13 fevereiro 2018

[Resenha] O Problema do para sempre - Jennifer L. Armentrout



Mallory viveu muito tempo em silêncio. Mas o destino lhe reserva um novo desafio. E ela percebe que está na hora de encontrar a própria voz
Já na infância, Mallory Dodge percebeu que só poderia sobreviver se ficasse calada. Teve que aprender a ficar o mais quieta possível. Aprendeu a passar despercebida. A se esconder. Mas agora, após ter sido adotada por pais amorosos e dedicados, ela precisa enfrentar um novo desafio: sobreviver ao último ano do Ensino Médio numa escola de verdade. O que Mallory não imaginava é que logo no primeiro dia de aula daria de cara com um velho amigo que não via desde criança, quando viviam juntos no abrigo. E começa a notar que não é a única que guarda cicatrizes do passado, além de uma paixão adormecida e inevitável.



Livro: O Problema do para sempre  || Autor : Jennifer L. Armentrout
Editora:  Galera Records || Ano:  2017 ||  Gênero: Romance, Young Adult
Classificação: 4 estrelas || Resenhista:  Amanda

Skoob | Editora | Compre


Participe do Top Comentarista de Fevereiro
"Não faça barulho"

Três palavras simples, mas que para Mallory significavam muito. Durante anos, ela ficou em silêncio ou o mais silenciosa possível para evitar as surras do pai adotivo e a única coisa entre ela e a violência a que lhe era dirigida era Rider.

Mallory e Rider cresceram juntos no inferno, sobreviveram durante anos, suportando a fome e o desespero, mas uma noite muda tudo e Mallory é levada para longe. Ela acaba sendo adotada e salva por um casal de médicos que lhe mostram que a vida pode ser muito diferente do que ela estava acostumada.
"Palavras nunca foram o problema. Eu as tinha, sempre tive, mas arrancá-las de mim e lhes dar voz sempre fora complicado."

Quatros anos se passam sem nenhuma notícia um do outro e pouco a pouco, Mallory vai enterrando as lembranças e deixando o passado para trás. Anos de terapia lhe ensinaram a trabalhar com sua voz e prepará-la para interagir novamente com outras pessoas. Ela sabe que não há nada fisicamente errado com ela e que a dificuldade em falar é por causa dos anos de abuso físico e do estresse pós-traumático resultante. Mas saber, não faz com que as coisas sejam mais fáceis de se superar. 

Quando Mallory é matriculada no colégio, ela não tem certeza se é capaz de passar por isso, mas ela quer desesperadamente tentar ser uma adolescente normal e se continuasse tendo aulas em casa isso nunca iria acontecer. Mallory agora pode se dar ao luxo de pensar em um futuro, mas para isso, precisará superar suas inseguranças e seus medos... e o primeiro passo é enfrentar o ensino médio.
Como se isso não fosse duro o bastante, a última aula é de oratória, ela teria que fazer discursos em público. Mas como poderia quando até falar com uma única pessoa estranha era tão difícil?
 "A vida era como fazer esse discurso. Não era necessariamente sobre o resultado final, e mais sobre a tentativa.
Eu podia... Eu podia ao menos tentar."
Mas o primeiro dia de Mallory no ensino médio lhe traz mais uma surpresa: Rider está sentado bem ao seu lado. Depois de tanto tempo, os dois finalmente tem a oportunidade de se reverem e saber que rumo tomaram depois daquela última noite terrível que ficou marcada na memória de ambos. 

Conforme os dois voltam a se conhecer e se aproximar, a antiga ligação volta com força e ambos são atraídos um para o outro e a namorada de Rider não está nada feliz com isso, assim como os pais adotivos de Mallory. Tudo agora está diferente na vida de ambos, mas será que por dentro eles estavam assim tão diferentes daquelas crianças maltratadas? Será que é realmente possível para eles seguirem em frente e planejarem um futuro? 

"Aqui, mas meio ausente. Existindo, mas não vivendo. Eu conhecia o sentimento. Eu o experimentara durante muitos anos. Alguns dias parecia que eu ainda estava usando esse sentimento como uma jaqueta pesada e apertada."

A dificuldade de Mallory de interagir e falar com outros adolescentes é nítida e tocante, assim como a necessidade dela de querer de verdade superar isso e ser uma pessoa diferente. A Jennifer captou a essência da dificuldade de Mallory em conseguir se aproximar de adolescentes "normais" e interagir, uma coisa que para todos parece tão simples, mas que para alguém como ela é tão incrivelmente complicado. Quando ela trocou dez palavras com a colega de classe, eu vibrei junto.

Os personagens secundários são ótimos, eu amei os irmãos adotivos do Rider - Hector e Jayden -, ambos engraçados e incrivelmente lindos. A Keira, também é ótima, foi a primeira a estender a mão na escola para Mallory e me ganhou de imediato por isso. A melhor amiga dela, a Ainsley é muito fofa, mas a coisa pega fogo quando se junta com o Hector (shippo mesmo).

Apesar do tema forte, ele não é um livro pesado e para quem já leu qualquer coisa da Jen, eu nem preciso dizer nada, né?! Leiam!

Compartilhe!

14 comentários :

  1. Oi Amanda, eu acho que essa autora arrasa e sempre que vejo um de seus livros lançados por aqui fico feliz e cheia de vontade de ler, e assim fui ler esse com altas expectativas e curti bastante a forma mais tranquila que a autora usou pra abordar o tema, os traumas decorrentes da trágica infância de ambos foram tratados de forma bem sensível de modo que também me vi super envolvida e vibrando a cada vitória dela e dele, e por falar em Rider, não ter a visão dele foi a única coisa que senti falta :/ Sobre Hector e Ainsley shippo muito também haha, fui procurar mas acho que ela ainda não escreveu um livro pra eles (como assim Jennifer??! haha), mas tenho esperança que ela escreva ainda :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tomara que ela escreve um spin da Ainsley com o Hector, quero demais! Também senti falta da visão do Rider, ela podia ter colocado pelo menos uma cena extra pra dar um gostinho... mas ta bom! Oremos por um spin haha'

      Excluir
  2. Olá, é possível perceber que a autora focou bastante no desenvolvimento da protagonista, que marcada de forma tão intimista precisa redescobrir como se relacionar. Espero ler a obra em breve. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bem tocante mesmo... espero que goste do livro também <3

      Excluir
  3. Nanda já li uma resenha desse liro e achei o enredo mto bom, a forma que a autora desenvolve parece prender o leitor, eu qro mto conseguir ler esse livro, achei um máximo!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Tenho vontade de ler esse livro, a historia parece ser muito tocante, gostei que a personagem encontrou o amigo, não sei porque a família não gostou, acho até que faria muito bem a ela alguém conhecido. Deve ser emocionante acompanhar a luta da personagem em seguir em frente e tentar falar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, como ela é muito traumatizada eu entendo que eles queiram que ela deixe o passado para trás e tudo que vem com ele, mas ao mesmo tempo acho que ela tem que saber o que faz bem pra ela também. Essa coisa de pais autoritários realmente me frustra ¬¬

      Excluir
  5. Oi Nanda!!
    Acho o tema tratado no livro de extrema importância, fiquei com medo da história ser mto agressiva, mas pelo visto a autora soube lidar com isso de forma clara e mais suave. Confesso que a princípio não me chamou atenção, mas pela sua resenha mudei totalmente de opinião. Jamais imaginaria que era da mesma autora da Saga Lux, parece uma escrita bem diferente.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, nesse o tema é mais sensível... Mas a qualidade da escrita é a mesma <3
      E realmente, apesar de ser algo que poderia ser bem pesado a autora soube como conciliar bem, sem ficar algo tão dramático. Que bom que a resenha te ajudou a ter uma visão melhor do livro, espero que goste também *-*

      Excluir
  6. Nunca li nada da autora, apesar de ter interesse em suas obras, porém quando soube desse lançamento fiquei louca para adquirir, pois adoro um bom drama adolescente com temas pesados, que são de certa maneira descrita de maneira real e envolvente. E pela sua descrição a autora descreve de maneira leve essa situação fazendo com que leitor sinta empatia pela personagem e vibre suas conquista. Outro ponto que me chamou a atenção foi os personagens secundários que me deixou ainda mais curiosa. Estou louca para ler o livro.

    Venha participar do Top Comentarista e concorra o livro "O Maravilhoso Bistrô Francês": http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Nanda!
    Essa questão do abuso psicológico e físico nas crianças é um caso sério mesmo.
    Fico feliz em ver que a autora soube abordar o tema de forma mais crível e mostrando que o amor de todas as formas, pode ajudar a melhorar os traumas que são deixados.
    Deve ser um livro doloroso, ao mesmo tempo, enriquecedor.
    Gostaria de ler.
    “Acredite que você pode, assim você já está no meio do caminho.” (Theodore Roosevelt)
    cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA FEVEREIRO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
    BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

    ResponderExcluir
  8. Nunca li nada da autora mas queria muito ler "Espero por você" mas acho que vou passar "O problema do para sempre" na frente, um tema muito forte e delicado, adoro personagens complexos que tem lidar com suas feridas. Obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
  9. Eu já li os três livros dessa autora mas acabei me decepcionando muito com as histórias e com desenvolver delas Então eu fico muito para trás em relação a se vou ler ou não outro livro da autora visto que com os livros dela e só tive experiências negativas

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei