17 janeiro 2018

[RESENHA] Um Beijo à Meia-Noite - Eloisa James

Kate Daltry é uma jovem de 23 anos que não costuma frequentar os salões da alta sociedade. Desde a
morte do pai, sete anos antes, ela se vê praticamente presa à propriedade da família, atendendo aos caprichos da madrasta, Mariana. Por isso, quando a detestável mulher a obriga a comparecer a um baile, Kate fica revoltada, mas acaba obedecendo. Lá, conhece o sedutor Gabriel, um príncipe irresistível. E irritante. A atração entre eles é imediata e fulminante, mas ambos sabem que um relacionamento é impossível. Afinal, Gabriel já está prometido a outra mulher – uma princesa! – e precisa com urgência do dote milionário para sustentar o castelo. Ele deveria se empenhar em cortejar sua futura esposa, não Kate, a inteligente e intempestiva mocinha que se recusa a bajulá-lo o tempo todo. No entanto, Gabriel não consegue disfarçar o enorme desejo que sente por ela. Determinado a tê-la para si, o príncipe precisará decidir, de uma vez por todas, quem reinará em seu castelo. Um beijo à meia-noite é um conto de fadas inspirado na história de Cinderela.
Com um estilo que combina graça, encanto e sedução, Eloisa James escreve uma narrativa envolvente, com direito a fada madrinha e sapatinho de cristal.



Livro: Um Beijo à Meia-Noite || Autora: Eloisa James || Série: Contos de Fadas #02
Editora: Arqueiro || Ano: 2017 ||  Gênero: Ficção/Lit. Estrangeira/Romance de Época
Classificação:  5 estrelas || Resenhista: Luci
Resenha livro 01


Era uma vez uma jovem orfã, chamada Katy Daltry, que vivia com sua madrasta mesquinha e uma meia-irmã, que longe de ter herdado o comportamento mesquinho da mãe, era até uma jovem tola e, de certa forma, ingênua. Diante dos demandos da madrasta, Kate aprendeu a ser uma jovem corajosa e determinada, que lutava sempre para proteger os arrendatários, das terras deixadas por seu pai, das atitudes egoístas da viúva do seu pai, que passou a controlar seus bens após a sua morte, deixando a pobre Kate apenas com um pequeno dote.

Isolada no interior, ela nunca teve a oportunidade de estrear na sociedade para conseguir um casamento, dançar ou se divertir como qualquer jovem debutante. Aos 23 anos, pode-se dizer até que tinha uma educação deficiente para a neta de um conde e já podia ser apontada como uma solteirona. A ela, desde a morte do pai, foi relegada uma vida de muito esforço e trabalho, somente isso.

Um dia, sua tola irmã se machuca ao lidar com um dos seus três pequenos cães, que "carinhosamente" eram chamados de ratos, ficando assim impossibilitada de participar de um final de semana com os parentes do seu noivo. Aliás, esse casamento só poderia ser realizado com a aprovação do tio dele, um príncipe que agora vivia na Inglaterra e estava prestes a contrair núpcias com um princesa russa.

Cabe a Kate a missão de se passar por sua meia-irmã e tentar convencer o tal príncipe a aprovar o casamento. Ela aceita, desde que, em troca, sua perversa madrasta poupe uma pobre família que vive em suas terras de ser expulsa. Mas tomando essa decisão, Kate nem imagina que ela estará dando o primeiro passo para mudar de vida. E isso começa ao ter o seu primeiro encontro com o príncipe e encontrar sua madrinha que ela nem sabia da existência.

Gabriel Ausgustus-Frederick William von Aschenberg of Warl-Marburg-Baalsfeld (fiquei sem ar!) é um jovem príncipe com uma enorme responsabilidade: cuidar da sua família, que foi expulsa da corte por seu irmão fanático, juntamente com  um leão, uma elefanta, um macaco e uma avestruz. Isso sem falar em manter um castelo que requer cuidados. O que Gabriel queria, na verdade, era explorar sítios arqueológicos e fazer descobertas sobre civilizações antigas, mas tem como missão, diante do seu fardo, encontrar uma esposa rica que colabore, com seu dote, o sustento da propriedade.

Quando ele e Kate se encontram, ele inexplicavelmente fica atraído pela jovem que diz ser noiva do seu sobrinho. Atraído pela jovem, cujos modos e forma de se posicionar o cativam, Gabriel faz de tudo para passar mais tempo ao lado dela, o que os leva a um jogo de sedução perigoso, afinal, Kate não é nenhuma herdeira abastada, e apaixonar-se estava fora dos planos de ambos, pois reconhecem as diferenças que os separam.

Mesmo assim, os dois acabam por atender aos apelos dos sentimentos que um desperta no outro, e se arriscam a viver uma paixão que tem de tudo para ser breve e fugaz. Só que a intensidade dela deixa marcas profundas e a incerteza de um felizes para sempre...


Como devem ter percebido, o livro é um reconto de "Cinderela", elaborado pela escrita majestosa de Eloisa James. E cada vez que leio uma de suas obras, mais me apaixono e quero mais dela, pois sua escrita cativa de uma forma que te envolve completamente.

A história de Kate e Gabriel é muito bem narrada, e através dessa escrita fluida, vemos as desventuras de um casal que tinha tudo para não acabar junto, por todo um conjunto de fatores que torna quase impossível que o casal sequer se apaixone ou tenha um final feliz.

Kate, a mocinha, é apaixonante, tem uma personalidade espirituosa que conquista aquele a quem deve colocar o dever acima dos sentimentos. Mas ela faz Gabriel sentir, em cada momento que estão juntos, que o amor e a paixão também devem ser vividos com intensidade. E nosso príncipe, ao contrário de ser uma criatura pomposa, tem várias facetas que conquistam o leitor. Sua lealdade para com sua família norteia suas decisões, mas Kate tem o poder de abalar suas convicções.

Cada personagem foi muito bem construído, seja protagonista ou personagem secundário: a autora revela as nuances de cada um, como parte essencial da história, que ganha vida em seus mínimos detalhes. Aliás, Eloisa James escreve com uma intensidade que realmente nos apaixona. Misturando humor e erotismo, seus livros realmente valem a pena serem lidos, pois têm o poder de nos arrancar de um sorriso a um suspiro enlevado em suas partes mais apaixonantes. 

Compartilhe!

8 comentários :

  1. Oi Luci, eu tô amando os livros da Eloisa e a Arqueiro por nos trazer essas histórias. Achei essa trama leve e divertida e curti que a história não ficou focada nas maldades da madrasta e na Cinderela chorando. Gostei também dos diálogos, achei dinâmicos e envolventes. E gostei da resenha, concordo contigo sobre a criação dos personagens e sobre a boa escrita da Eloisa <3

    ResponderExcluir
  2. Deve ser uma leitura gostosa, ainda não li nenhuma releitura e achei que essa ficou diferente, isso é muito bom. Deixa o leitor angustiado e curioso esse romance entre o casal que tem muitos empecilhos pelo caminho.

    ResponderExcluir
  3. Olá Lucilene!
    Eu estou acompanhando resenhas do livro desde o lançamento, pra mim está perfeito, tanto o enredo, tanto a capa, amei conhecer um pouco mais da história, sempre bom ler o ponto de vista de quem já teve a oportunidade de ler...
    Bjs!!

    ResponderExcluir
  4. Eu amo romance de época, li resenhas muito positivas de Quando a bela domou a fera e pretendo ler essa série. Se a Lisa Kleypas falou que essa autora é extraordinária eu acredito! kk

    ResponderExcluir
  5. Ainda não li nem um livro da autora Eloisa James, mas fiquei interessada em ler este livro, pois gosto da história da Cinderela, e gosto muito de histórias como a deste livro, que são um reconto de contos de fadas, que bom que cada personagem foi muito bem construído, a história deste livro parece ser muito boa, sem dúvidas pretendo ler Um Beijo à Meia-Noite.

    ResponderExcluir
  6. Oi Luci.
    Ainda não li nenhum livro da autora, mas quero muito. Vi diversas resenhas positivas sobre esses dois livros.
    Eu amo releituras, então acredito que vou gostar muito dos livros.
    Os personagens parecem bem construídos e espero gostar do romance entre Kate e Gabriel.
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Eu tava afim de ler esse livro desde que ouvi falar no lançamento dele no exterior Mas eu fiquei sabendo recentemente que esse é na verdade o primeiro livro da série no Brasil o primeiro livro foi lançado como quando a Bela domou a Fera que na verdade é o segundo livro mas esse livro Só foi lançado em primeiro lugar porque foi na época de lançamento do filme da Bela e a Fera com Emma Watson

    ResponderExcluir
  8. Oi Luci
    Confesso que Cinderela não é meu conto favorito, e além disso li algumas resenhas bem negativas do livro. Por ser uma releitura do conto, eu não achei os aspectos tão parecidos e sinto que esse casal não tem tanta química quanto o do livro anterior, fora o ponto da leitura demorar a engrenar.
    Ainda pretendo ler o livro, não sei se chegaria a comparar a autora a Júlia Quinn como vi alguns falando por aí ... Espero mudar essa primeira impressão que tive da história, até porque releituras de contos de fadas são meus livros favoritos!
    Beijos

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei