09 janeiro 2018

[Resenha] Fraude Legítima, E Lockhart



Jule West Williams é uma garota capaz de se adaptar a qualquer lugar ou situação. Imogen Sokoloff é uma herdeira milionária fugindo de suas responsabilidades. Além do fato de serem órfãs, as duas garotas têm pouco em comum, mas isso não as impede de desenvolver uma amizade intensa quando se reencontram anos depois de terem se conhecido no colégio. Elas passam os dias em meio a luxo e privilégios, até que uma série de eventos estranhos começa a tomar curso, culminando no trágico suicídio de Imogen e forçando Jule a descobrir como viver sem sua melhor amiga. Mas, talvez, as histórias das duas garotas tenham se unido de maneira inexorável — e seja tarde demais para voltar atrás.





  Livro: Fraude Legítima ||  Autor: E Lockhart
    Editora: Seguinte || Ano: 2017 || Gênero: YA, Suspense e Mistério. 
    Classificação: 3 estrelas || Resenhista:  Karina

Provavelmente essa seja a resenha mais vaga em termos de definição do plot que  já escrevi e acredite em mim, quanto menos você souber sobre o que é a história, mais chances de você gostar; quando a editora Seguinte anunciou esse livro, eu nem quis ler a sinopse, ser escrito pela E. Lockhart já era suficiente para eu decidir que queria ele na minha estante, afinal Mentirosos publicado no Brasil também pela editora Seguinte foi um dos “blow mind” mais épicos que já tive na literatura; talvez ir com tanta sede ao pote tenha prejudicado um pouco minha experiência de leitura, então antes de mais nada, vale o conselho: não crie muitas expectativas apenas se entregue a essa experiência no mínimo diferente.

Quando o elevador começou a descer, pegou um lenço demaquilante e tirou os cílios postiços. Depois de tirar o gloss, abriu a carteira de Shanna, pegou a habilitação e jogou o resto no chão. Era outra pessoa quando as portas se abriram.

A história começa a ser apresentada pelo capitulo 18 (que é o penúltimo capitulo do livro), acompanhamos Jule em um resort, aparentemente fugindo de alguém (e se apresentando como Imogen ou Immie, o que eu demorei um pouquinho a entender), no capítulo seguinte começamos a descobrir onde ela estava antes do resort e/ ou como chegou ao mesmo, tudo vai nos sendo apresentado como pecinhas de quebra cabeça.

Jule acreditava que quanto mais se suava no treino, menos se sangrava na batalha. Ela acreditava que a melhor forma de evitar ter o coração partido era fingir não ter coração. Acreditava que a forma como se falava era, na maior parte das vezes, mais importante do que qualquer coisa que se tivesse a dizer. 

Em capítulos decrescentes, vamos acompanhando flashbacks da infância de Jule, as passagens pelas escolas onde estudou, conhecemos seu círculo social e suas relações mais próxima até que chegamos a Imogen que é a melhor amiga de Jule, ambas são órfãs, porém, as semelhanças acabam por aí, enquanto Imogen foi adotada por uma família rica, tem tudo o que quer, Jule não parece ter tido tanta sorte assim.

Não tinha mais certeza de onde traçar a linha entre elas. [...] Jule era órfã como Immie, uma pessoa que se inventou sozinha, com um passado misterioso. Havia tanto de Imogen em Jule, e tanto de Jule em Imogen. 

Da maneira que a história é conduzida, não sabemos se o que está acontecendo é real ou piração de algum personagem, as cenas vão se desenrolando e é muito fácil deixar algum detalhe passar; esse é sem dúvida o ponto alto do livro, E. Lockhart escreve de uma maneira que raramente se encontra, os personagens são ambíguos, crus e cruéis; durante a leitura por horas parecia que alguns personagens tendiam ao feminismo, e esses mesmos personagens mudavam de direção.

Ela sabia que mulheres raramente eram o centro desse tipo de história. Não passavam de um refresco para os olhos, companheiras, vítimas ou interesses amores. Em geral, existiam para ajudar o grandioso herói branco e heterossexual em sua jornada épica e muito foda. Quando havia uma heroína, ela era muito magra, usava quase nenhuma roupa e tinha dentes perfeitos.

Jule sabia que não parecia com aquelas mulheres. Nunca ia parecer. Mas ela era tudo o que aqueles heróis eram - e, em certos aspectos, mais ainda. 

Diferente de MENTIROSOS em Fraude Legítima, eu descobri (pelo menos em partes) como a situação se desenrolaria e mesmo com TODOS os personagens sendo péssimas pessoas, que não despertam NADA de empatia em momento algum, foi fácil levar a leitura para entender com o desfecho final se desdobraria.

Queria que houvesse alguém que a amasse incondicionalmente, que lhe perdoasse por tudo. Ou melhor, que já soubesse de tudo e a amasse por isso. 

Se você se arriscar nessa leitura e se sentir perdido, não se sinta só, quando entramos no ritmo da genialidade de E. Lockhart, a experiência da leitura supera a história, isso talvez cause estranhamento? Sim, mas nos faz rever algumas atitudes e julgamentos também; então apesar de não ter me conectado com nenhum personagem e ter descoberto o plot foi uma experiência válida.

Compartilhe!

13 comentários :

  1. A decepção por conta das expectativas é problema mesmo, isso já aconteceu comigo e com alguns livros é difícil segurar a empolgação e quando ela não é alcançada fica difícil criar laços com os personagens, o que é fundamental pro andamento da história. Ainda não tive a oportunidade de conhecer a escrita de Lockhart, mas achei legal o fato de que mesmo esse não sendo um livro 5 estrelas pra ti a leitura foi válida. Acho que essa não é uma leitura que faria agora, mas é um livro que posso resolver ler mais a frente ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mesmo não me apegando a nenhum ( eu praticamente odiei todo mundo) ela consegue fazer a mágica de te deixar curiosa pra saber onde tudo vai dar , então se um dia tu estiver na vibe de historias criadas de jeitos inusitados é uma otima dica pra ir pra TBR , Bjão !

      Excluir
  2. Oi Karina!
    Segunda resenha que leio do livro e não me animo nadinha pra ler, o enredo não me prendeu atenção desde que conheci, então vou passando a dica até criar coragem pra ler..
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, se vc nunca leu nada da Lockhart co certeza indicaria Mentirosos, mas se vc quer ler uma historia escrita de um jeito diferente anota e guarda ai na sua TBR Fraude legitima que vale a pena.

      Excluir
  3. Oi Karina.
    Ainda não li nada da autora, mas acho que não começarei com esse livro rs
    Não estava com muita vontade de lê-lo e depois da sua resenha, fiquei com menos vontade. É horrível quando a gente descobre o plot twist né? Tira toda a emoção do livro.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pam , se eu pudesse indicar um primeiro contato serie Mentirosos ( esse eu não descobri nadinha) rs mas ah quem diga que descobriu rs então é pegar e ver o que acontece kkk , bjos.

      Excluir
  4. Oi Karina!
    Depois de ler "Mentirosos" da autora claro que fiquei mega curiosa por esse, principalmente achando a história dos dois geniais.
    Acho esse estilo de começar a contar a história pelo - quase - fim maravilhoso, pode até confundir o leitor um pouco, mas deixa tudo interessante porque desperta curiosidade.
    O enredo desse é incrível, difícil escrever personagens tão cruéis que não causam empatia no leitor.
    Pena você ter descoberto que ia acontecer, fora isso tenho certeza de que é uma leitura incrível.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exato Vi, é genial o jeito que ela conta, mesmo descobrindo o que aconteceu e odiando tudo mundo minha admiração pela escrita da Lockhart continua inabalavel, bjo 1

      Excluir
  5. Tinha muita vontade de ler esse livro, agora sei para não criar expectativas e se decepcionar, esperava mais, nossa deve ser uns personagens que não agradam muito para você não ter conseguido se conectar com nenhum deles, se nenhum nos conquistam fica difícil gostar da leitura e torcer por alguém. Intrigante ficar sem saber se é real ou não.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu achava que seria impossível terminar uma leitura que nao me apeguei a ninguem , mas fraude legitima me provou que é possível kkkkk, melhor conselho que eu poderia dar é vá sem expectativas !

      Excluir
  6. Ainda não li nada da autora E. Lockhart, achei interessante e diferente a história ser em capítulos decrescentes, a história parece ser um pouco complicada, mas pelo visto vale a pena a leitura, pois apesar do leitor de se sentir perdido na história, quando entra no ritmo da autora, a experiência da leitura acaba superando a história. Sem dúvidas pretendo ler Fraude Legítima.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quase precisei de um GPS , mas depois que pega o ritmo vai que vai rs, quando tu ler vem aqui dizer pra gente o que achou !!! Bjos.

      Excluir
  7. Tenho muita vontade de ler esta autora, Mentirosos foi um livro muito comentado dela, algumas resenhas são positivas e outras negativas. Decidi ler pelo hype e tirar minhas conclusões. Mesmo não sendo 5 estrelas vou ler esse ano, gosto de livros que surpreendem (agora tenho que desviar dos spoilers kk).

    ResponderExcluir





Copyright © 2017 Every Little Book. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS | OddThemes | ILUSTRAÇÃO: Yuumei