comovente fiquei com dó do Telly pois tão novo e ter que tomar uma atitude assim assassinar o pai mesmo que ele não preste isso deixa sequelas na pessoa. Bem misterioso o personagem, mas me pergunto se foi ele o culpado dos assassinatos, fiquei curiosa para saber.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, a gente fica na dúvida mesmo. Tenho certeza que você vai gostar *-*
      Bjs!

      Excluir
  6. Li varias resenhas positivas sobre esse livro, quero muito ler mas sou bem metódica e não consigo ler esse tem ter lido os outros primeiros.
    É muito bom também saber que um livro de investigação é tão bem escrito por uma mulher, pois esse gênero encontramos mais homens.
    Achei a histórias dos irmãos bem triste mas com certeza tem mais coisa escondida por traz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa que pena, Samantha. Tbm me deu um certo nervoso no começo, mas depois eu até esqueci de tão bem que leitura fluiu :D

      Excluir
  7. Nossa,fico feliz em saber de livros de suspense policiais tão bem escritos e desenvolvidos. Em especial este,tão bem recebido e de quebra escrito por uma mulher . Como eu meio que tenho uma quedinha por tudo que envolva ou que mexa com o psicológico, sou suspeita em falar que tramas que abordem esse tipo de assunto.
    Pelo que me pareceu Bem Atrás de Você se encaixa nesse quesito e parece trazer Boas surpresas. Além de mostrar alguns outros distúrbios psicológicos e de comportamento.
    Enfim,é exatamente aquele tipo de leitura que agrega algum tipo de conhecimento em sua vida. Nem que isso signifique distinguir entre TAR e TEI.
    Quanto aos personagens achei que Telly tem uma motivação pra apresentar o comportamento que tem e que talvez o verdadeiro assassino esteja querendo jogar a culpa das mortes nele.E que talvez esse assassino tenha a ver com o passado dos irmãos...Será?

    ResponderExcluir
  8. Você falou também do livro que com certeza eu vou ler mas eu não sabia que esse era o sétimo volume de uma série Ainda bem que é independente

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei