20 fevereiro 2018

[Resenha]O Jogo do Amor e Ódio - Sally Thorne

Sally Thorne surge na cena literária apresentando um ambiente de trabalho hilário e sensual em uma comédia sobre aquela conhecida linhazinha tênue entre o amor e o ódio. Lucy Hutton e Joshua Templeman se odeiam. Não é desgostar. Não é tolerar. É odiar. E eles não têm nenhum problema em demonstrar esses sentimentos em uma série de manobras ritualísticas passivo-agressivas enquanto permanecem sentados um diante do outro, trabalhando como assistentes executivos de uma editora. Lucy não consegue entender a abordagem apática, rígida e meticulosa que Joshua adota ao realizar seu trabalho. Ele, por sua vez, vive desorientado com as roupas coloridas de Lucy, suas excentricidades e seu jeitinho Poliana de levar a vida. Diante da possibilidade de uma promoção, os dois travam uma guerra de egos e Lucy não recua quando o jogo final pode lhe custar o trabalho de seus sonhos. Enquanto isso, a tensão entre o casal segue fervendo, e agora a moça se dá conta de que talvez não sinta ódio por Joshua. E talvez ele também não sinta ódio por Lucy. Ou talvez esse seja só mais um jogo.


Livro: O Jogo do Amor e Ódio || Autor: Sally Thorne || Editora: Universo
Classificação: 5 estrelas || Resenhista: Lud
Ano: 2017 || Gênero: Chicklit | Romance


Estou amanda minha leituras desse ano, conhecendo novos autores que estão me chocando com a suas escritas maravilhosas e, claro, já adicionando todos na minha lista de puro amor. 


Devo dizer que o motivo maior de todos os nossos joguinhos é fazer o outro sorrir. Ou chorar. Algo assim. E eu sei quando saio vitoriosa.

Lucy Hutton é  assistente executiva de Helene Pascal, dona da Gamin Publishing, uma editora que estava em colapso e teve como única solução: se fundir com a Bexley Books, que também estava em decadência. E ambos se uniram para evitar a ruína financeira, os tonando a Bexley & Gamin. 


E é aí que Lucy conhece  Josh Templeman, assistente executivo do Sr. Bexley. No primeiro dia, Lucy estava decidida a ser simpática e fazer amizade, mas a primeira impressão deixada por Josh selou o destino de ambos em um jogo entre eles. 

Todos os dias ambos travam discussões, pressionam um ao outro e fazem uma variação de jogos, como: o Jogo do Espelho; o Jogo dos Recursos Humanos;  Jogo do Ódio; o Jogo do Ou Algo Assim. E todos tem o simples objetivo de intimidar o outo e fazê-lo perder. 

Mas tudo piora quando são informados que um deles poderá ser promovido a chefe do outro. Com isso, as coias ficam mais tensas, se possível, e eles acabam se beijando no elevador. O que muda completamente a dinâmica entre eles, que tentam descobrir qual jogo jogar em seguida, o do amor ou do ódio.

Ele deixa a coluna ereta na cadeira, mas o canto de sua boca se repuxa. Eu queria poder usar os polegares para puxar sua boca em um sorriso enorme e perturbado. Enquanto a polícia me arrastasse algemada para fora da sala, eu gritaria: “Sorria, seu maldito!”


Tenho 28 anos e parece que caí pelas rachaduras do céu e do inferno e fui parar no purgatório. Uma sala de aula do jardim da infância. Um hospício.


O que falar da Sally, que acabei de conhecer, mas já considero pacas? 
Esse é o primeiro livro da autora, que traz o melhor do gênero Chick Lit. 


Essa história é o típico romance gato e rato. Os dois se odeiam desde o começo e trocam farpas entre si, e não perdem uma oportunidade de azucrinar um ao outro, mas conforme o tempo vai  passando, eles vão desenvolvendo uma trégua, que passa para amizade e depois romance. 

Parece clichê, e sim, é. Mas como eu sempre falo, depende de como o autor desenvolve esse enredo. E Sally não te decepciona em nenhum momento, o relacionamento dos dois se desenvolve lentamente, é muito bem construído, e você sente a veracidade nos sentimentos do casal. Sem falar que a autora incluiu os elementos que são obrigatórios em um Chicklit que amamos ler, principalmente o toque de humor, daquele tipo que chega a ser bobo ou até ridículo, às vezes. Mas durante o livro todo, eu estava com um sorriso nos lábios e meu coração transbordava felicidade.

Lucy é maravilhosa, gostei mais da narração dela do que da de Josh. Ela é simplesmente radiante, não tem como descrever de outra forma: ela é doce, gentil, engraçada. Enquanto Josh é arrogante, irritante e cruel às vezes, mas ele te pega. Não sei como, mas no decorrer do livro, você se pega o adorando. E o jogo entre eles é fantástico, as respostas são espirituosas e divertidas, a maneira como cada um conseguia pressionar os limites um do outro, era mais do que bem escrita. Não posso deixar de citar a tensão sexual que se vai construindo entre e eles, as provocações com um tom sexy. Tãooooo <3

Acho que deu para perceber que eu realmente gostei do livro, não? 

O Jogo do Amor e Ódio é uma história divertida, entre duas pessoas que são inimigas e passam a se apaixonar em meio a situações inusitadas. É adorável, envolvente e te arrancará altas risadas. 

Digito a minha senha: EUOD3IOJ0SHUA. Minhas senhas anteriores foram todas variações do quanto eu o odeio. Para sempre.A senha dele deve ser “EuOd3ioLucindaParaSempre”.  

Compartilhe!

17 comentários :

  1. Oi Lud!
    Não dá para negar que a história é clichê, mais deve ser uma delícia acompanhar esse casal que vive que nem gato e rato, uma comédia romântica perfeita.
    Pelo visto o livro tem várias cenas hots, e eu já tô doida pra saber como vai acabar a questão da empresa, e torcendo pelo casal, rsrs. O enredo lembra um pouco 50 tons.... Bom saber que a autora trabalhou de forma maravilhosa nessa história.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Vitória, tudo bom?

      Tem algumas cenas de sexo, mas não é cheia não, porque o livro não foca nisso, e não achei que lembre 50 tons não.

      Bjos

      Excluir
  2. Primeira resenha que leio desse livro e ele parece ser bem promissor, eu amo histórias em que os protagonistas ficam nesses joguinhos de "gato e rato", sempre rendem boas cenas e pela resenha deu pra perceber que vale a pena investir nessa história. Dica anotada Lud, espero poder ler mais a frente também ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Lili,

      eu espero que você leia sim, porque acho que vai gostar!
      BJoks

      Excluir
  3. Olá Lud!
    Tô doida pra conhecer esse livro, o enredo m,e prendeu desde que li uma resenha dle, agora passei acompanhar mais sobre ele e espero mto conseguir uma oportunidade pra ler, está demais!

    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oie Aline,

      espero que consiga ler e que ele te arranque boas risadas!

      Bjoks

      Excluir
  4. Apesar de não ler com muita frequência livros desse gênero, ainda sim adoro um romance clichê divertido, e muito bem construído como esse. Que nos cativa desde as primeiras páginas, mesmo que no começo o casal se odeie, com o passar do tempo acabam se tornando amigos, e se relacionam amorosamente. Enfim, uma leitura mais que agradável, por tento irei incluir na lista de desejados.

    Venha participar do Top Comentarista e concorra o livro "O Maravilhoso Bistrô Francês": http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Lana,

      eu também não leio muito esse gênero, eu tenho umas 2 ou 3 autoras que leio, mas nenhuma é parecida com a escrita da Sally. Eu achei muito boa! E espero os próximos lançamentos dela!

      Bjos

      Excluir
  5. Ludmila!
    Essa competição profissional só poderia dar em atração, não é mesmo?
    Amo romances assim que aparentemente seriam improváveis de acontecer e de repente...explodem de amor!
    Fiquei bem interessada em fazer a leitura.
    “Acredite que você pode, assim você já está no meio do caminho.” (Theodore Roosevelt)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA FEVEREIRO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Rudynalva.

      O livro é ótimo.. ele vem construindo a atração aos poucos e realmente, explode.
      Eu adorei, recomendo!

      Excluir
  6. Olá, não me importo de ler obras clichês, desde que sejam bem construídas e cativantes, e aqui temos exatamente esse tipo de livro, com personagens bem caracterizados e que prendem com os diálogos acidamente deliciosos. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente Alison, não acho que clichê seja uma desculpa para não se gostar do livro ou ele não ser bom! tudo depende de como o autor desenvolve!

      =)

      Excluir
  7. Adorei!! Já me decepcionei muito com chick-lit mas também já tive boas surpresas. Achei muito legal essa dinâmica dos dois e os diálogos parecem ser muito engraçados, já sorri só com um trechinho. Já está na minha lista! Obrigada pela dica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oiee Julia,

      adicione mesmo na sua lista, é muito bom o livro!
      Espero que goste!

      Excluir
  8. Parece ser uma historia hilária fiquei curiosa para ler, a personagem deve ser encantadora. Essa disputa pelo cargo de chefe deve gerar uma disputa entre os dois, acompanhar o romance entre eles é algo gostoso, pois vai surgindo aos poucos e tudo parece que foi muito bem trabalhado.

    ResponderExcluir
  9. Eu achei pela capa do livro que seria algo relacionado a um tipo de autoajuda ou um livro de empreendedorismo mas eu até que gostei da sinopse do livro Apesar dela ser bem clichê mas eu gosto desses romances que surgem entre pessoas que se odeiam Então acho que eu vou dar uma chance

    ResponderExcluir
  10. Eu simplesmente adorei esse livro. A tensão entre os dois foi realmente viciante, e apesar do livro não ter cenas sexuais, é muito sensual. Além de ser super divertido também. Com certeza vale a pena a leitura.

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei